Neste post vou te contar como foi a nossa viagem de Santiago e Mendoza de carro.

Para quem chegou aqui agora, vale lembrar que moramos no Chile há 8 anos e fizemos essa viagem até Mendoza em nosso carro.

Já conhecemos a cidade que mais produz vinhos argentinos e os posts podem ser lidos aqui.

Flávio e eu sempre tivemos o desejo de fazer o trajeto de carro de Santiago a Mendoza, de tanto que nós já tínhamos ouvido falar que a estrada é linda, fizemos e não nos decepcionamos.

Vou contar todos os detalhes neste post.

Saímos de casa de madrugada, ainda estava escuro, tivemos a sorte de pegar um amanhecer espetacular, com o céu repleto de cores. Foi inesquecível!

São cerca de 380 quilômetros de Santiago a Mendoza, nem é tanto assim, mas como o caminho é na cordilheira, cheio de curvas e de altos e baixos, isso requer muito mais atenção e a viagem pode demorar 7 horas ou mais, contando o tempo de trâmites na aduana.

Nossa viagem demorou cerca de seis horas. A primeira parada foi na Aduana chilena, onde fizemos os trâmites de saída do país. A demora foi na Aduana Argentina, onde ficamos parados por quase duas horas na fila para a liberação de entrada no país. Eles fazem uma fiscalização bem rigorosa, por isso a demora. Mas deu tudo certo e fomos autorizados a continuar o caminho.

Para sair do país com o carro é necessário contratar um seguro internacional – RCI (Responsabilidade Civil Internacional) e na aduna é preciso de apresentar esses comprovantes, além de preencher uma declaración jurada de salida temporal de vehiculo. Alugar carro para fazer o trajeto de Mendoza a Santiago.

Passamos pelo túnel Cristo Redentor, que é onde está a divisa dos países, um túnel gigante de mais de 5 quilômetros e então começa a nossa aventura pela majestosa Cordilheira dos Andes. Cada quilômetro de estrada é uma surpresa! A cada curva uma foto.

Ali pelas 10 horas da manhã eu já estava louca para tomar um café, paramos na cidadezinha de Uspallata. A primeira cidade que vimos no caminho e que dava para parar. Lógico já comecei o dia com um café com leite e uma Media Luna.

E viajar de carro tem a vantagem de você fazer tudo no seu tempo, parar onde quiser, e decidimos parar para tirar fotos no Embalse Potrerillos, que apesar de estar com pouca água, chamava a atenção pela cor azul turquesa, não tinha como passar batido.

Continuamos na estrada, admirando tanta beleza que a viagem passou muito rápido. Por volta das 12 horas chegamos e Luján de cuyo, onde avistamos a primeira vinícola – Bodega Septima, lógico que paramos para conhecer. Não fizemos nenhum tour, mas conhecemos a vinícola, o restaurante e aproveitamos para comprar vinhos.

Como tínhamos um almoço reservado na Bodega Terrazas, continuamos nosso caminho.  E o restante dessa história você vai ficar sabendo no próximo post.

 

Dicas importantes:

  • Viaje com o tanque cheio, quase não tem locais para abastecimento na estrada.
  • Leve um lanchinho, porque não tem lugar para comprar.
  • Na parte chilena tem alguns pedágios, varia entre $1.000 e $2.600. É bom ter pesos chilenos trocados.
  • A estrada na parte chilena é melhor que na Argentina.
  • Viaje com tempo para aproveitar a vista da estrada que é realmente surpreendente.
  • Essa viagem não dá para fazer no inverno, entre junho e setembro, pois pode acontecer de nevar muito e a estrada fechar. Nesse período prefira avião.