As 5 vinícolas chilenas mais visitadas por turistas brasileiros

por Rosi Guimarães

Não tem como planejar uma viagem para o Chile sem colocar pelo menos uma vinícola no seu roteiro. Mesmo que você não tome vinho, vale conhecer o processo de produção dessa bebida. O Chile já está na lista dos sete países com maior produção de vinho do mundo e um dos maiores exportadores para o Brasil, então, a bebida chilena já tem fama por aí.

Listei nesse post as cinco vinícolas mais visitadas pelos brasileiros que viajam para o Chile. Elas estão bem pertinho de Santiago, no Valle de Maipo,  têm acesso muito fácil por conta própria e utilizando transporte público. É importante lembrar que você precisa agendar a sua visita com antecedência.

Vamos às mais visitadas pelos turistas brasileiros?

1. Concha y Toro

A Concha y Toro é uma das maiores produtoras de vinho do mundo e é a maior do Chile. Com exportação para mais de cem países, possui vinhedos espalhados por todo o país. Por ser tão grande e famosa, seus tours são muito procurados e menos exclusivos. Essa foi a minha percepção desde a primeira vez em que estive por lá. Porém, mesmo em grupos grandes, a beleza do lugar nos conquista.

E quem nunca ouviu falar no famoso o Casillero del Diablo? É o vinho mais comercial da vinícola e durante o tour você vai conhecer a sua famosa lenda.

Agora, vai a minha dica: quer conhecer a Concha y Toro? Conheça, mas procure visitar outras menores, mais exclusivas e com produção menos massiva. No final do post, vou deixar algumas sugestões.

Aqui no blog já tem um post bem detalhado sobre o tour na vinícola Concha y Toro

2.  Undurraga

Vinícola Undurraga

Também famosa entre os brasileiros, a Undurraga também tem acesso de transporte público, mas não é a mais fácil de chegar. Para quem quer ganhar tempo e conhecer duas ou três vinícolas por dia, eu sugiro contratar uma agência para organizar os passeios.

Se for na primavera, você vai se encantar com a quantidade de flores que tem nos jardins desta viña.  Na minha opinião, nesta vinícola o processo de produção é mais bem explicado do que na Concha y Toro. Outra diferença é que a Undurraga também possui um pequeno museu chamado Gente de la Tierra, com uma coleção de peças Mapuche e Andina.  

Durante a degustação é servido o vinho doce last harvest que é sucesso garantido entre os brasileiros. Os espumantes também são de ótimo custo-benefício. Eu conto sobre o meu tour na vinícola Undurraga.

 3.      Santa Rita

Conta a lenda que foi nesta vinícola que a uva carménere foi redescoberta. A Santa Rita abriga o Museu Andino com mais de 3 mil itens, o restaurante Doña Paula e uma cafeteria que oferece umas empanadas deliciosas. Já perdi as contas de quantas vezes visitei a Santa Rita. Na minha última visita, fiz um tour premium com degustação de vinhos e um passeio pelo jardim interno da casona, como é chamada a construção principal. Se quer fazer uma programação diferente e mais personalizada, sugiro o tour premium. Conhecer o jardim interno faz toda a diferença.

 4.      Cousino Macul

Também é muito fácil de chegar por conta própria, utilizando o transporte público. A vinícola oferece muitas opções de passeio. Fiz um tour de bicicleta, é imperdível, fica a dica! As boas-vindas são dadas com uma taça de vinho branco. É uma vinícola cheia de história e ela vai sendo contada durante o tour. A minha visita à Cousiño Macul foi no outono, então deu para ver como ficam os vinhedos nessa época do ano. Eles ficam secos, mas ainda sim, vale a visita. Em cada data do ano, você vai encontrar uma paisagem diferente. Os destaques desta viña ficam por conta do passeio pela bodega com os maiores barris do Chile e do mundo, feitos com carvalho chileno e com capacidade para trinta mil litros, que não são mais utilizados. 

 5.      Aquitania

De todas as listadas até agora, é a minha preferida. Além de classificá-la como uma vinícola urbana, também podemos considerá-la na categoria boutique por sua pequena produção: apenas 180 mil garrafas por ano. Só para se ter uma ideia,  a Concha Y Toro, que é a maior do Chile, produz 380 milhões. Ela tem uma vista maravilhosa da Cordilheira dos Andes, o tour é bastante personalizado e sempre com poucas pessoas. Tudo explicado de forma bem detalhada pela simpática Bárbara – uma chilena que fala um português perfeito. Aqui eu conto como foi o meu tour na vinícola Aquitania.

Se você quer conhecer duas vinícolas no mesmo dia, fica a dica de conciliar a Cousiño Macul com essa, pois são vizinhas.

Outras opções de vinícolas

 Muito perto de Santiago também está a Santa Carolina, que tem acesso muito fácil, utilizando somente o metrô.

Agora, se você quer fugir das “turistonas” tenho ótimas sugestões. A EL Principal tem um tour bem mais personalizado, uma produção bem menor e vinhos surpreendentes. A Perez Cruz também está na lista das minhas preferidas. Eles produzem um vinho Garnacha que é especial.

Saindo do Valle de Maipo, vamos para Casablanca, onde tem a Bodegas RE, com seus vinhos de Reinvenção, diferentes e deliciosos. A Atillio & Mochi, que é a vinícola dos brasileiros no Chile.

E se vamos para Colchagua temos muitas opções, como a vinícola Montes, Viu Manet, Clos Apalta, Ventisquero.

Escolha pelo menos uma para visitar! Só não vale ir embora do Chile sem conhecer uma vinícola, combinado?

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

Gostou? Deixe aqui seu comentário