A cidade de Santiago e seus arredores são tão repletos de boas atrações turísticas que fica até difícil selecionar apenas oito, mas vamos lá! Essa é uma listinha do que você não pode deixar de fazer de jeito nenhum. As sugestões são minhas, mas a ordem dos passeios fica por sua conta. Lembrando que os museus e o teleférico não funcionam na segunda-feira e o centro é menos movimentado por conta das lojas fechadas no domingo.

  1. Troca de Guarda, Centro Histórico e Museus

Passeio obrigatório. Dá pra fazer tudo isso em apenas um dia. Começando por assistir a Troca de Guarda que acontece em dias alternados dependendo do mês (em alguns meses acontece em dias pares e em outros, dias ímpares). O horário é às 10h durante a semana e às 11h nos finais de semana e feriados. Aproveite para conhecer o Palacio de La Moneda – sede do governo chileno, que tem visita guiada grátis (necessita fazer reserva antecipada). Outra boa dica é visitar o Centro Cultural La Moneda, no subsolo da praça. Sempre há exposições e atividades culturais nesse espaço. Tem também lojinhas de artesanato, simpáticas cafeterias e wi-fi grátis.

O centro histórico de Santiago mescla tradição e modernidade na arquitetura de suas praças e museus, então, aproveite para caminhar até a Plaza de Armas, onde estão a Catedral Metropolitana de Santiago, o Museo Histórico Nacional, o Museo de Arte Precolombino e o edifício dos Correios. Tudo bem pertinho e de fácil acesso. Se você é daqueles que não dispensa conhecer museus na viagem, posso te dizer com toda certeza que o Museo de la Memoria y de los Derechos Humanos é imperdível para quem quer saber mais sobre o período da ditadura chilena. Leia o post completo do museu aqui (LINK). Ali pelo centro também está o Mercado Central de Santiago que, na minha opinião, não é lá essas coisas, mas vale uma passadinha.

Para chegar: Linha 1 do metrô – Estação La Moneda.

Calendário da Troca de Guarda em 2022

  • Fevereiro: dias ímpares
  • Março: ímpares
  • Abril: pare
  • Maio: pares
  • Junho: ímpares
  • Julho: ímpares
  • Agosto: pares
  • Setembro: ímpares
  • Outubro: ímpares
  • Novembro: pares
  • Dezembro: pares

 

2. Cerro San Cristóbal, Teleférico e Cerro Santa Lucía

Os cerros de Santiago também são imperdíveis. É de lá de cima que a capital fica mais linda ainda com a Cordilheira dos Andes ao fundo. Para chegar até o topo do Cerro Santa Lucía tem que caminhar. A vista compensa qualquer esforço. Lá de cima, é possível ver a cordilheira, boa parte da cidade e fazer lindas fotos. Vá subindo devagar e contemplando a beleza e o silêncio do lugar que está quase no centro de Santiago. Se quer aproveitar para comprar algumas lembrancinhas para levar para o Brasil, em frente à entrada do cerro, do outro lado da rua, está a feira de artesanato Santa Lucía, com lindos trabalhos manuais por bons preços. Vale conferir.

Para chegar no: Metrô linha 1 – Estação Santa Lucía.

O Cerro San Cristóbal fica no Parque Metropolitano de Santiago que é o maior do Chile, onde tem o funicular e o teleférico. O Zoológico também fica nesse parque uma boa opção para quem está viajando com crianças. Para subir até o cerro, pegue o funicular – uma espécie de bondinho. Lá em cima, tem o Santuário Imaculada Conceição, com uma imagem de 22 metros de altura e uma vista maravilhosa de Santiago. E não deixe de dar uma voltinha no teleférico, consulte os valores aqui nesse post. Aproveite para conhecer o bairro Bellavista, um lugar com muitos bares e restaurantes.

 

3. Conhecer uma das casas do Poeta Pablo Neruda

Não tem como vir ao Chile sem visitar pelo menos uma das casas de Pablo Neruda, o poeta chileno mais famoso, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura. Suas três casas se transformaram em museus, com lindos objetos e cheias de poesias. Todas são abertas à visitação e vale muito o passeio. A casa La Chascona fica em Santiago. Localizada aos pés do Cerro San Cristóbal, é a de mais fácil acesso para quem está com pouco tempo.

