Casas del bosque Chile

Foi ao Chile. Conte pra gente: Roteiro de 5 dias da Tati, do Pedro e da pequena Marina

Tati e Pedro viajaram com a filha Marina de 1 ano e 4 meses. Eles contam pra gente o dia a dia dessa viagem de 5 dias para o Chile.  A série: Foi ao Chile. Conte pra gente de hoje é por conta deles, vamos lá!

Texto e fotos: Tatiane Moreira

Nossa programação foi feita para uma viagem de domingo a sexta sem auxílio de empresas de turismo. Pesquisei tudo antes e contei com dicas do blog Chile para Crianças  e da querida e simpática Rosi do Nós no Chile. Os passeios no centro de Santiago fizemos a pé e para os mais distantes alugamos um carro na Chilean.  (reservado pelo site)

Nossa Ida:

Nossa viagem para o Chile foi a primeira internacional que fizemos com a Marina que tem 1 ano e 4 meses. Não tive opção de horário de vôo, mas por sorte o horário coincidiu com a hora de sono da pequena e ela dormiu metade do vôo! Levei uma panelinha e colher dos brinquedos dela (ela está nessa fase, louca por brincar de fazer comidinha) e ela ficou bastante tempo distraída com isso durante o vôo, “leu” as revistas da TAM, e assim conseguimos sobreviver às 4h de viagem sem traumas. O avião da TAM não tinha aquelas TVs individuais com filmes e não fosse os brinquedinhos  ficaríamos em apuros para distraí-la.

Dica: Na ida selecione um assento do lado esquerdo e na volta do lado direito do avião, assim terá a vista incrível da cordilheira!

Chegamos em Santiago no domingo às 17h (horário local) e ainda no aeroporto fui trocar alguns pesos e comprar um chip de celular para usar internet. A cotação no aeroporto é muito ruim (comprei por 172) e por isso troquei só o necessário para pegar o taxi (já que não vale a pena usar o cartão pelo valor alto do IOF) e pagar o jantar.

Dica: A diferença das companhias de taxi de dentro do desembarque e do lado de fora era de 1200 pesos. Saia da área de desembarque e peça o taxi nos guichês ao lado do portão de saída. A corrida até o hotel no centro de Santiago ficou em $21000 pesos.

Fiz a opção de não contratar GPS no aluguel do carro e comprei no aeroporto um chip de internet de 100Mb por $6000 pesos e me arrependi, porque a atendente disse que ao terminar eu poderia recarregar por $3000 pesos e teria internet ilimitada por 1 semana, mas não encontrei nenhum ponto de recarga que fizesse dessa forma. Se eu tivesse comprado o chip de 250Mb por $8000 pesos teria dado perfeitamente para os 5 dias de viagem.  Então minha dica é que um chip com 250Mb dá perfeitamente para 5 dias se você for usar bastante a internet, se não tiver grande uso e for mais para facebook e whatsapp um chip de 100Mb é suficiente.

Alimentação para bebê

Uma coisa que me consumiu algumas horas de sono antes da viagem foi como seria a alimentação da minha pequena nesta semana, pois eu li em vários blogs que não poderia levar comida pra ela, só industrializada, e minha filha não está acostumada a comer papinha Nestlé.  Acabei arriscando levar de casa uma refeição por dia de viagem (levei congelada em uma bolsa térmica) e levei algumas papinhas Nestlé para complementar, pensei que o pior que poderia acontecer era eu ter que jogar fora na fiscalização… Levei também uma pêra para ela comer no vôo e esse foi meu erro… Ao chegar em Santiago tem uma mensagem dizendo que você precisa preencher uma ficha sobre levar frutas, legumes e outros produtos agrícolas na bolsa. Achei que daria tempo de comer antes de passar pela fiscalização mas logo na esteira de retirada de bagagens passa uma funcionária com um cão farejador!! Sim! Um cão farejador!! Ele foi direto na nossa bolsa e deu alarme por causa da pêra!!! A funcionária nos mandou abrir a bolsa e disse que podíamos levar os potes com comida sem problemas, mas a pêra não podia entrar. Lacrou a nossa bolsa com um adesivo vermelho e nos deu uma ficha pra preencher novamente com uma etiqueta dizendo que foi o cachorro que encontrou a pêra em nossa bolsa. Todos nos olhando como se tivéssemos traficando drogas! Uma vergonha! Rsrs. Depois passamos por outro rapaz que nos deu um leve esporro por não ter declarado a pêra, jogou fora a fruta e nos liberou.

