Foi ao Chile. Conte pra gente: Roteiro do casal que foi para o Atacama

por Rosi Guimarães

Galerinha, a série está um sucesso. São as histórias de quem viajou para o Chile e estão aqui contando pra gente e deixando um montão de dicas. E quem deixa o roteiro completinho da viagem é o casal de namorados Kelvin Rinaldi e Luana Dillmann, que além de Santiago, foram conhecer também o deserto do Atacama.  Veja que viagem linda!

Kelvin e Luana

Texto e fotos: Luana e Kelvin

Dia 01: (10/07) Sexta – CHEGADA EM SANTIAGO

Partimos de Porto Alegre em direção ao Chile, fizemos uma escala em Buenos Aires e chegamos em Santiago por volta das 19h. Ao chegar no aeroporto contratamos um transfer compartilhado pela Transvip  pelo valor de $7.000 por pessoa.

Hospedamos no hostel Providencia Bed And Breakfast – Rua Alberto Magno, próximo da Avenida Manuel Montt, cerca de 8 minutos da estação do metrô Manuel Montt, próximo de supermercados e restaurantes.  Hostel bem organizado, e o quarto de casal com aquecedor e banheiro privado, tudo limpo. Como eram 9h da noite, saímos para dar uma volta pela redondeza e comer alguma coisa. Acabamos comendo o famoso cachorro quente com palta (abacate) no CharlyDog – $ 2.000 com bebida por pessoa.

Dia 02 – (11/07) Sábado – SANTIAGO

Cerro santa Lucía

Cerro santa Lucía

Após acordar, tomamos café no próprio hostel, que estava incluso na diária e fomos de metrô até a estação Bellas Artes para conhecer o museu com o mesmo nome. O museu não possui uma grande exposição, porem vale a pena a visita, principalmente pela arquitetura, a entrada é gratuita. Depois passeamos pelo Parque Florestal e seguimos a pé até o Plaza de Armas, cerca de 10 minutos de caminhada, na praça visitamos a Catedral de Santiago e fomos até o Museu Casa Colorada que se encontrava fechado.

Como já havia passado das 13:00, fomos almoçar, optamos por um pequeno restaurante no centro de Santiago. Preço: $7.000. Prato grande, suficiente para dividir entre duas pessoas. Após o almoço fomos caminhando até o Cerro Santa Lucia, que tem entrada gratuita. O dia havia amanhecido com um pouco de chuva, que serviu para limpar o céu e deixar a vista melhor.

A noite pegamos o metrô e fomos até o Shopping Costanera Center, que fica próximo à estação Tobalaba. Infelizmente quando fomos ainda não estava liberado o acesso até o mirante da torre. No shopping existe uma serie de lojas e locais para fazer lanche. No final do dia retornamos para o hostel e tomamos um café na Gelatería Decocco, próximo ao hostel. Preço: $ 3.000 para duas pessoas.

Dia 03 – (12/07) Domingo

Palácio La Moneda

Palácio La Moneda

No nosso terceiro dia fomos até o Palacio La Moneda, onde assistimos a troca de guarda, que leva mais ou menos 40 minutos. Visitamos o Centro Cultural La Moneda, que possui entrada gratuita. Hora de almoçar: $7.000 para um prato e dividimos. Depois fomos conhecer  o Museu de Arte Precolombino $2.500 para estudante. De lá partimos para Basílica La Merced.

A noite aproveitamos para ir  supermercado comprar uns lanchinhos para o dia seguinte, que era o dia dedicado a tão esperada neve.

Dia 04 – (13/07) Segunda – DIA DA NEVE

Farellones

Farellones

Já sabíamos que era melhor ir até as estações de esqui durante a semana para fugir do alto número de pessoas que sobem a cordilheira nos finais de semana. Escolhemos Farellones, pois como nunca havíamos visto a neve queríamos aproveitar para fazer atividades mais básicas, como o famoso tubing (skibunda).

