Foi ao Chile. Conte pra gente: Dicas da Família Fortes

por Rosi Guimarães

A Laís e o Tarcísio viajaram com seus filhos Ricardo e Henrique para o Chile nas férias de julho. Ficaram hospedados em Santiago, Farellones e Cajón de Maipo. A família adorou a viagem, fez tudo por conta própria e está aqui no blog deixando um montão de dicas bacanas.

Texto e fotos: Laís e Tarcísio

Olha a família da Laís fazendo aulas de esqui em Farellones

Olha a família da Laís fazendo aulas de esqui em Farellones

Santiago

Santiago: Descida à pe do Parque Metropolitana - Cerro San Cristobal

Santiago: Descida à pe do Parque Metropolitana – Cerro San Cristobal

Ficamos em um apartamento alugado através do site airbnb. Excelente. Localização perfeita: prédio onde no térreo há supermercado, loja Paris e entrada para o metrô Los Leones. Comércio variado bem próximo. Região ótima. Dá pra ir à pé até o Costanera Mall (7 minutos). Proprietária, Maria Inês, muito simpática e atenciosa. Recomendo.  Acesse o link do apto dela aqui. 

Cerro San Cristóbal e Zoológico. O funicular sobe até o alto do Cerro com uma parada no meio do caminho que dá entrada ao zoológico. Na hora de comprar o bilhete, você já tem que dizer até onde vai, onde vai parar e se é só ida ou ida e volta. Resolvemos comprar só ida até o alto , depois descer a pé até o zoológico pois pelos mapas do Cerro, apareciam trilhas que iam até o zoológico. Depois, já na descida do Cerro, descobrimos que não havia entrada no meio do caminho para pedestre no zoológico, só a parada do funicular. Resultado: tivemos que descer todo o Cerro à pé e depois procurar a entrada do zoológico.

Pátio Bella Vista: La Casa Em El Aire, restaurante com comida muito saborosa, bem preparada, boa apresentação e atendimento simpático. Vale a pena pedir o menu do dia – $5.200, que é servido até as 16h. São duas opções de entrada, quatro de prato principal e duas de sobremesa.  Atenção aos restaurantes que servem o menu do dia, pois pode ser que se esgotem antes das 16h. Perguntar antes se ainda estão servindo o menu do dia. Antes de entrar na La Casa Em El Aire fomos ao Zocca, que exibia o quadro de menu do dia na porta. Depois de já instalados em nossa mesa, o garçon nos avisou que não tinha mais o menu do dia…

Encontramos uma loja para comprar as lembrancinhas em lápis lazulli com preços muito bons pois eles têm atelier próprio. Fica na parte externa do Pátio Bella Vista: tel: 226 649 563 ou 9-783 42 71.

Mercado Central: não gostamos. Fomos no dia 16 de julho, que era feriado no Chile. Todos os restaurantes lotados. Entramos e saímos rapidamente.

Museu de arte pré-colombiano no centro histórico: na bilheteria pedir informação sobre a rede wi-fi e baixar o aplicativo do museu no celular. Em todas as vitrines do museu tem um QR – code reader que o aplicativo capta e podemos escutar as informações sobre os objetos da vitrine ( lembre-se de levar seus fones de ouvido para o celular). Nesse museu tem uma parte interativa para crianças.

Museu Interativo Mirador:  Museu mais visitado do Chile. Vale a pena se deslocar até lá. Para o simulador de terremoto e o cinema 3D tem que pegar ingresso a parte. Como chegamos no meio da manhã, já estavam esgotados os ingressos para o simulador e o cinema 3D só tinha para a sessão no final da tarde. Tem que chegar cedo para conseguir os ingressos.

Costanera Mall: Procurar o quiosque de atendimento ao cliente, apresentar um documento e pegar um cartão de desconto válido em diversas lojas (só para estrangeiros). Logo que chegamos à Santiago, compramos um chip pré-pago no Costanera Mall. Na loja que fomos não tinha nanochip (usado em Iphone). As lojas que vendem o pré pago, não são as lojas oficiais da operadora. Procurar o chip em loja de artigos de informática, supermercado, quiosques. A própria vendedora da loja colocou o chip para funcionar. A recarga pode ser feita em supermercado Ajudou muito para organizarmos onde ir, quando ir, ligar para restaurante e fazer reserva, saber horário de funcionamento do locais, etc. Preço a partir de 1.000 pesos. No Costanera Mall tem casa de câmbio com taxas razoáveis.

Mall Sports: tem lojas de artigos esportivos, praça de alimentação e atividades esportivas (pagas)- na maioria para criança: . arborismo. minikart, pula-pula, simulador de onda para prática de surf, parede de escalada, etc, Só vale a visita se tiver tempo na programação da viagem.

