Experiências de mulheres que viajaram sozinhas para o Chile

por Rosi Guimarães

O post de hoje não é sobre mim, é sobre mulheres que enfrentaram o frio na barriga e viajaram sozinhas para o Chile.

Aqui no blog já tem dicas para quem deseja viajar sozinho para o Chile, mas eu sempre quis escrever algo contando experiências, então, através dos stories do @blognosnochile, pedi para as seguidoras me mandarem relatos das suas viagens desacompanhadas para o Chile.

E elas mandaram. Os relatos irão te inspirar e te ajudar a tomar aquela coragem que estava faltando. Quer viajar para o Chile e não tem companhia? Chega de esperar! Acredite e compre logo essa passagem. Santiago do Chile é uma cidade bastante segura, mas é importante estar atento, pois tem alguns golpes que são comuns por aqui.

Vamos saber o que elas têm para nos dizer? Eu perguntei: – Como é viajar sozinha para o Chile?

A Isabela Alves já viajou duas vezes sozinha. Em maio de 2017, ela veio para Santiago e em março de 2020, foi para o Deserto do Atacama.

“Por ir sozinha, fiquei hospedada em hostel, onde eu tive a possibilidade de conhecer outras pessoas, a maioria brasileiros, que fizeram toda a diferença. Isso acabou me deixando mais segura, pois estava acompanhada boa parte do tempo. De toda forma, também tive momentos sozinha nas duas viagens e foi tranquilo. O segredo é pesquisar bastante antes de ir e tomar as precauções, como em todo lugar. 

Ambas foram maravilhosas e tiveram suas particularidades, mas o que eu gostaria de destacar é o quê uma viagem sozinha pode possibilitar principalmente pra nós mulheres!

Ir sozinha para Santiago foi um divisor de águas em minha vida. Uma virada de chave, onde eu finalmente pude conhecer o que é o tal amor próprio. Acabei descobrindo que a gente pode fazer o que quiser, sem depender de ninguém e isso é maravilhoso. Enfim, Santiago pra mim foi TRANSFORMAÇÃO!

Atacama foi um sonho despertado em Santiago. Decidi, comprei as passagens e fui novamente sozinha. Dessa vez eu já não tinha aquela expectativa da primeira viagem e já fui sabendo que faria novos amigos, bastava ser um pouco “conversada” e logo me enturmaria. E o que significou a viagem do Atacama pra mim? Posso resumir em GRATIDÃO! É um lugar único, de uma beleza exuberante e por várias vezes me senti grata por estar ali e poder me conectar comigo mesma. 

Resumindo, não deixe de realizar nada por causa de ninguém! Viajar sozinha é um experiência maravilhosa. Tenho namorado, muitos amigos, mas sempre que puder, irei me permitir viver isso novamente!

A Laís Cescon viajou no período de 10 a 17 de março de 2020.

“Rosi, já quero começar dizendo que suas dicas foram essenciais para que eu pudesse me organizar. Amo viajar sozinha e considero o planejamento e a organização primordiais para o sucesso. Muito obrigada por seu trabalho!

Depois de pesquisar muito, optei por me hospedar em um Airbnb no bairro de Providência. Em nenhum momento me senti ameaçada no Chile, andei pelas ruas do bairro tranquilamente durante o dia, à noite utilizei Uber sem nenhum contratempo, todos os motoristas que peguei foram solícitos e educados. Para os passeios, optei por contratar uma agência e essa foi minha melhor escolha, pois foi desta forma que conheci outros brasileiros e fiz amizades que seguem firmes e fortes após viagem. Minha experiência no Chile foi incrível e pretendo voltar tão logo seja possível (não consegui completar a viagem que incluía uma semana no Atacama, devido à pandemia).”

A Edna Mazon viajou no período de  20 a 25 de fevereiro de 2020.

“Quando decidimos conhecer o Chile, em julho de 2019, éramos 6 pessoas. Compramos as passagens e reservamos a hospedagem. A viagem estava planejada para novembro. Porém, em outubro começaram as fortes manifestações em Santiago e, com elas, a dúvida sobre se aquela viagem realmente aconteceria.

Duas semanas antes da data programada, com as manifestações ainda acontecendo por lá, quatro pessoas desistiram e uma  não conseguiu trocar a passagem originalmente comprada. Eu consegui trocar a minha para fevereiro deste ano. A data estava perfeita, era carnaval e eu ainda poderia comemorar o meu aniversário.

Era minha segunda viagem a passeio e sozinha, a primeira para o exterior. E essa foto retrata bem o que foi essa experiência: maravilhosa, leve! Fiz passeios lindos! Encontrei pessoas admiráveis com as quais tenho contato até hoje. E isso não teria sido possível se eu não tivesse conhecido o Blog Nós no Chile.