Marina não aceitou de jeito nenhum as papinhas Nestlé que levei, a sorte que tinha os potes de comida caseira, garanti pelo menos uma refeição completa por dia. As demais refeições ela ficou entre beliscar pão e batata nos restaurantes que íamos, mamadeira e peito. Ela também aceitou um purê de frutas da marca petit fruit que levei daqui, mas só o sabor maçã + maçã. Levei sabores variados e o de morango ela só provou e não gostou. Esse da foto ela comeu um pouco e enjoou.Purê de frutas

Lição aprendida: você pode sim levar potes com a alimentação do seu bebê de casa, mas não leve frutas, legumes ou verduras in natura. Apenas alimentos preparados podem entrar no Chile. Essa dica não vi claramente em nenhum lugar e me ajudaria muito saber antes da viagem, pois eu teria levado comida para todas as refeições.

Nossa Hospedagem

Hotel Panamericano –  muito bem localizado, fica bem no centro de Santiago, com muito comércio perto (o que para nós foi fundamental). Fica bem próximo de bancos, supermercado (que freqüentamos muito!), bares, café com pernas, restaurantes (nem tão bons mas dava pra quebrar o galho), lanchonetes, padarias, próximo do Palácio de La moneda, a 10 minutos do metrô (Moneda), e com farmácia ao lado. Achamos perfeito termos tudo o que precisássemos por perto. O hotel possui Wifi grátis e estacionamento bem perto do hotel, e os atendentes eram sempre solícitos e nos davam dicas de passeios. Achei o café da manhã um pouco fraco, com pouca variedade (principalmente de frutas). Quarto bem espaçoso, limpo, e disponibilizaram um berço para minha filha dormir. Só faltou o microondas no quarto (que tinham me informado por email que tinha e na hora não tinha).

1º dia: domingo – deixamos as malas no hotel e fomos de taxi para o restaurante Galindo (próximo ao pátio bela vista).  Pedimos um lomo a lo pobre que veio muito bem servido e delicioso! O pisco sour é muito bom também e lá descobrimos que o chopp no Chile não é servido tão gelado como aqui no Brasil, mas também é muito bom!

2º dia: Segunda-feira – Palácio de La Moneda, Cerro Santa Lucía, Plaza de armas e Catedral Metropolitana.

Palácio La Moneda Chile

Nas segundas-feira a maioria dos museus e pontos turísticos estão fechado, então aproveitamos para conhecer o centro de Santiago. Começamos em uma visita guiada ao Palácio de La Moneda (tem que reservar antes), fiz a reserva pelo site do Palácio duas semanas antes da viagem. Escolhemos o horário de 9:30h pois o museu fica bem perto do hotel que ficamos hospedados e iríamos iniciar o tour do centro a partir dali. Tivemos a grata surpresa de nossa visita ser no dia da Troca da guarda do palácio que acontece às 10h, um incrível espetáculo que já valeu a visita! O guia explicou que agora a troca da guarda é a cada mês em um dia da semana, um mês na segunda, no outro na terça, no outro na quarta e assim por diante. O palácio é lindo e pode tirar fotos em todas as salas visitadas. Não precisamos pagar nada pela visita.

Na entrada do palácio

Tiramos várias fotos no pátio do palácio e até com o guarda que fica na porta de entrada, de lá fomos caminhando até o cerro de Santa Lucía. O lugar é muito bonito mas não é muito bom para quem leva uma criança pois os degraus das escadas são muito irregulares e por vezes perigosos! Eu levei a Marina no sling e isso facilitou um pouco. Ela dormiu a maior parte do passeio e curtimos só eu e marido mesmo. O visual lá de cima é lindo! Mas praticamente não dá pra ver a cordilheira dos Andes pois a poluição é muito grande, em alguns momentos vemos uma parte ou outra da cordilheira, mas nas fotos a cordilheira quase nem aparece. Achei muito confuso o percurso por que as indicações não são muito boas, acabei não vendo o spaza netuno por que subimos pelo outro lado e eu não sabia como chegar lá.  É uma subida muito cansativa, ainda bem que tem os níveis pra você ir recuperando o fôlego!