Como fomos? Optamos por fazer o transfer pela empresa El Colorado, localizada no centro comercial Omnium, no bairro Las Condes. Preço: $16.000 para duas pessoas, e este transfer foi o único problema que tivemos durante toda a viagem. A empresa El Colorado faz o transfer para as estações Farellones e El Colorado. A van saiu do centro comercial às 8h, com turistas que iriam tanto para a Farellones como para El Colorado. O problema é que o motorista levou todos para El Colorado, e depois devido a reclamação, fomos levados para Farellones. Chegamos em Farellones bem cedo, 9h30 e o motorista combinou que nos buscaria às 17h30, no mesmo local que nos deixou.

Farellones

Farellones

DICA: Como não tínhamos entre os objetivos praticar ski ou snowboard, deixamos para alugar na estação de esqui a calça térmica e as botas, como eu já tinha uma bota para trilha, não vi necessidade de alugar uma para mim, e de fato não precisei, portanto alugamos os seguintes itens:

  • 2 calças térmicas (masculina e feminina);
  • 1 par de botas femininas;
  • Preço: 24 mil pesos –  o custo das mesmas peças em Santiago era basicamente o mesmo, mas recomendo que tente alugar em Santiago, para não correr o risco de chegar à estação de esqui e não ter algo do seu tamanho.

Farellones iria abrir apenas às 12h, mas desde cedo já estavam vendendo tickets para as atividades. Os preços por pessoa seguem abaixo:

  • Panorâmico (Ida e Volta no Teleférico): $7.000
  • Tubing (Skibunda): $13.000

No momento que você compra os tickets você escolhe o horário que deseja, menos para o teleférico, que não precisa de hora especifica.

Com os tickets em mãos, 12h fomos fazer o passeio de teleférico que te leva até uma parte mais baixa do parque, onde está disponível outras atividades, como o patinação no gelo e pistas de esqui para iniciantes, além de uma parte rochosa muito bonita. Ficamos lá por um tempo, tirando algumas fotos e caminhando, depois voltamos com o teleférico.

14 horas: pausa para o lanche, havíamos levados alguns sanduíches e água. Optamos por fazer este tipo de lanche e economizamos bastante.

15 horas: fomos para o tubing, o ticket para o tubing é valido por uma hora, e é mais do que o suficiente para descer dezenas de vezes, pois são poucas pessoas que fazem esta atividade por hora.

17 horas: fomos devolver as roupas que tínhamos alugado, e aguardar a van que deveria passar às 17h30 e a van não apareceu. Então fomos pedir apoio no parque Farellones. Eles entraram em contato com a agencia El Colorado que mandou uma van para nos buscar. A van chegou às 18h30 e às 20hs já estávamos em Santiago. Nossa experiência com o transporte El Colorado não foi a melhor possível, tivemos problemas na ida e na volta, porém nada que tenha estragado a experiência do primeiro contato com a neve.

Dia 05 – (14/07) Terça – SANTIAGO

Cerro San Cristóbal

Cerro San Cristóbal

Dia de conhecer o Patio Bellavista, era bem cedinho e estava vazio. Demos uma olhada e fomos para o museu La Chascona – uma das casas do poeta chileno Pablo Neruda. Preço: 2 mil pesos por pessoa, ticket de estudante. Um local que realmente valeu a pena visitar.  Na entrada você recebe um aparelho com um áudio guia para a visita guiada que explica tudo sobre a casa. 13 horas, fomos para o Parque Metropolitano de Santiago,  subimos no funicular, que te leva até o zoológico e até o topo do Cerro San Cristóbal. Preço: $ 2.000 por pessoa. Fizemos a parada no zoológico, como estávamos em Julho havia muitas crianças, pois era período de férias. Conhecemos o zoológico e depois pegamos novamente o funicular e partimos até o alto do Cerro San Cristobal, a subida com o funicular é rápida, leva apenas alguns minutos. Chegando lá em cima, podemos ter uma bela vista da cidade com a colossal cordilheira ao fundo, mesmo com a nevoa que encobre a cidade. Ficamos um tempo junto a estatua de Virgem Maria aproveitando o sol e depois fomos provar o Mote con Huesillos – bebida doce a base de trigo e pêssego.