Li o blog todo antes da viagem, acompanhei os posts no Instagram, segui todos os conselhos da Rosi e, graças a isso, não passei nenhum perrengue! Me hospedei em Providência, bem próximo ao Patio Bellavista. A localização é ótima e consegui conhecer todo o Centro a pé. Contratei o transfer da Vem Me Buscar, fiz passeios com a Sousas Tour. Me senti segura em todos os momentos. Agências parceiras do blog.

A Gerlane Campina viajou no período de  17 a 26 de setembro de 2019.

“Fiquei hospedada em um Airbnb na rua Pedro de Valdivia, bairro Providencia. Fiz grandes amizades, pois segui todos os conselhos, dicas e sugestões do blog Nós no Chile. Eu tive experiências extraordinárias, como andar de metrô pela primeira vez, fazer passeios sozinha, comer sozinha em restaurante, coisa que para muita gente pode ser coisa de dia a dia, mas para mim foi algo inédito e diferente. Ter que resolver questões de documentação, câmbio, hospedagem, definir os melhores passeios, onde comer, onde ir, o que comprar, o que levar, tudo sem ninguém, foi libertador. E não foi só isso, tive que enfrentar a barreira da língua, porque por mais que você pense que seja fácil entender, não é.

Rosi, só tenho que agradecer a você por todas as sugestões na sua página, desde da agência que contratei até o transfer, todas as dicas foram suas, por isso minha viagem foi inesquecível. Tenho mais de mil fotos, mas o mais precioso está guardado no meu coração e na minha memória. Caminhei pelas ruas de Santiago e me senti bastante segura”.

 A Luciana Rezende viajou para Santiago em dezembro de 2019.

“Eu fiquei em um Airbnb no bairro Providência. Para me locomover na cidade, eu utilizei o metrô ou andei a pé e me senti muito segura, mesmo em época de protestos. Inclusive, não tive nenhum passeio afetado pelas manifestações. Para os tours fora da cidade, eu contratei agências e fui muito bem tratada,  e percebi que os guias davam uma maior atenção para mim, imagino que isso tenha acontecido pelo fato de eu estar só.

Pretendo voltar algum dia e a única mudança que faria seria me hospedar em um hostel para ter mais contato com outras pessoas, pois durante os passeios eu conversava com os demais turistas, porém no apartamento era mais solitário. Algo que eu não poderia deixar de mencionar é a dona do apartamento que aluguei, ela era super amorosa e preocupada comigo, quase uma mãe, inclusive me levou para o festival de luzes da China”.

Confira aqui: Como planejar a sua viagem para o Chile

A Érika Yokoyama viajou em janeiro de 2019

Foi minha primeira vez que fazendo uma viagem para fora do país sozinha. No aeroporto foi muito tranquilo, não me fizeram nenhuma pergunta na imigração e foi super rápido. Me hospedei no hotel RQ Santiago, no Centro, perto de farmácia, supermercado, Starbucks, ao lado da estação de metrô La Moneda, todos os funcionários do hotel foram super prestativos e atenciosos. Durante o dia, dava para fazer muitas coisas a pé, ir ao cerro Santa Lucia, palácio La Moneda, feira de artesanato, Paseo Bandeira, mas de noite eu tinha  uma certa insegurança de sair pois o Centro ficava completamente vazio, então eu não me arriscava. Fiz todos os meus passeios com a Sousas Tour que já tinha visto no Nós no Chile, inclusive encontrei um mesmo casal em dois passeios diferentes, o que facilitou na hora de fotografar, porque eu tirava fotos deles e eles de mim e eu tenho contato com eles até hoje.

Nos pontos turísticos sempre tinha brasileiros, o que me deixava mais confortável. De maneira geral, achei muito tranquilo viajar sozinha para o Chile, foi um excelente destino e tenho vontade de voltar mais vezes.”

A Jordana Marafon viajou no mês de setembro de 2019.

Foi uma viagem muito gostosa e tranquila, bem planejada e não ocorreram transtornos, só alguns pequenos perrengues porque peguei os dias do feriado das Fiestas Patrias no Chile, nos dias 18 e 19 de setembro. Mas foi super interessante participar das festas e consegui fazer os passeios da mesma forma. Me hospedei no hostel Plaza de Armas, bem em frente à praça. Usei o metrô para fazer os passeios nas vinícolas e pela cidade, já o restante eu fiz através da agência. No hostel tinha muitos brasileiros e fiz amizades com eles, praticamente não fiquei sozinha. Me senti segura, mas sempre com cuidado e lembrando das dicas para evitar assaltos. Sou arquiteta e reparo muito na cidade e sua arborização e isso foi algo que chamou muito a minha atenção, achei uma cidade bem verde, apesar de ter o ar cinza. Algo que observei também foi a maravilhosa cobertura 4G, em todos os locais que eu visitei pegava e era uma internet super rápida. 

Amei conhecer a arquitetura da cidade, em especial o Templo Bahá’í, achei simplesmente fantástico. Também gostei muito de conhecer as vinícolas, gostaria de poder ter ido em mais, fui apenas na Concha y Toro e na Santa Rita. Quanto aos preços, achei bem salgadinho, principalmente a alimentação e não gostei do completo (cachorro quente chileno)”. 

