Um tour dedicado a conhecer e se surpreender com Valparaíso, no Chile

por Rosi Guimarães

Valparaíso é vizinha de Viña del Mar e está a cerca de 115 quilômetros da capital chilena. É a terceira cidade mais povoada do país, perdendo apenas para Santiago e Concepción. Por causa de sua arquitetura e de seus murais, é conhecida como um museu a céu aberto e foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 2003.

Muitas agências de turismo oferecem passeio para Valparaíso e Viña del Mar no mesmo dia. As pessoas reclamam que o tour acaba ficando corrido e, pensando nisso, a agência Indo pro Chile criou um roteiro exclusivo de dia inteiro para percorrer as ruas e admirar as belezas de Valparaíso.

Sou um pouco suspeita para falar pois amo Valparaíso e, sempre que a visito, descubro novos cantinhos, novas pinturas, novas artes. Foi o que aconteceu dessa vez e mostrei tudo nos stories. Se você ainda não me acompanha pelo Instagram, siga o @blognosnochile.

Quem nos acompanhou nesse tour foi o guia Rodrigo. Já na entrada da cidade, ele explicou que Valparaíso não foi fundada e sim descoberta em 1536. Ele falou também das construções e que a cidade já começou a crescer de forma um pouco improvisada e assim está até hoje.

 

Nossa primeira parada foi na casa-museu do poeta Pablo Neruda. Como a ideia do roteiro é desbravar a cidade com calma, a entrada está incluída no tour. Percorremos o museu em uma hora e trinta minutos aproximadamente, escutando as explicações em português através de áudio-guia. Assim, ficamos sabendo todos os detalhes da vida de Pablo Neruda na La Sebastiana, umas das três casas do poeta. As outras duas são a La Chascona, em Santiago e a de Isla Negra. Para mim, essa última é a mais especial.

Terminada a visita, voltamos para o carro e fomos para a parte baixa da cidade conhecer o porto e a Plaza Sotomayor, onde o guia Rodrigo explicou mais um pouco sobre a história de Valparaíso. Dali, tomamos o ascensor El Perol e subimos até a parte alta, chegando no Paseo Yogoslavo, onde está o Museo de Bellas Artes de Valparaíso e se pode apreciar uma linda vista da cidade.

Tivemos também a oportunidade de conhecer as ruelas de Valparaíso caminhando pela cidade e assim chegamos na Pasaje Gálvez. São tantos grafites, tanta arte e tantas cores, que a gente quase enlouquece, quer fotografar tudo. A cidade é alegre e sentimos uma boa energia enquanto caminhamos por seus morros, chamados aqui de cerros.


Ainda caminhando, chegamos ao Cerro Alegre onde tivemos um tempo para o almoço. A vantagem é que a escolha é livre, ou seja, você pode almoçar onde quiser. A agência não impõe um determinado restaurante. Escolhemos o Fauna, com uma vista linda para o mar. Os preços dos pratos variavam entre $ 9.000 e $ 12.000 (R$ 52 e R$ 70). O valor do almoço não está incluído no tour.

 

Em seguida, fomos caminhar pelo Cerro Concepción. O dia estava bastante nublado e frio. É importante levar agasalho sempre pois o tempo pode mudar a qualquer momento. Durante a caminhada, parei para conversar com um pintor e ele me contou com orgulho sobre o seu trabalho. O legal de Valparaíso é que você vê os artistas de rua ali trabalhando.

Depois de mais um tempo percorrendo o cerro, mesmo eu já tendo ido várias vezes, me surpreendi com cada detalhe das ruas e das casas. Um casal que estava no grupo, leitores do Nós no Chile, também ficou encantado com a cidade. A Indo pro Chile sempre trabalha com grupos pequenos de sete pessoas no máximo.

Entre uma história e outra, uma arte e outra, uma foto e outra, voltamos para a parte baixa da cidade, passamos pela área financeira, calle Prat, apreciando as construções antigas. Entramos em um banco cujo prédio foi construído no século XIX e ainda mantém a mesma aparência, inclusive nos elevadores e nos detalhes da grade do caixa. Achei o máximo.

A parte triste do passeio é que a cidade tem muitos cachorros de rua abandonados. Em consequência disso, há muito sujeira pelo chão. O cheiro de xixi também é forte em alguns locais.

 

Dali, fomos visitar o Museo Marítimo Nacional, mantido pela Armada do Chile, que retrata a história naval do país. É como eu disse no começo do texto, tem sempre algo novo para conhecer em Valparaíso. Ainda não conhecia o museu, mas a visita me surpreendeu positivamente. Fiquei surpresa com o tamanho do acervo. Dentre ele está a cápsula Fênix, utilizada para resgatar 33 mineiros que ficaram soterrados na mina San Jose, em 2010.

O tour durou o dia todo. Saímos de Santiago às 8h30 da manhã e voltamos às 18h.  Conhecendo a cidade sem correria, com um bom guia e entendendo a história de cada lugar. Assim fica muito fácil se encantar por Valparaíso e tirar a ideia de que não vale a pena visitá-la. Vale sim! Vai por mim!

O tour foi feito a convite da agência Indo pro Chile, uma das parceiras do blog. Gostei muito e recomendo. Para fazer um orçamento, é só clicar neste link.

Texto revisado por Bárbara Mussili, criadora do blog Refúgio Ameno

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

2 comentários

Dalby Dienstbach 29 de julho de 2019 - 11:37

Estou com férias em Santiago programadas para novembro e estou adorando o site, muito obrigado pelas informações e pelas dicas.

Reply
Rosi Guimarães 30 de julho de 2019 - 10:22

Oi Dalby,
Muito obrigada! Me segue no instagram também @blognosnochile!
Abraço!

Reply

Gostou? Deixe aqui seu comentário