Zoológico de Santiago

Zoológico de Santiago

Em seguida, como já era próximo das 15 horas, fizemos um lanche rápido em um Taco Bell próximo ao Patio Bellavista e fomos até uma feira de rua entre o Patio Bellavista e o rio Mapocho, nesta feira tem vários produtos como os que são vendidos no PatioBellavista, porem com um valor melhor. Em seguida voltamos para o hostel, pois no dia seguinte teríamos que pegar o voo para San Pedro de Atacama.

Dia 06 –(15/07) Quarta – DESERTO DO ATACAMA

Kelvin e Luana

Combinamos com um taxista, amigo do dono do hostel para nos levar para o aeroporto. Nosso voo era pela LAN, foi nossa primeira experiência com esta companhia e gostamos muito, o atendimento foi o melhor que tivemos até hoje. Chegamos em Calama, cidade que possui o aeroporto mais próximo de San Pedro de Atacama às 10h. Já havíamos negociado o transfer pela internet e fechado pelo valor de $18.000 por pessoa. O deslocamento até San Pedro de Atacama leva em torno de 1h30. Chegamos ao hostel Mamatierra em torno de 12h, e fomos recebidos por uma das funcionárias que nos apresentou o hostel e também ofereceu alguns passeios de uma parceria entre uma agência e o hostel.

Depois fomos dar uma volta pela cidade, e consultar valores de passeios nas demais agências de turismo e almoçar. O almoço em San Pedro de Atacama saiu mais em conta do que em Santiago – $9.000 para duas pessoas com bebida. San Pedro de Atacama é concentrada principalmente nas proximidades da rua Caracoles, que onde fica quase todas as agências de turismo, lojas, restaurantes, mercados e bancos.

Após a comparação dos preços, optamos por fechar os passeios com a agencia parceira do próprio hostel, pois o valor era mais em conta, ao todo, sem o valor das entradas, gastamos o equivalente a R$1.100 Reais pelo seguintes passeios:

  • Valle de La Luna e Valle de La Muerte
  • Salar de Atacama com Lagunas Antiplánicas e Piedras Rojas
  • Salar de Tara
  • Valle Del Arcoiris

Aproveitamos o resto do dia para conhecer um pouco mais a cidade e comprar alguns lanchinhos para a noite e para levar nos passeios que iriam iniciar no dia seguinte.

Dia 07 – (16/07) Quinta – VALLE DE LA MUERTE E VALLE DE LA LUNA

Valle de la Muerte

Valle de la Muerte

Como este passeio iniciava apenas as 15h30, aproveitamos para descansar durante a manhã, e depois fomos novamente até o centro para tirar algumas fotos e visitar algumas feiras de artesanatos. Aproveitamos para comer uma pizza – $6.000. Em seguida voltamos para o hostel para aguardar o nosso guia que chegou pontualmente no horário marcado, fomos em uma van, com cerca de 10 pessoas até o Valle de La Muerte e Valle de La Luna, ambos são próximos da cidade, levamos cerca de 15 a 20 minutos para chegarmos no Valle de La Muerte. Depois fomos para o Valle de La Luna, no qual tivemos que pagar um valor de entrada de aproximadamente 2 mil pesos por estudante. Esse é o local que mais se assemelha com a lua na terra, sendo inclusive utilizado pela Nasa para alguns testes, principalmente com robôs.