Alto do cerro Santa Lucía

Levamos um baita susto quando estávamos chegando ao mirante! Todos os dias às 12h é dado um tiro pro alto! Lá de cima o barulho é muito alto, acho que é dali de bem perto, não soube ao certo… Ficamos paralisados, agarrados no corrimão! Muitos turistas se alarmaram, até que alguém explicou que já tinha lido na internet sobre aquilo e que era normal! Em tempos de terrorismo e violência elevada todos ficaram bem próximos do pânico! Passado esse susto, aproveitamos a vista do mirante para tirar lindas fotos!

Saindo do cerro de Santa Lucia por volta de 12:30h, resolvemos passar em Lastarria para almoçar, mas descobrimos que o povo chileno almoça bem tarde e a maioria dos restaurantes estavam fechados (só abriam 13h). Acabamos optando por voltar para o centro e continuar o passeio. Aproveitamos para trocar real por pesos no caminho onde tinha uma casa de câmbio na Rua Agustinas, com boa cotação. Quando chegamos lá a cotação tinha subido (vimos o valor na ida para o cerro para comparar com outras e trocar na volta) e compramos peso pela cotação de $200! Foi a melhor cotação de toda a viagem, troquei todo o real que levei lá. Próximo a casa de câmbio tinha um pequeno shopping onde almoçamos e consegui esquentar a comida da pequena no subway da praça de alimentação.

Fomos então para a Plaza de armas onde paramos em um restaurante com umas mesinhas na calçada e tomamos um gelato! Após o descanso fomos conhecer a catedral metropolitana, um lugar incrível, lindíssima! Vale muito a pena! Marina adorou correr pela enorme igreja! E na praça os carabineiros andam também a cavalo e são super simpáticos, deixam a criança fazer carinho no cavalo, e até ofereceram tirar uma foto com ela sentada em cima do animal! Pena que ela ficou com medo… rsrs

Cadetral

A noite jantamos no restaurante Ocean’s Pacific . O lugar é muito bacana e tem decoração náutica e ainda tem o incrível esqueleto de baleia no teto que dá um clima ainda mais divertido ao lugar. A comida é realmente maravilhosa!! Adoramos! O restaurante não é muito barato, mas tem várias opções e o garçom que nos atendeu foi super paciente e nos explicou TODO o cardápio! Ainda sugeriu pratos. Também tem pratos para crianças, mas a minha filha ficou na mamadeira mesmo (pelo horário) pra respeitar a rotina dela (acabamos saindo tarde para jantar). A localização do restaurante é que não achei muito boa, apesar de ficar próximo da estação de metrô Cumming, o lugar é muito escuro e deserto a noite e é melhor ir de taxi. O motorista cobrou 4mil pesos para nos levar e 4mil pesos para nos buscar. Isso por que pegamos o telefone dele no primeiro dia, porque chamando pelo hotel a corrida fica em 5mil pesos, pois o taxista paga uma taxa ao hotel de mil pesos pela indicação.

Restaurante Ocean Pacific´s

3º dia: terça-feira – Cerro San Cristobal, Zoológico, Parque Bicentenário de La infância

Para chegar ao cerro de San Cristobal descemos na estação de metrô Baquedano e fomos andando até o parque. É uma boa caminhada e paramos no pátio Bela vista para dar uma espiadinha. Chegando no cerro descobrimos que o funicular não está parando mais na estação do Zoo pois está em manutenção, tivemos que subir as escadas para o acesso ao zoológico. Optamos por subir primeiro ao cerro no funicular, pois a pequena estava dormindo e ao acordar ela aproveitaria o zoológico. Lugar lindo! Vista incrível de Santiago e não deixa nada a desejar ao cerro Santa Lucia, e é bem menos cansativo pois subimos de funicular. Lá no alto tem uma capela e a Santa, onde muita gente vai fazer orações.

