Rosi, você gosta de morar no Chile?

por Rosi Guimarães

Resolvi escrever este post para responder uma das perguntas que mais recebo nas redes sociais. Siga o @blognosnochile no Instagram.

Você já leu minha história e sabe como eu vim parar aqui?

Então, vamos lá! O Chile é um país lindo, cheio de contrastes, onde é possível curtir a montanha e o mar no mesmo dia. A uma hora de Santiago, subindo a Cordilheira dos Andes, estão os centros de esqui e, em mais uma hora, é possível chegar no litoral.  As cidades de Valparaíso e Viña del Mar são as mais próximas de Santiago. Todo a costa do Chile é banhada pelo Oceano Pacífico. Mas a região metropolitana fica no centro do território e não tem mar.

Aqui também tem o deserto mais árido do mundo, a Patagônia, a Antártida, sem falar na Isla de Pascua, chamada de umbigo do mundo. O Chile é conhecido como o país do fim do mundo, enfim, um lugar cheio de diversidade e belezas naturais, eleito mais de uma vez como o melhor destino para esporte de aventuras.

E como é morar no Chile?

Moramos em Santiago há cinco anos, mas é como eu sempre digo: viver em outro país é como morar de favor na casa dos outros. Apesar dos chilenos nos terem recebidos muito bem e se encantarem com os brasileiros, aqui nunca será a nossa casa.

Nossa terra, nossa gente, nosso jeito de ser é o brasileiro. É no Brasil que está o nosso maior bem: nossa família. Meu pai, minha mãe, meus irmãos e sobrinhos. É lá no meu bairro que tem aquela padaria da esquina que tem um pão delicioso que eu adoro. É lá que tem a manicure que faz a minha unha com horário agendado toda semana. É lá que  tem aquela vizinha que eu ligo e peço para ficar de olho nos meu filhos quando vou chegar tarde. É lá que está minha família que aos domingos se reúne para fazer um frango com quiabo ou para tomar um café da tarde com pão de queijo feito pela vovó. É lá que tem aquela cervejinha gelada do bar da esquina. Imagina eu, que morava em Belo Horizonte, a capital do botecos, sempre falava: Beagá não tem mar, mas tem bar! Aquele boteco que você é amigo do garçom, que você chega e ele já sabe o que você vai pedir. Pois é! Aqui não tem!

O Brasil pode ter um milhão de defeitos e não estar em um dos melhores momentos, mas ninguém no mundo tem a alegria do povo brasileiro. E a nossa comida brasileira? Ahhh gente, fala a verdade, é a melhor do mundo. Vou puxar sardinha pro meu lado, a comidinha mineira é deliciosa!

Eu sempre falo aqui em casa: vamos curtir o que o Chile tem de melhor para nos oferecer. E é isso o que temos feito. Viver em outro país é aprender a conviver com a saudade. É comemorar o aniversário sem sua família e sem os melhores amigos. É ficar doente e não ter sua mãezinha pra fazer um chá, é querer se teletransportar na hora que a família se junta para fazer uma feijoada num domingo e te manda as fotos por Whatsapp no grupo da família. É se preocupar com seus pais que estão envelhecendo, às vezes doentes, você está longe e o único que pode fazer é rezar!

A gente depois de 5 anos morando no Chile

Mas você gosta de morar no Chile, Rosi?

Gosto sim. Não posso reclamar. Tenho sido muito feliz aqui e batalhado muito para conquistar tudo. Afinal nada cai do céu, meu povo! Pelo menos pra mim, nunca caiu. Temos um ditado em Minas que diz: o povo vê a cachaça que a gente bebe, mas não vê os tombos que a gente leva. Os tombos existem e eu aprendo muito com eles. Meu marido Flávio veio transferido pela empresa em que trabalha, o que tornou tudo mais fácil. Já eu, tive que me reinventar e deu certo. No entanto, nada foi da noite para o dia, foi uma batalha diária e não sorte. Foi trabalho, dedicação e amor!

O Nós no Chile é uma das páginas mais lidas por brasileiros que vêm ao Chile. Tudo começou por hobby, para passar o tempo e hoje é meu trabalho, que continuo fazendo com a mesma dedicação desde o primeiro dia. Não fiz o blog para ganhar dinheiro. O reconhecimento que adquiri é consequência do trabalho que faço com muito carinho.

Pensando em mudar para o Chile?

O primeiro conselho que eu dou é para que você conheça o país antes de chegar aqui para morar. Viva a sua experiência porque a do outro pode não servir para você.  Não caia aqui de paraquedas, sem saber nada do país e sem saber falar espanhol. Você vai ter que passar por algumas fases, todos precisam passar. As coisas não são fáceis. Viver em outro país não é para qualquer um. Programe-se! O visto de trabalho tem demorado até oito meses para sair e sem o RUT (identidade chilena), você não é ninguém aqui. Não consegue financiar nada, não consegue emprego regularizado, não consegue sequer alugar um apartamento. Não quero que você desista, quero apenas que saiba da realidade. 

Rosi, você quer voltar para o Brasil?

Quero sim voltar a viver no Brasil, lá é minha casa, meu povo, meu jeito de ser! Agradeço ao Chile por nos receber tão bem e nos dar a oportunidade de viver experiências lindas, serei sempre grata. Mas o Brasil é o lugar que posso chamar de meu. Gente que fala alto, que ri, que se emociona facilmente, que sabe ser amigo de verdade, que fala oi e já é convidada para um café em casa. Em Minas é na cozinha mesmo.

Termino esse texto com os olhos cheios de lágrimas e o coração apertado de saudades da minha mãe, do meu pai, que estão envelhecendo e eu não estar por perto para acompanhar. Dos meus irmãos que fazem festa e eu não posso ir. Dos meus sobrinhos que estão ficando grandes e chatos. Dos amigos…. Ahhh! Os amigos… Saudades!

 Obrigada Chile por tudo! Me aguarde Brasil, um dia eu ainda volto.

Galerinha, escrevi este texto em outubro de 2019, antes de começar os protestos no Chile. Hoje me deu vontade de publicá-lo. Minha opinião nao mudou.

Texto revisado por Bárbara Mussili, criadora do blog Refúgio Ameno


Posts Relacionados

Gostou? Deixe aqui seu comentário