O Valle é rico em sal, e nele visitamos Las Três Marias, fizemos algumas trilhas e visitamos algumas cavernas, tudo isso acompanhados do guia, que explicava sobre a formação do local ao longo de milhares de anos, por fim fomos até o Mirador de Kari, local onde se encontra a famosa pedra do Coyote, tinha uma fila relativamente grande para tirar uma foto nesta pedra, porem valeu a espera, e por fim aguardamos o pôr do sol que faz com que as montanhas fiquem com uma tonalidade vermelha. Acredito que este passeio é a melhor opção para o primeiro dia, pois é mais curto e não possui altitude, como se inicia a tarde é calor, porém ao final do dia começa a esfriar.

Pedro do Coyote - Valle da la Luna

Pedro do Coyote – Valle da la Luna

Dia 08 – (17/07) Sexta – SALAR DE ATACAMA E LAGUNAS ANTIPLÁNICAS

Lagunas Antiplánicas

Lagunas Antiplánicas

O passeio iniciou  cedo, o guia chegou 7h15 para nos pegar no hostel. Como era um passeio mais distante da cidade e com trilhas, fomos com um carro 4×4 equipado com rádio via satélite para caso de problema. Fomos logo em direção ao Salar de Atacama, que ficava em torno de 45 minutos da cidade e ao chegarmos o sol ainda estava nascendo, e como o Salar de Atacama é formado por lagunas estava muito frio, para nós foi o dia mais frio. A temperatura estava em torno de 0°, já estamos acostumados com o frio no Sul do Brasil, porém o vento que existia no Salar passava a sensação de mais frio.

No Salar foi possível admirar os flamingos que ficam nas lagunas, além de fazer algumas pequenas trilhas, tivemos uma meia hora de tempo livre e depois o guia preparou o café da manhã. Nos passeios que começam muito cedo o café da manhã esta incluído, e nos que se estendem até a tarde o almoço também.

Kelvin e luana

Em seguida partimos para as Lagunas Antiplánicas, no caminho paramos em um pequeno vilarejo onde o guia nos apresentou o método de plantio de batatas do povo que ali reside e visitamos uma pequena e antiga igreja de barro. Para mim foi o lugar mais bonito que visitei no Atacama, são duas lagunas a Miscanti e Miñiques, que ficam cerca de 10 minutos de caminhada uma da outra, é difícil dizer qual é a mais bela. A altitude neste ponto é de 4200 metros, deu para sentir um pouco de tontura durante as caminhadas, por isso é bom ir com calma e beber agua e comer alguma coisa durante a caminhada, no meu caso foi uma barra de cereal. Vale ressaltar que os passeios que possuem altitude a temperatura se mantem baixa, mesmo durante o período de meio dia, porém é importantíssimo a utilização de filtro solar, pois o sol é muito forte.

Pedras Rojas

Pedras Rojas

Após conhecermos as Lagunas Antiplánicas embarcamos no carro e fomos em direção as Piedras Rojas, as agencias geralmente oferecem o passeio contemplando o Salar de Atacama com as Lagunas Antiplanicas, e algumas oferecem um passeio que contempla as Piedras Rojas, e realmente vale a pena este passeio. Trata-se de uma região onde as pedras possuem uma tonalidade vermelha e ficam junto a um lago que durante o inverno fica congelado.  Na volta, em torno de 16h paramos em um restaurante para almoçar e voltamos para San Pedro do Atacama.

Dia 09 – Sábado (18/07) – SALAR DE TARA

Salar de Talar

Salar de Tara

Novamente acordamos cedo, o passeio se iniciava ÀS 7h30, e tinha como destino o local que mais esperava conhecer no Atacama, Salar de Tara. No caminho até o Salar paramos em um local no qual podíamos ter uma bela vista do vulcão Licancabur para tomarmos o café da manhã e em seguida seguimos até o nosso destino. Tivemos algumas outras paradas pontuais, como em um lago congelado, para tirar algumas fotos, e também para que algumas pessoas que ainda não conheciam a neve ter o contato com ela.. Nossa segunda parada foi próxima a divisa com a Bolivia, que ficava a cerca de 5 km de distancia, e depois seguimos tendo como objetivo final o Salar.

