O que você precisa para alugar um carro no Chile? Veja aqui!

por Rosi Guimarães

Viajar de carro pelas estradas do Chile pode ser uma opção bastante econômica, principalmente para quem está em grupo e deseja visitar diferentes cidades. Como alguns locais exuberantes ficam bem distantes da capital Santiago, os preços de passagens terrestres e aéreas podem ser bem caros.

Pensando nisso, alugar um carro no Chile é uma alternativa bastante prática para os brasileiros que cruzam a Cordilheira dos Andes em busca de desvendar as maravilhas do país andino. E uma boa notícia: o aluguel de veículos no Chile é considerado bem barato.

Então, decidimos escrever este post para explicar a você tudo sobre os procedimentos relacionados ao serviço, e ainda vamos comentar por que você deve considerar os serviços da RentCars ― parceira do Nós no Chile e que tem um serviço excelente. Venha com a gente e confira!!

Quais os passos para alugar um carro no Chile?

A maioria dos brasileiros que viaja para o Chile encontra em Santiago sua porta de entrada para o país, pois o desembarque se dá no Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benítez. De lá, acontece o traslado para hotéis na própria capital ou para cidades famosas como as litorâneas Valparaiso e Viña del Mar, distantes pouco mais de 100 quilômetros dali.

Independentemente do trajeto, você pode sair do próprio aeroporto em um carro alugado. Para ter acesso a esse serviço, é possível reservar previamente pela internet ou fechar o serviço pessoalmente no setor de locações de veículos.

Normalmente esse processo é bem rápido, especialmente se você já chegar com uma reserva prévia. Por isso, recomendamos fazer uma pesquisa de preço na nossa parceira RentCars, já que o site compara os preços entre inúmeras locadoras, de acordo com o perfil de veículo e preço desejado. Caso queira deixar o aluguel para depois, saiba que nos principais bairros de Santiago do Chile há locadoras de veículos.

Para que fique mais claro como são os procedimentos, vamos dar como exemplo o aluguel a partir do aeroporto. Confira:

  1. Preferencialmente, chegue ao balcão das locadoras já com uma reserva, que você pode fazer pela internet, como dissemos. Isso evita espera, caso haja poucos carros disponíveis no padrão/valor que você deseja. Os guichês ficam bem perto da área de desembarque, então não tem como errar.
  2. Após apresentar sua reserva, os funcionários da locadora escolhida vão te direcionar para um dos shuttle buses do aeroporto. Você vai tomar um desses ônibus em direção à área de estacionamento, onde deve retirar o veículo ― é bem rapidinho.
  3. Ao chegar lá, você encontra “miniescritórios” das locadoras. Apresente seus documentos pessoais (veja quais são eles no próximo tópico) e assine o contrato. Normalmente, a locadora também informa que é preciso deixar um cheque caução em caso de algum prejuízo com o carro. Esse valor costuma ficar registrado no seu cartão de crédito.
  4. Em seguida, são passadas algumas informações sobre o veículo, formas de acionar o seguro, itens inclusos na apólice e posição do ponteiro de combustível ― atenção a este item, já que é preciso entregar o carro com a mesma quantidade de combustível existente na retirada!
  5. Enfim, o veículo está em suas mãos. Se você não estiver acostumado com o modelo do carro, tire todas as suas dúvidas sobre o funcionamento, antes de sair do estacionamento.

Quais os documentos necessários para conseguir o serviço?

É importante estar atento aos documentos que você deve apresentar para a retirada do veículo. São eles:

  • Documento de Identidade ou passaporte válido;
  • CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Que cuidados você deve ter?

Para que você não cometa erros na hora de alugar seu veículo em terras chilenas, deixamos aqui alguns pontos importantes para ter atenção. Confira!

Quem pode alugar um carro no Chile

Para contratar a locação de veículos é preciso ter, no mínimo, 22 anos de idade e estar em dia com todos os documentos. Além disso, deve portar um cartão de crédito no seu nome.

Credibilidade da empresa

Caso você deixe para pesquisar os aluguel de carros assim que chegar no Chile, não vá atrás apenas de preços mais baratos. Confira a credibilidade da empresa e o tipo de assistência oferecida. Priorize locadoras conhecidas, preferencialmente com escritórios nacionais ou internacionais.

Itens inclusos no contrato

Observe com atenção todos os itens inclusos no contrato, principalmente com relação à cobertura do seguro. Entre eles, destacamos:

  • quilometragem livre;
  • cobertura por colisão;
  • emergência 24 horas;
  • indenização por acidente;
  • pedágios incluídos no preço.

Equipamentos essenciais

Na hora da vistoria do veículo, verifique se todos os equipamentos estão em perfeitas condições de uso, tais como faróis, sistema multimídia, ar-condicionado, vidros elétricos e lâmpadas internas. Ainda, confira o estado do estepe e a data de validade do extintor de incêndio.

GPS

Viajar pelas estradas do Chile sem GPS pode ser desafiador. Então, contrate seu veículo com esse equipamento. O custo médio é de 10 dólares ao dia, mas vale muito a pena e evita passar apuros.