A Renata Costa viajou em agosto de 2019

“Foi a minha primeira experiência de viagem sozinha. Vinha de uma recuperação de cirurgia na coluna feita nove meses antes e me joguei por completo na aventura. Lógico que como iria sozinha me informei muito bem sobre golpes comuns, câmbio, passeios, seguro, enfim sobre tudo o que porventura poderia fazer dessa viagem algum problema. Sobre hospedagem, optei pelo Airbnb e foi uma escolha muito bem acertada, a anfitriã foi super do bem e além de me deixar à vontade, me deu muitas dicas sobre tudo. Como eu fiz o dever de casa certinho lendo o Nós no Chile, não dei vacilo e me senti bastante segura na cidade.  Andei muito de metrô e a pé, realmente  é  muito simples se locomover  em Santiago.

O legal de ir sozinha numa viagem  é  que a gente fica muito mais atenta às coisas ao nosso redor e tem a possibilidade de fazer muitas amizades. Eu fiz bastante, foi a minha primeira viagem sozinha, mas não fiquei só nem por um dia sequer. Essa foi uma das experiências  mais ricas e especiais que  já tive em minha vida!”

A Sthefani Rezinetti viajou em agosto de 2019.

“Tudo começou pela minha paixão por vinhos, neve e passeios históricos, aí estava o meu destino, e o melhor, não precisava de passaporte. Comecei a pesquisar e encontrei a Rosi, a cada dia me apaixonava mais e anotava todas as dicas. Fechei um transfer que aceitava real e quando desembarquei foi tudo muito seguro, estavam me esperando dentro do aeroporto. Eles encaminharam o número do motorista e o aeroporto também possui wi fi. Meu hotel ficava bem no Centro (Hotel Santa Lucia) e tinha uma loja do supermercado Líder bem na frente.

O primeiro passeio foi o city tour, assim acabei percebendo que o hotel ficava perto de tudo e até a missa da Catedral fui assistir. Sobre dinheiro, levei em pesos o equivalente a 80 reais pra não chegar sem nada e o restante troquei nas casas de câmbio indicadas no blog. Em todos os passeios eu fiz amizade, e através delas pude tirar fotos maravilhosas. Eu sempre esperei conhecer alguém legal pra poder viajar e isso nunca aconteceu, decidi ir sozinha e acabei conhecendo meu noivo um mês antes da viagem. Como ele não conseguiu pegar férias pra ir junto comigo, eu fazia várias chamadas de vídeo e foi a melhor viagem que fiz, rica em cultura, beleza e segurança. Voltarei com ele porque o Chile é definitivamente um lugar acolhedor e apaixonante.”

A Rosana Silva viajou no período de 19 a 26 de setembro de 2019

“Cheguei em Santiago no dia 19/9, no final de semana do feriado da Pátria, foi bem tranquilo. Fui em uma das Fondas (Festa Pátria chilena)  e adorei. Fiquei em um apartamento no bairro Providencia – City Centro Apartamentos, foi um excelente custo/benefício, já que ficava a 10 minutos a pé do Shopping Costanera Center. Me senti super segura, saía à noite sem problemas. Confesso que não fiz muitas amizades locais, apenas com algumas pessoas que conheci nos passeios.

No período que estive no Chile eu conheci Valparaíso e Viña del Mar, fiz  city tour em Santiago, tour e degustação de vinhos na vinícola Undurraga, visitei Cerro Santa Lucia e Cerro San Cristobal utilizando metrô. Também conheci Vale Nevado e um dos lugares mais lindos do mundo: Portillo! Fiquei simplesmente encantada! No último dia de passeio, conheci o Sky Costanera, o maior prédio da América Latina, a vista é perfeita e pôr do sol foi um espetáculo. Enfim, adorei minha viagem ao Chile, me senti absolutamente segura, e com certeza voltaria mais vezes. Recomendo a todos”.

A Regiane Soster viajou em dezembro de 2018

“Viajei para comemorar o ano novo. Foi uma experiência incrível! Fiquei hospedada em um hostel chamado CLH Suites (Che Lagarto Hostels), bem no centro de Santiago. Foi onde fiz alguns amigos e conheci pessoas de várias nacionalidades que também estavam viajando sozinhas. Eu me senti segura no Chile e tudo ocorreu bem durante a minha viagem. Santiago é cheia de guardas/policiais, mas tomei os devidos cuidados, por exemplo, não andei sozinha durante a noite e fiquei atenta aos meus pertences. Viajar sozinha é sensacional e o Chile me proporcionou essa experiência. O país é lindo, seja no inverno ou no verão”.

Viu só, meninas? Não é por falta de companhia que vocês vão deixar de conhecer o Chile, cominado? Planejamento é tudo! Aproveite para ler todas as dicas aqui do Nós no Chile para ter uma viagem perfeita, afinal, quem lê o Nós no Chile não passa perrengues!

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

Gostou? Deixe aqui seu comentário