Valparaíso no Chile: surpeenda-se com a cidade que é Patrimônio Cultural da Humanidade

por Rosi Guimarães

Ainda pouco explorada pelos brasileiros, Valparaíso é a cidade vizinha  de Viña del Mar e está a cerca de 115 quilômetros da capital chilena. É a terceira mais povoada, perdendo apenas para Santiago e Concepción.

Curiosidade:

A parte histórica de Valparaíso foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 2003.

Boêmia e colorida, Valparaíso nos convida a percorrer seus morros (chamados aqui de cerros) para apreciar as várias pinturas e grafites espalhados por todo a cidade. Um verdadeiro museu a céu aberto. Por onde se anda, são cores, formas, traços que estão ali querendo nos dizer algo.

Mas tenho que ser sincera e dizer a verdade: a cidade está realmente suja e com aspecto abandonado. Existem muitos cachorros de rua em Valparaíso e, em consequência disso, muito sujeira pelas ruas. O cheiro de xixi também é forte em alguns locais.

Talvez esse seja o motivo que leva muitos brasileiros não gostarem da cidade. Eu sempre digo: quem vai a Valparaíso e não gosta é porque não foi aos lugares certos ou não foi com a pessoa ou guia mais indicado, que realmente conheça a história e a cultura de Valpo – como é carinhosamente chamada pelos chilenos.

Curiosidade:

O Congresso Nacional do Chile fica em Valparaíso.

Muitas agências em Santiago oferecem o passeio de dia completo para conhecer as duas cidades no mesmo dia: Valparaíso e Viña del Mar. Geralmente, o tour fica corrido e não dá para apreciar a cidade com calma. Se der sorte de ter um bom guia, ele vai saber te levar nos melhores lugares para conhecer em pouco tempo.

Eu sempre gostei mais de Valparaíso que Viña del Mar, por isso, depois de ir tantas vezes, dessa vez resolvi pernoitar na cidade e passear com calma pelos morros e também conhecer a vida noturna. Eu e meu marido Flávio saímos de Santiago numa sexta-feira no final da tarde, com destino ao litoral.

o que fazer em Valparaíso, no Chile

Nosso hotel em Valparaíso

A cidade oferece muitas opções de hotéis e hostals para todos os gostos e bolsos. Nós nos hospedamos no Cerro Alegre Guest House. Ótima localização, pertinho de tudo. Estacionamos o carro e fizemos tudo caminhando. Esse é mais um segredo de Valpo: caminhar, explorar!

O hotel é simples, sem luxo, mas atendeu perfeitamente. Fica num casarão antigo que foi todo reformado e mantém as características originais.  Inclui café da manhã no estilo que geralmente é servido aqui no Chile. A atendente vem até a sua mesa pergunta o que você quer e serve tudo na mesa. 

O Cerro Alegre Guest House também oferece almoço, com restaurante aberto ao público. A opção é o menu executivo com entrada, prato principal e sobremesa por um valor fixo de $ 8.500 pesos.

Para quem procura hospedagem num bom custo benefício, eu recomendo. Para fazer uma reserva pelo Booking, clique aqui. 

Como chegamos na cidade já no finalzinho da tarde, demos uma volta por perto do hotel. Fomos até o elevador Reina Victoria, um bondinho histórico do ano de 1902 pelo qual se paga $ 100 por uma voltinha. Namoramos algumas lojinhas de artesanato e, como havíamos feito uma reserva para o jantar, lá fomos nós também caminhando.

Jantar no restaurante Ápice – Uma bela surpresa!

Se você pensa que Valparaíso não tem restaurantes sofisticados, mude sua opinião. Ficamos bastante surpresos com o Ápice – Cocina de Mar. Ao entrar no local, sentimos um aroma que nos convidava a sentar e não ter dúvidas que escolhemos o lugar certo. Os donos são dois chefs: a francesa Alexandra Poignant e o chileno Ivan Lara, chileno.

Foi o Ivan que nos recebeu. Logo percebeu que éramos brasileiros e ficou nosso amigo. E a vista do restaurante? Meu Deus, coisa mais linda do mundo. Ambiente elegante, música agradável e comida perfeita. Tudo isso acompanhado de um bom vinho chileno. Escrevendo o post agora me deu até água na boca, já quero voltar. Preço alto, mas valeu muito a pena.

Saímos do restaurante e fomos conhecer o primeiro bar de pisco do Chile, chamado Vinolo. Com banda de jazz ao vivo tocando. Que delícia, um astral! Lógico, sentamos e ficamos curtindo a música! Só voltamos para o hotel quando terminou a apresentação.

Outros locais para comer:

No sábado, acordamos cedinho, tomamos café da manhã e fomos para a Plaza Sotomayor, local de onde sai o Walking tour, às 10 horas da manhã.