Kelvin e Luana

É necessário enfrentar um trecho de aproximadamente 40 minutos em trilha, visto que depois de certo ponto não há mais estrada, por isso da necessidade de um veiculo 4×4 para enfrentar o sobe e desce e até mesmo a neve, por fim chegamos no Salar de Tara, em um ponto em que estávamos a 4500 metros de altitude segundo o guia, é possível ter uma bela visão deste lindo salar em sua imensidade, tivemos um tempo para tirar algumas fotos e depois fomos a caminho de uma laguna na parte mais baixa para que o almoço fosse servido.

Salar de Tara

Salar de Tara

15h voltamos para San Pedro do Atacama, e aproveitamos o resto do dia para comer, e assistir um pouco de televisão com outros turistas.

Dia 10 – Domingo (19/07) – VALLE DEL ARCOIRIS

Valle Arcoiris

Valle Arcoiris

Para o penúltimo dia no deserto, reservamos um passeio fora da rota dos principais passeios realizados pelos turistas, fomos conhecer o Valle Del Arcoiris. Logo na entrada do Valle, paramos para tomarmos o café da manhã e em seguida fizemos uma breve caminhada entre alguns canyons e durante a caminhada o guia nos contou um pouco sobre a origem da formação deste local, vulcões e o cinturão de fogo.

Kelvin e Luana

Em seguida continuamos de van por mais alguns percurso para então iniciarmos uma trilha, nesta trilha era possível admirar as diversas cores que fazem este Valle ser conhecido como Valle Del Arcoiris, segundo o guia esta é uma cordilheira não tão grande como a cordilheira dos Andes, porém, muito mais antiga, e as diferentes tonalidades existem devido a oxidações que ali vem ocorrendo ao longo de milhares de anos. Este passeio geralmente é realizado por quem tem tempo sobrando no Atacama, mas indicamos que você inclua esta atividade na sua lista, pois a mistura de montanhas e rochas de diferentes cores forma uma bela paisagem, fechando com chave de ouro nosso último passeio no deserto do Atacama. Voltamos para San Pedro do Atacama por volta de 14 horas, e aproveitamos para almoçar e no resto do dia fomos comprar algumas lembrancinhas para a família.

Dia 11 – (20/07) Segunda – DIA DE VOLTAR PARA SANTIAGO

Como o nosso voo esta marcado para as 15h30, a empresa do transfer nos pegou no hostel 12h, e em torno de 13h45 já estávamos no aeroporto, despachamos as malas, almoçamos e aproveitamos para conhecer um pouco este pequeno aeroporto. O vôo partiu no horário agendado, e em torno de 17:30 chegamos em Santiago, como era cedo e já estávamos mais acostumados com cidade, optamos por não ir de transfer até o hotel, pegamos o TurBus, que nos deixou na estação central, que possui ligação direta com o metro, gastamos ao todo durante o trajeto em torno de 35 reais para duas pessoas, muito mais em conta do que o transfer compartilhado que pegamos quando chegamos a Santiago. Como tínhamos o resto da noite, aproveitamos para comer alguma coisa e caminharmos um pouco mais pelo bairro Providencia.

Dia 12 – (21/07) Terça- SANTIAGO

Centro de Santiago

Centro de Santiago

Para este dia tínhamos decido visitar mais alguns pontos turísticos e comprar as lembrancinhas que ainda não tínhamos comprado. Fomos até a feira de Los dominicos, que fica próximo da ultima estação da linha 1 (vermelha). É uma pequena feira onde artesãos vendem seus produtos, desde alimento até vestiário, porem vale resaltar que o preço não mudou muito do que encontramos na feira que fica próxima ao parque bellavista. Depois partimos até a parque Quinta Normal, que fica na linha 5 (verde), este é um imenso parque e nele existem alguns museus, fomos visitar o museu nacional de historia natural do Chile, é uma atração livre para estudantes e vale muito a pena, principalmente estando com crianças, pois tem acesso a informação que explica as diferentes regiões deste país, além de apresentar a fauna de cada região.