A La Sebastiana está em Valparaíso. As agências de turismo sempre passam por ela, mas, pela falta de tempo, os turistas não conseguem visitar a casa por dentro. Se quiser conhecer, tem que fazer um tour privado ou ir por conta. Também está cheia de lindos objetos e tem uma vista perfeita para o mar.

Já a casa de Isla Negra é, para mim, a mais linda. É a casa com o imaginário poético mais representativo do poeta, com objetos de decoração que remetem ao mar, como réplicas de veleiros, barcos dentro de garrafas e muito mais.

 

4. Conhecer uma vinícola e o processo de produção do vinho

Outro passeio imperdível para degustar vinhos chilenos e conhecer o processo de produção, mesmo para quem não curte vinho. O que não falta aqui no blog são posts de vinícolas, se ainda não perdi a conta, já são mais de trinta. O ideal é ler e escolher a que mais combina com você. Tem de tudo: as mais famosas e mais visitadas; a que é pertinho de Santiago e cheia de história; a pequena e exclusiva, considerada boutique; as que são mais distantes e estão no Valle de Colchagua, famoso pela produção dos vinhos mais premiados do Chile; a mais luxuosa; a que tem um restaurante delicioso; a que é de um casal de brasileiros… Por aí vai. Opções não faltam, já que é um dos meus passeios preferidos por aqui. Não me convidem para ir numa vinícola que eu vou, hein!

 

 5. Valparaíso e Viña del Mar

Conhecer as cidades litorâneas que ficam bem pertinho de Santiago também vale a pena. Você pode ir com uma agência que oferece o tour para conhecer as duas cidades num mesmo dia ou, se quiser, fazer tudo no seu tempo, ir por conta ou contratar um tour privado. Uma sugestão é começar por Valparaíso, que tem um importante porto marítimo. É uma das maiores cidades do Chile, com uma área histórica considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Possui 42 morros, chamados de cerros. Ao chegar em Valparaíso, você já percebe um amontoado de morros e casas coloridas. O legal é caminhar e ir descobrindo seus segredos. Depois, vá para Viña del Mar, considerada a cidade das flores. A parada é no Relógio das Flores é obrigatória.

 

6. Cajón del Maipo

Imperdível para quem viaja na primavera ou verão. Lugar lindo que eu já fui mais de uma vez e conto a minha primeira experiência aqui neste post. Na segunda vez, meu relato está aqui e você pode conferir o porquê de eu não recomendar esse passeio no inverno.

 

7. Valle Nevado e outras estações de esqui – Imperdível para quem viaja no inverno

O sonho de quem viaja para o Chile no inverno é conhecer a neve. Opções não faltam! A temporada de neve, geralmente, vai de meados de junho a meados de setembro. Essa é a época de temporada da neve e, nesse período, as estações de esqui funcionam todos os dias. São elas:  Farellones, El Colorado, La Parva e Valle Nevado – que é a mais alta e a que todos os brasileiros querem conhecer.  Valle Nevado é a única estação que fica aberta o ano todo e tem atividades para os turistas também no verão. Se a sua intenção é só se divertir e conhecer a neve, o ideal é parar em Farellones que tem tobogã e tirolesa e fazem a diversão da galera. Para esquiar as melhores são El Colorado e Valle Nevado. As agências de turismo oferecem de tudo: passeios, roupas e equipamentos.

 

8. Sky Costanera – A torre mais alta da América Latina

É o mirante que fica no último andar da torre mais alta da América Latina, com 300 metros de altura. De lá de cima, você consegue ver Santiago em 360 graus. O ideal é subir para apreciar o pôr do sol. Na primavera, anoitece por volta de 20 horas, então, o melhor é subir às 19 horas, assim você vai ter uma vista do dia, do pôr do sol e da noite. O ingresso custa $ 15.000 pesos chilenos.

 

9. Templo Bahá’í

Sei que já temos oito atrações nesta listinha, porém, não poderia deixar o Templo Baha’i da America Latina de fora. Inaugurado em outubro de 2016, em Santiago, ele não é somente uma casa de oração, mas também um ícone da arquitetura e já recebeu um prêmio por sua beleza e inovação. Aqui tem um post completinho e como chegar.

Assita o nosso vídeo no canal do Youtube