City tour gratuito em Santiago do Chile

por Bárbara Mussili

Conhecer a cidade caminhando e acompanhado de um guia experiente. Essa é a proposta do city tour gratuito oferecido pela municipalidade de Santiago, através do setor de turismo. Fizemos o tour “Santiago Popular” e vamos contar como você pode participar deste e de outros tours similares.

A Rosi já conhecia a iniciativa porque tinha feito outro percurso, a “Rota das Igrejas”, e tinha gostado muito. Então, ela me convidou para fazer outro tour e assim podermos contar a experiência aqui no blog. Além dos dois mencionados, existem também outras opções, como “Santiago Passo a Passo”, “Caminhando pelo Cerro Santa Lucía”,Descobrindo o Barrio Lastarria” e a “Rota das Galerias Comerciais”. Cada um acontece em um dia da semana, inclusive sábados e domingos, e começam às 10 horas da manhã. O ponto de encontro é sempre em uma das oficinas da Santiago Turismo na Plaza de Armas, ao lado do Museu Histórico Nacional, ou no Cerro Santa Lucía. Não é necessário agendar.

_DSC3448

O passeio começou pontualmente e nosso guia foi o Jaime, que se apresentou ainda dentro da oficina e nos encaminhou para o ponto de partida na praça para dar instruções de segurança. O grupo tinha aproximadamente 15 pessoas de diferentes nacionalidades: alemães, peruanos, argentinos, italianos. Todos os tours são feitos em espanhol, mas o Jaime explicou que eles sempre procuram falar devagar.

_DSC3447

De início, nos posicionamos em um local com uma grande placa no asfalto que marca a fundação da cidade e seu plano urbanístico inicial em torno da Plaza de Armas, onde os espanhóis ergueram as primeiras construções da cidade, que já não são exatamente as originais. De um lado, avistamos a Catedral Metropolitana e, de outro, um monumento em homenagem a Pedro de Valdívia. Aprendemos também sobre como a ocupação da cidade aconteceu entre os recém-chegados e os habitantes originários, os mapuches.

_DSC3450

Dali, seguimos pela calle 21 de Mayo e passamos pela Iglesia Santo Domingo até chegarmos no Mercado Central, monumento histórico nacional desde 1984. É um local muito procurado pelos turistas não somente por sua construção, mas também por sua representação cultural, com todos os produtos típicos que são comercializados no local, como pescados, mariscos, empanadas, queijos, artesanato e os restaurantes que oferecem a famosa centolla, um crustáceo gigante, ou o caldillo de congrio, prato preferido do poeta Pablo Neruda.

_DSC3457

_DSC3461

_DSC3465

IMG_0051

Continuamos nossa caminhada atravessando uma das principais avenidas do entorno e chegamos na Pérgola de Las Flores, um mercado que, como o próprio o nome revela, comercializa somente flores e tem uma história tão marcante que virou tema de uma montagem teatral chilena muito conhecida.

_DSC3473

Mais adiante, chegou a vez de conhecer os mercados mais famosos da cidade, centros de abastecimento de frutas, legumes, verduras e o que mais se puder vender no varejo e no atacado. Primeiro, passamos pelo Tirso de Molinos, um enorme corredor de lojas com enorme variedade de produtos frescos e baratos.

IMG_0059

_DSC3484

_DSC3489

Em seguida, foi a vez do maior e mais conhecido mercado da cidade: La Vega Central. Na verdade, antes passamos por La Vega Chica, que possui vários estabelecimentos com comida popular e muito barata.

_DSC3492

_DSC3494

Depois, chegamos na parte principal do mercado La Vega, também conhecido como Monumental. Trata-se de um mercado muito grande e onde se encontra de tudo e pelos melhores preços. Como qualquer centro de abastecimento, é um lugar popular de muito movimento e barulho. E também é um local de muitas cores, sabores e aromas. Para quem gosta de observar tudo e fotografar, é literalmente um prato cheio. Nós já conhecíamos, mas mesmo assim tivemos que correr para não nos perdermos do grupo.

_DSC3502

_DSC3503

_DSC3506

Nossa próxima direção, foi no sentido da Avenida Independência, um local muito peculiar e que é chamado de caco histórico de Santiago. Entramos rapidamente na Parroquia Santuario Niño Jesús de Praga, construção em estilo gótico de 1922, muito diferente.

_DSC3511

_DSC3516

O penúltimo ponto foi na Estación Mapocho, uma antiga estação ferroviária  que se transformou em centro cultural e hoje é um local que abriga grandes eventos e também exposições diversas.

_DSC3518

_DSC3531

Fechamos nosso percurso em um local com uma história engraçada, o restaurante La Piojera. Conta a lenda urbana que o presidente chileno Don Arturo Alessandri Palma foi levado até lá e se surpreendeu por ser tipo um “pé-sujo”. Desde então, a fama do lugar cresceu e, até hoje, chilenos e turistas o procuram para comer entradas e comidas típicas, além de ser conhecido por ser um dos poucos lugares que vendem o famoso terremoto durante todo o ano, uma bebida alcoólica típica das festas pátrias chilenas.