Depois fomos fazer um lanche e comprar as últimas lembrancinhas no Patio Bellavista, e então já ao anoitecer, voltamos para o bairro Providencia, onde degustamos pela ultima vez do cachorro quente com palta (abacate), que ainda me  dá saudades.

Dia 13 – (22/07) Quarta – DIA DE VOLTAR PARA O BRASIL

O ultimo dia no Chile, já estávamos com saudades de todas as experiências únicas que vivenciamos neste país, que teve uma ótima recepção e nos deixou com vontade de retornar, o nosso vôo partiu de Santiago as 10h, tivemos uma parada em Buenos Aires, e por às 17 h chegamos Porto Alegre.

Viajou para o Chile e quer contar pra gente? envie um e.mail para: [email protected]

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

9 comentários

Deserto do Atacama com a família Mussili 14 de setembro de 2016 - 13:05

[…] Aqui mais um post sobre o Deserto do Atacama com roteiro completo. […]

Reply
Porque o Chile caiu no gosto dos turistas brasileiros 21 de julho de 2016 - 14:37

[…] conhecer Santiago e arredores e querem voltar para visitar a região norte do país, onde está o Deserto do Atacama, ou o Sul, onde estão os lagos e a Patagônia. Ou ainda, vêm no verão e querem voltar no inverno […]

Reply
O que gostamos em Santiago do Chile - Nós no Chile 21 de outubro de 2015 - 07:10

[…] Sou louca para viajar por todo o Chile. (Nas férias de julho conhecemos Pucón, no Sul do Chile e nos encantamos. Aqui você pode conferir os posts dessa nossa viagem).  Outro lugar que sou louca para conhecer é o Deserto do Atacama, como ainda não pude ir para contar para vocês, deixo o post do blog MALAS E PANELAS. Eles foram (e com criança) e amaram. Clique aqui para ver o post e as lindas fotos. Na série: Foi ao Chile. Conte pra gente, também tem post do Atacama, confira aqui. […]

Reply
12 Curiosidades sobre o Chile - Nós no Chile 27 de setembro de 2015 - 15:55

[…] Atacama, o deserto mais árido e com menor quantidade de chuvas. O Atacama ficou sem chuva por 40 anos, não sei se é verdade, mas que lá quase não chove isso sim, é verdade. Aqui um post com um roteiro completo para conhecer o Atacama. […]

Reply
Gisele Cavalcante 26 de setembro de 2015 - 19:48

Gostaria de saber o nome da agência de turismo responsável pelos passeios do Atacama. Estarei lá no período de 1.11 a 6.11.

Reply
Kelvin Rinaldi 28 de setembro de 2015 - 13:39

Olá Gisele,

A agência parceira do hostel era a Voyage Atacama.

Abraço.

Reply
Luana Dillmann 28 de setembro de 2015 - 14:04

Oi Gisele, nós verificamos várias agências de turismo em San Pedro de Atacama lá no centro mesmo, na rua Caracoles, porém optamos por pegar o pacote que o hostel que ficamos (Mamatierra) nós ofereceu, saiu mais barato!! Assim como o Kelvin disse, a agência parceira do hostel era a Voyage Atacama.

Reply
Graciane 24 de setembro de 2015 - 19:36

Nossa,amei o relato de vcs.
Estive em Santiago agora em agosto e TB gostei mto.
Tenho muita vontade de ir ao Atacama e agora mais ainda,suas dicas estão excelentes.
Valeu

Reply
Kelvin Rinaldi 25 de setembro de 2015 - 07:30

Obrigado Graciane, o Atacama é incrível, vale a pena visitar.

Reply

Gostou? Deixe aqui seu comentário