Avarias no veículo

Fotografe o carro antes de retirá-lo do pátio. Dependendo de quem te atender na entrega do veículo, pode alegar que você causou aquele dano. Então, observe arranhões, peças que estejam soltando na parte interna, como puxadores etc. Além disso, comunique essas avarias no momento da retirada.

Quais as vantagens de alugar na RentCars?

A parceira da Nós no Chile com a RentCars não é à toa. Líder no Brasil e no exterior, o site é a principal forma de comparação de preços e locação de veículos na América Latina. Além de no Brasil, atua em mais 160 países, em 5 mil cidades e com mais de 20 mil pontos de atendimento.

Com a RentCars é possível alugar um carro de onde você estiver e a qualquer hora, graças à tecnologia digital, cada vez mais arrojada. Tudo isso para que o atendimento aos clientes seja o melhor possível, tornando a venda simples, rápida, segura e livre de erros.

Agora que você já sabe como alugar um carro no Chile, não pode perder a experiência de desbravar as estradas chilenas, que são um espetáculo à parte. Com curvas sinuosas em meio à Cordilheira dos Andes, vistas deslumbrantes do litoral ou uma grande reta cortando o Deserto do Atacama, cada trecho da sua viagem será inesquecível.

Por falar em experiência, se você chegou até aqui continue mais um pouco conosco e confira neste outro post quais as vantagens de alugar um carro no Chile!

É importante ler este post: 5 Golpes comuns no Chile.

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

4 comentários

Maria Casiana 23 de setembro de 2019 - 17:39

Olá Rosi,
Estou analisando todo seu blog para a nossa viagem ao Chile e estou encantada com imenso cuidado em relatar os detalhes e tudo. Obrigada desde já pela ajuda. Eu e meu marido iremos fazer a viagem em comemoração a 1 ano de casados e estamos na duvida de alugamos ou não um carro, queremos visitar Valparaíso & Viña del Mar e também fazer a rota Cajón del Maipo & Embalse el Yeso. Mas vi sobre o comentário acima dessa taxa TAG, em quais locais ela vale? Você acha que compensa fazer os passeios no carro alugado? E sobre a questão da fiscalização, principalmente a tolerância a álcool, é frequente? Obrigada desde já, bjs.

Reply
Rosi Guimarães 25 de setembro de 2019 - 11:42

Oi Casiana, tudo bem?
A estrada para embalse esta fechada. Veja esse post https://nosnochile.com.br/chile-embalse-el-yeso-fechado-por-tempo-indeterminado/. Sobre ir para Valpraíso e Viña de carro alugado acho importante ler esse post https://nosnochile.com.br/atencao-5-golpes-comuns-em-santiago-do-chile/. Se quer tomar vinho não recomendo ir de carro alugado. Sobre o TAG está em todas as estradas aqui do Chile, pegou estrada, passa pelo TAG. é um pedágio eletrônico. Espero que tenho ajudada na sua decisão. Caso prefira contratar um agência, temos parceiros no blog https://nosnochile.com.br/parceiros/
Um abraço!

Reply
Ricardo Silveira 10 de setembro de 2019 - 23:19

Olá Rosi,

Estive no Chile há poucos dias e gostaria de registrar meu agradecimento pelas dicas do blog, que me serviram de boa base para a exploração.
Uma peculiaridade de Santiago, que me intrigou (e ao final me irritou), é o TAG obrigatório para transitar em parte das vias. Eu já sabia que haveria uma taxa alta cobrada pelas locadoras de carro, que no meu caso, foi de aproximadamente 7.600 pesos por dia. Posteriormente, conversando com motoristas de Uber, ouvi relatos de despesas mensais entre 40 e 70 mil pesos (rodando várias horas por dias, todos os dias). Sabendo disso, concluí que se trata de uma espécie de golpe das locadoras para turbinar o lucro, especialmente porque não é facultada ao cliente uma modalidade de cobrança pós-paga variável. No fim das contas, os meus 11 dias de TAG custaram bem além do gasto mensal do motorista de Uber mais gastador que conheci.
Fora isso, a experiência foi ótima. Pude notar que não há controle automático de limite de velocidade e, apesar de haver algum policiamento ao longo das vias, a maioria dos locais não respeita os limites. O limite de tolerância ao álcool é bem superior ao do Brasil (3 dg/l de sangue para passar livre e até 8 para suspensão de dois anos), isso permite tomar uma taça de vinho no almoço e voltar a dirigir à tarde, a depender da sua curva de absorção.

Reply
Rosi Guimarães 12 de setembro de 2019 - 13:00

Oi Ricardo,
Muito importante seu comentário. obrigada! Essa questão da TAG é realmente algo complicado aqui. Para quem vem com carro do Brasil também é bem confuso o processo de pagamento da TAG. Eles precisam pensar numa forma de facilitar a vida do turista.
Um abraço!

Reply

Gostou? Deixe aqui seu comentário