_DSC3534

Assim foi nosso animado e intenso tour turístico “Santiago Popular”. O grupo resistiu a uma caminhada de quase 2 horas e terminou aplaudindo nosso atencioso guia Jaime. Lembrando que o tour é gratuito, mas é uma gentileza dar gorjeta ao final ($ 2.000 a $ 5.000 por pessoa).

É sempre bom comentar que a caminhada pelo centro histórico e, principalmente, pelas feiras, é bem diferente de estar na área mais nobre da cidade. Passamos também por lugares menos arrumados e com cheiro de peixe, típico de um grande mercado antigo.

Santiago é uma cidade com muitos pontos turísticos e espaços culturais para visitar e é claro que você pode ir direto à eles. Porém, existem cantinhos e histórias que só se conhecem com um passeio como esse.

Acesse a página do Santiago Turismo para saber mais detalhes.

Outras sugestões de city tour gratuito:

  • Cultura Mapocho – um percurso diferente e especial todo último domingo de cada mês.
  • Tours4Tipstours em que você paga quanto quiser.

Para quem prefere fazer tour acompanhado por agência, temos as parceiras no blog. Clique aqui para fazer um orçamento.

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

6 comentários

Cenir Soares 23 de novembro de 2019 - 14:00

Oi, Rosi! Td bem?
Estarei em Santiago de 15 à 19 /12 e depois seguirei p Atacama. Adorei essa matéria do free tour, está na minha lista.
Comecei a organizar a viagem há uns meses, antes de iniciarem os protestos. Em nenhum momento pensei na possibilidade de desistir e assisti um vídeo de vcs mostrando a situação e funcionamento da cidade e que os protestos acontecem sempre a tarde. Valeu pela informação!
No momento minha preocupação maior é a fronteira com a Bolívia pq irei até Uyuni. Qt a Santiago os protestos não me assustam, pois pretendo seguir tds as orientações de segurança. Mas… Tô morrendo de medo de me perder em Santiago e não me achar nunca mais, rs! Estou acostumada a viajar sozinha pelo Brasil e ano passado fui p Cusco, minha primeira viagem internacional. Mas Santiago é uma cidade grande e fora do Brasil é isso que me assusta, embora eu seja carioca moradora dessa cidade que é o caos.
Sou uma pessoa desligada a ponto de me perder na trilha da hidroelétrica de volta p Cusco pq me distrai com as borboletas que no caminho. Ngm se perde ali, só eu! Só me dei conta de estar perdida qd um guarda veio na minha direção pq eu estava invadindo uma estação elétrica.
Outra coisa que me preocupa é que vi um vídeo que a pessoa falou que até em casas de câmbio aplicam golpe, trocando a nota que a gente da por uma de valor mais baixo. No mais estou atenta: bolsa sempre p frente principalmente no metrô, levarei a doleira, que me acompanha sempre nas viagens por ai, grudada na cintura e por dentro da calça, enfim… ansiosa, mas confiante de que td vai dar certo apesar do meu portunhol ridículo.
Enquanto o dia nao chega sigo acompanhando vcs por aqui.
Abraço “procê”!!!

Cenir Soares

Reply
Rosi Guimarães 25 de novembro de 2019 - 12:48

Oi Cenir,
Vai dar tudo certo. viajar bem informada já é um passo grande para o sucesso da viagem. Eu realmente não sei como está a situação Em Uyuni, mas se você for fazer com agência eles com certeza sabem da situação.
Um abraço e boa viagem e depois volte aqui para contar como foi.
Beijo!

Reply
Monique Hoppen 18 de novembro de 2019 - 00:41

Oi Rosi, tudo bem?
Estou em Talca e queria MUITO conhecer Santiago, Valparaíso e Viña del Mar antes de voltar pro Brasil (início de dezembro). Será que é possível com tudo que está acontecendo no país? Tens alguma dica pra uma estudante brasileira perdida e triste? rsrs
Obriii.
OBS: Seu blog tem me ajudado desde antes de vir pra cá, quando ainda estava no Brasil.

Reply
Rosi Guimarães 18 de novembro de 2019 - 10:16

Oi Monique,
É o que eu sempre digo: as manhãs são sempre mais tranquilas. Viu esse meu vídeo https://youtu.be/LuwMWbKfkoE
Para os passeios fora de Santiago, sugiro contratar uma agência https://nosnochile.com.br/parceiros/
Um abraço!

Reply
Viviane Chaves Correia 10 de abril de 2019 - 20:24

Oiê eu amei as dicas vou em maio com o meu esposo estaremos de lua de mel e gostaria de dicas para fecharmos pacotes de passeios dellmar , cordelheiras e assim vai ficarei 07 dias quero conhecer e conhecer e realizar sonhos !!!

Reply
Rosi Guimarães 11 de abril de 2019 - 09:28

Oi Viviane,
Nós temos agências parceiras aqui no blog https://nosnochile.com.br/parceiros/. É só preencher o formulário para receber um orçamento.
Boa viagem!

Reply

Gostou? Deixe aqui seu comentário