Farellones

Farellones

Farellones

Chalet Valluga: (tem muitos comentários no booking.com e no tripadvisor)– Negociação e reserva direto com a proprietária. Hotel pequeno (não tem elevador) e muito charmoso. Poucos quartos e atendimento feito pelos próprios donos. Fazem de tudo para você se sentir bem. Ambiente familiar. Transporte do próprio hotel para as estações de esqui. Basta combinar a hora de ir e a hora de buscar. Motorista simpático e pontual. Dá para ir a pé até a entrada da parte alta do Parques de Farellones. Na diária do hotel está incluído o café da manhã,  uma tábua de queijos e um taça de vinho no final da tarde e o jantar. Chocolate quente para as crianças e marshmallow para derreter na fogueira. Tudo muito gostoso. No terraço, há um ofurô. Para utilizar é só agendar o horário. Tem wi-fi. Dorin, proprietária do hotel, fala português.

Em julho, a Laís nos mandou noticías direto de Farellones e as informações estão aqui nesse post.

Preço da água mineral. Água de 500ml no hotel=2.000 pesos. Na lanchonete e no restaurante da estação de esqui 500ml=1.500 pesos. Nas lanchonetes próximas ao Parques de Farellones 1.600ml = 1.500 pesos. No supermercado em Santiago, 1.600ml=600pesos.

Não vi supermercado ou mercadinho em Farellones. Mas próximo do hotel, 5 minutos a pé, tem um conjunto de lojinhas, com lanchonete/barzinho bem simples, mas que vendem água e empanadas muito gostosas.

Transporte Santiago-Farellones: combinei com a Dorin (hotel Chalet Valluga) o transporte. De Santiago para Farellones o motorista indicado pela Dorin foi o Sr. William Garrido Sáez, van nova e confortável, motorista muito simpático e pontual (tel:53343777, e-mail: [email protected]). Na volta, o próprio motorista do hotel fez o translado. US$150 cada trajeto.

Cajón de Maipo

Cajón de Maipo- caminho para Lagunillas

Cajón de Maipo- caminho para Lagunillas

La Casa de Carlitos (tem muitos comentários no booking.com e no tripadvisor): reserva pelo booking.com mas depois troquei vários e-mails com o proprietário. Pousada com atendimento feito pelos próprios donos. Chácara muito bem cuidada. Wi-fi só nas áreas comuns. Café da manhã incluído na diária. Carlitos dá dicas de passeios, caminhos e restaurantes na região

Fomos aos restaurantes Rancho Andino e El Campito, freqüentados por chilenos. Restaurantes simples e comida caseira bem gostosa.

Cajón de Maipo

Cajón de Maipo

Não conseguimos fazer os passeios tradicionais: Banõs Colina, Envase El Yeso e El Morado devido à chuva e à neve que obstruiu o caminho. Aproveitamos para apreciar a paisagem, passear pela região e visitar a vinícola Santa Rita.  Vale o passeio.

Valparaíso

Valparaíso: Museu Maritmo

Valparaíso: Museu Maritmo

Alguns restaurantes abrem só após as 13h para almoço. Visitamos o museu Marítimo Nacional. Organizado e conta um pouco da história do Chile. Tem uma parte reservada à história do resgate dos mineiros que ficaram soterrados em 2010. Tem tour especial para crianças, com guia.  Gostamos muito.

Viña del Mar

Pôr do sol em Viña del Mar

Pôr do sol em Viña del Mar

Orla/calçadão com parquinhos ótimos para crianças brincarem e apreciarmos o pôr do sol no Pacífico. Observar as casas/prédios em escadinha sobre o morro e o “funicular” externo que serve como elevador dos prédios.

Elevador/Funicular em Viña del Mar.

Elevador/Funicular em Viña del Mar.

Andar pela rua que acompanha a praia até as pedras onde ficam os lobos marinhos. Visitar o museu Fonck onde, na frente, tem o único moai fora da ilha de Páscoa ( mas também me falaram que tem um no museu Britânico…). A visita ao museu é bem bacana.

Moai do Museu Fonk de Viña del Mar

Moai do Museu Fonck de Viña del Mar

OBS. Alugamos um carro para ir à Valparaíso e Viña del Mar. Fizemos o passei o em um dia. Foi o suficiente para conhecer um pouco das duas cidades. Achei que foi bom primeiro irmos à Valparaíso e depois à Viña del Mar, terminando o passeio com o pôr-do-sol na orla. Mas para quem gosta da agitação noturna, de ir a barzinhos, o melhor é terminar o passeio em Valparaíso.

Adoramos o Chile e esperamos voltar para conhecer mais desse país hospitaleiro.

A série: Foi ao Chile. Conte pra gente é um sucesso! É um espaço para o leitor do blog contar como foi a viagem para o Chile, deixar dicas e até o que é “furada”.

Quer participar? Envie um e.mail para: [email protected]

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

2 comentários

Valparaíso e Viña del Mar - Como chegar por conta própria - Nós no Chile 13 de outubro de 2015 - 08:41

[…] Família fortes […]

Reply
Ivonete 9 de outubro de 2015 - 15:20

Sempre é muito bom termos algumas dicas sobre o Chile, estou gostando muito do blog e a cada dia tenho sempre algo para acrescentar em nosso roteiro…logo mais estaremos aí… Bjs!

Reply

Gostou? Deixe aqui seu comentário