Cerro san cristóbal Chile

Lá no alto tem um quiosque onde podemos tomar um gelato ou comprar uma água. Tem também uma feirinha onde vimos alguns itens mais em conta do que outros lugares, os atendentes são muito simpáticos e deram um chaveiro de lhama e um instrumento musical (tipo uma flauta) de presente pra Marina!

Pegamos o funicular de volta e fomos para o zoo. O zoológico é lindo! Muito bem conservado e com enorme variedade de animais! Emocionante ver a carinha da Marina de espanto ao ver o elefante! Fofo! Sentimos falta de ter um roteiro para seguir na visita ao zoo, ficamos meio perdidos no início porque lá é muito grande e as vezes você se perde. Importante pegar o mapa que eles fornecem para não perderem nenhum caminho. O lado ruim foi o horário que escolhemos, chegando após o almoço dos animais, e por isso a maioria estava domindo… Não vimos os tigres, e o leão estava bem longe da grade deitado…

Zoológico de Santiago

Saímos do zoo e fomos almoçar em um dos restaurantes ali perto para depois ir para o parque bicentenário de La infância. Tentamos pegar um taxi, mas o taxista disse q era perto e dava pra ir andando. Me arrependi muito!! É uma longa caminhada! Principalmente para a gente que estava com uma bebê. Mas ao chegar no parque esquecemos de tudo! O parque é lindo e muito bem cuidado! Uma área gigantesca, dedicada a crianças. Logo na entrada tem umas bolas que tem um esquincho de água (tipo chafariz) que faz a alegria da criançada, principalmente no calor que estava fazendo!!

Parque de la infancia Chile

4º dia: quarta-feira: Vinícola Casas Del Bosque e Viña del Mar

Quarta saímos bem cedinho do hotel pois iríamos alugar um carro para os passeios para fora de Santiago. Eu fiz uma reserva no site do chileanrentacar e ao recebermos o carro vimos que o pneu estava careca, e pedimos pra trocar o carro (eles resistiram no início mas não cedemos! Tem que observar bem o estado dos carros que nos entregam, ainda mais pegando estrada com criança.), o que nos atrasou e perdemos o horário reservado para a visita guiada na vinícola Casas Del Bosque. Mas não foi problema, pois conseguimos fazer o próximo tour de 12:30h, que acabou sendo só com a gente! Muito lindo mesmo!! Tem um parquinho (que acabamos não usando pois estava muito sol) e “platos para niños”. O restaurante é maravilhoso!! Comida deliciosa! Pedi uma costela e meu marido pediu um prato com peixe que foi sugestão da atendente e não nos arrependemos, estava maravilhoso!

Casas del bosque Chile

Após o almoço fomos até Viña Del Mar, visitamos o relógio de flores e passeamos na orla, só não conseguimos visitar o Castello Wullf pois estava fechado para manutenção. Viña tem uma orla incrível! Deixamos o carro no estacionamento ao lado do Hotel Sheraton e fizemos o passeio andando, é bem pertinho.

Viña del Mar Chile

Pegamos o carro e fomos até o museo Fonk, onde vimos no primeiro andar uma exposição muito legal sobre povos antigos do Chile e objetos arqueológicos. No andar de cima, tinha uma exposição de animais empalhados muito bacana para crianças! E do lado de fora tem o grande moai, um dos poucos localizados fora da ilha de Páscoa.

Neste dia jantamos próximo ao hotel pois estávamos cansados, mas não gostamos do local. Escolhemos o restaurante La Piccola Itália, pedimos uma massa mista (com ravióli, espaguete e lasanha) que apesar de bem servida (em quantidade) o molho tinha gosto de velho e requentado e os raviólis estavam muito ruins. O valor da refeição é barato mas não vale a pena. O pisco servido também não estava nada bom, além de ser servido em uma taça mínima. Não recomendo.

