Jantar às cegas – uma experiência inesquecível no Chile

por Rosi Guimarães

Trata-se de um jantar servido em um ambiente totalmente escuro. Para mim, foi uma experiência muito mais profunda e emocionante do que eu podia imaginar. Já tinha ouvido falar no Jantar de los sentidos, promovido pelo restaurante Castillo Forestal – um castelo de 1910, hoje considerado Patrimônio Nacional. Não tem como não passar pelas ruas próximas e não notá-lo em plena região central.

Participei de uma das experiências mais diferentes de todo este meu tempo aqui no Chile. Uma cena à ciegas. Mas o que é isso?

Voltando ao jantar, imagina a sensação de comer com seus olhos fechados, sem saber o que está comendo e ser servido por dois garçons cegos, Juan Pablo e Paola. Contarei minha experiência de forma bem resumida para não estragar a surpresa e o post será quase sem fotos. Você precisa ir para ter a oportunidade de sentir o que eu senti. Enquanto escrevo, estou revivendo toda a emoção do momento.

Como foi o jantar às cegas

As boas-vindas foram dadas pelo dono do restaurante, o francês Nicolás Sanson que nos recebeu no jardim do restaurante com uma taça de espumante e explicou um pouco sobre o projeto de inclusão que desenvolve em seus restaurantes em Santiago. Preocupado com a questão, Nicolas contou um pouco sobre como é enriquecedor ter funcionários com algum tipo de deficiência.

Depois desse primeiro momento, entregamos nossos celulares e tiramos os relógios, que poderiam gerar alguma luz. O objetivo era a escuridão total. Quem me acompanha nos stories no @blognosnochile viu que, antes de começar o jantar, mostrei rapidamente o local e simulei como seria a experiência na escuridão. Formamos duas filas e fomos guiados pelos Juan Pablo e Paola para a sala do jantar.

Quando chegamos ao ambiente totalmente escuro, começou nossa dificuldade de encontrar os talheres, as taças e os pratos. Então, foi o momento de apelar para os outros sentidos, além da visão. Resolvi usar o tato e tocar em tudo para reconhecer o local.

Fomos avisados que havia pão e manteiga na mesa. Minha mão foi direto na manteiga e ficou toda suja. Também tive dificuldade em usar a faca. Enquanto comia o pão com manteiga, cada um se apresentou. Éramos 28 pessoas, entre chilenos e alguns brasileiros.

Os pratos e os vinhos foram servidos pouco a pouco – entrada, prato principal e sobremesa. Minha dificuldade foi aumentando, enquanto eu tentava descobrir o que estava comendo, onde estava minha faca, minha taça de vinho branco, minha taça de vinho tinto. 

Me coloquei no lugar da Paola e do Juan Pablo o tempo todo. Com uma diferença: após o jantar eu voltaria a enxergar e eles não. Eles já aprenderam a lidar com a escuridão e são capazes de trabalhar, estudar, cuidar da casa.

Como eu aprendi com esse jantar! Por isso, considero uma das experiências mais enriquecedoras que vivi aqui no Chile nestes cinco anos. Não quero dar mais detalhes para que gere expectativa e você não chegue lá sabendo tudo que vai acontecer. A verdade é que, enquanto o Juan Pablo e Paula se desenrolaram com tudo, eu tinha minhas limitações.

O jantar às cegas me fez abrir os olhos para muitas coisas, questões simples que não valorizamos. Foi uma noite de reflexão, num ambiente bem descontraído e que no final todos se emocionaram contando os sentimentos da noite.

Informações:

  • Próximas datas do jantar: 8 e 22 de outubro; 12 e 26 de novembro; 10 de dezembro. Sempre às 20 horas.
  • É preciso reservar através do email : [email protected]
  • Endereço: Av.Cardenal José Maria Caro, 390 – em frente ao Museu Bellas Artes

Obrigada ao Castillo Forestal e a agência 321 pelo convite. Uma experiência que estará para sempre na minha memória.

Texto revisado por Bárbara Mussili, criadora do blog Refúgio Ameno.

Posts Relacionados

Gostou? Deixe aqui seu comentário