 

5º dia: quinta-feira – Isla Negra

Isla Negra Chile

Neste dia eu tinha programado fazer compras após o retorno de Isla Negra, mas acabamos ficando muito cansados e resolvemos aproveitar a última noite próximo ao hotel mesmo. Até por que o passeio demorou um pouco mais do que o planejado. Tive que sacar mais dinheiro pois acabou o que levei do Brasil e o procedimento no banco demorou muito!

Chegando em Isla nos informaram que não poderia parar o carro em frente a casa museu de Pablo Neruda e que tínhamos que parar em um estacionamento ($500 pesos cada meia hora!) e caminhar até lá. A distância é de mais ou menos 10 a 15 minutos dependendo do seu ritmo e tem subidas no caminho. Chegando lá vi alguns carros parados na porta e não souberam me dizer o porque. Chegamos lá por volta de 13:30h, hora em que a casa museu está fechada, então compramos o ingresso e fomos almoçar para aguardar o próximo horário (15h). Eu tinha feito uma reserva para as 14h e eles prontamente adiantaram o horário. O atendimento lá é excelente e a comida deliciosa, vale a pena reservar ali ao invés de comer em outro lugar (até porque não vi muitas opções na cidade). A vista é incrível e o clima extremamente agradável! Quando chegamos estava nublado mas logo abriu um sol lindo pra ficar ainda mais bonito o lugar! Foi muito bom termos reservado o restaurante antes pois quando chegamos já tinha uma mesa disponível para a gente.

Isla Negra Chile

Dentro da casa de Pablo Neruda não pode tirar fotos, então aproveitamos bastante a área externa que é linda! Só conhecemos essa casa das três e achei perfeita! Na entrada recebemos um áudio guia em português que conta a história de cada cômodo da casa.

Descemos até a praia por um caminho ao lado da casa museu, é uma descida meio íngreme, cheia de vendedores de artesanato. Lá embaixo tem um quiosque e só. Tem um canto onde as pedras fazem um tipo de piscininha e as pessoas aproveitam para se banhar e matar o calor que faz por lá. Tive que ir até lá e por os pés no pacífico!

Na volta ao hotel paramos num dos bares próximos (e tinham muitos!) para nos despedirmos do Chile, já que no dia seguinte cedo estaríamos de volta ao Brasil. Escolhemos o bar Maxy 2, na Paseo Huérfanos, e aproveitamos o bife a lo pobre e o chopp e Marina o pãozinho.

6ºDia: Hora de voltar pra casa

No dia seguinte bem cedo fomos para o aeroporto e devolvemos o carro alugado lá. A devolução foi bem rápida e sem problemas e não atrasou nosso embarque. Voltamos já com saudades desse país que foi tão hospitaleiro e de tão belas paisagens!

Dicas do Chile

Você foi ao Chile e quer contar sua viagem e suas dicas pra gente? mande uma e.mail para mim: [email protected]

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Artigos Relacionados

About the Author

Rosi Guimarães
Author with 226 posts
More about Rosi Guimarães

Sou Rosi Guimarães, mineira de Belo Horizonte, casada com Flávio e mãe do Arthur e da Yasmim. Moramos no Chile desde 2014. Relações Públicas e pós-graduada em cerimonial e organização de eventos. Deixamos uma vida bem estruturada em Belo Horizonte e cá estamos: NÓS NO CHILE!
- Facebook: nosnochile
- Twitter: @nosnochile
- Instagram:@blognosnochile
- snap: blognosnochile

1 Comment

  • Foi ao Chile. Conte pra gente: Viagem da Caroline, do Raphael e do pequeno Bernardo
    22 de fevereiro de 2017 - 21:23

Gostou? Deixe aqui seu comentário

A AUTORA

Rosi Guimarães

Sou Rosi Guimarães, mineira de Belo Horizonte, casada com Flávio e mãe do Arthur e da Yasmim. Moramos no Chile desde 2014. Relações Públicas e especialista em cerimonial e organização de eventos. Deixamos uma vida bem estruturada em Belo Horizonte e cá estamos: NÓS NO CHILE!

Mondial Travel - Nós no Chile
Rentcars - Nós no Chile
10% de desconto - Brazilian Travel Card

TEMPERATURA

Santiago - Chile
12°
Weather from OpenWeatherMap