Walking tour em Valparaíso

Como falei antes, você só vai se apaixonar por Valparaíso se realmente conhecer sua história, arte e cultura. E fazer um tour guiado é uma ótima opção maneira de criar esse vínculo. Foram três horas de caminhada, começando pelo bairro Porto, onde o guia explica como os imigrantes foram construindo a cidade.  

Visitamos vários lugares que eu ainda não conhecia, dentre eles, o que mais me surpreendeu foi o Parque Cultural de Valparaíso, um conjunto arquitetônico construído na antiga prisão da cidade. Trata-se de um espaço aberto à comunidade com o objetivo de promover a arte local. Foi bem interessante e agradável ver os traços de uma prisão transformada num espaço de arte, caminhar e ver pessoas dançando, cantando e se expressando artisticamente. Foi realmente emocionante. Vale lembrar que, na época da Ditadura chilena, várias pessoas desapareceram nesse mesmo local e hoje são lembradas através de fotos espalhadas pelas paredes do centro cultural.

Passamos também pelo cemitério e por vários lugares que revelam os segredos das artes de Valparaíso. O guia que nos atendeu é chileno, estudante de filosofia e apaixonado pela cidade, então, não foi difícil se encantar ainda mais. A única desvantagem é que o tour só é feito em inglês ou espanhol.

Pensando em alugar um carro para fazer esse passeio? Clique aqui para alugar um carro com desconto!

Curiosidade:

Todas as cidades do Chile têm uma Plaza de Armas. A única que não tem é Valparaíso. Informação confirmada com o guia que nos acompanhou no walking tour.

Tour finalizado, voltamos para o hotel, almoçamos e já era hora de voltar para Santiago. Foi rápido, mas bem intenso. Fiquei ainda mais encantada pela cidade, pela sua gente, sua cultura.

A ideia do post é te convidar a enxergar Valparaíso com outros olhos e provar que vale a pena sim conhecer e se encantar por Valpo. Andando pela cidade vemos muitos europeus, americanos, franceses, só não se escuta o português. Por isso te faço o convite: conheça a cidade com atenção e tenho certeza que vai se apaixonar!

Se prefere fazer o passeio por conta própria, utilizando transporte público, leia esse post.

Caso queira contratar uma agência, faça um orçamento com as parceiras do blog, clicando aqui. 

Texto revisado por Bárbara Mussili, criadora do blog Refúgio Ameno

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

10 comentários

Luiz Mavignier 13 de agosto de 2019 - 20:46

Oi rosi!
Muito legais as dicas, serão muito úteis!
Sabe dizer um valor sugerido razoável para dar ao guia do tour4tips??
Obrigado!

Reply
Rosi Guimarães 14 de agosto de 2019 - 10:49

Oi Luiz,
Acredito que entre 3 e 5 mil Pesos é um bom valor.
Abraço!

Reply
carlos alberto da costa 30 de abril de 2019 - 21:46

Olá….. estou indo para Santiago em outubro, estou pesquisando todas as dicas para melhor me orientar, gostei muito das suas, agradeço e parabéns.

Reply
Rosi Guimarães 2 de maio de 2019 - 08:16

Oi Carlos,
que bom! Lendo o Nós no chile você vai viajar muito mais informado.
Um abraço!

Reply
Ariadna Silveira Straliotto do Amaral 27 de março de 2019 - 10:57

Oi, Rosi! Seu blog é ótimo. Parabéns pelo trabalho! 😉 Estou programando nossa viagem para dezembro. Como teremos 7 dias, minha ideia é deixar os dois últimos dias da viagem para conhecer Valparaíso e Viña del Mar, pernoitando em uma das cidades. Penso em fazer o walking tour em Valpo e desbravar Vinã por conta própria em uma tarde. A ideia é ir de Santiago a Valpo de transporte público. Você recomenda? É tranquilo? No tripadvisor, vi comentários de que Valpo está perigosa. Confere? Obrigada!

Reply
Rosi Guimarães 28 de março de 2019 - 09:23

Oi Ariadne,
sim, dá para ir de transporte público, veja esse meu post https://nosnochile.com.br/valparaiso-e-vina-del-mar-como-chegar-por-conta-propria/
Acredito que perigoso não é. Só ficar atenta!
Boa viagem!

Reply
Natália da Conceição Silva 25 de março de 2019 - 14:42

Boa tarde.
Você sabe o endereço desse bar Vinolo?
Muito obrigada

Reply
Rosi Guimarães 26 de março de 2019 - 11:20

Oi Natália,
Segue o endereço Almirante Montt 488, cerro Alegre
Abraço!

Reply
Junior Wandenkoke 18 de março de 2019 - 15:04

Eu particularmente gostei mais de Viña del Mar.
Fiz o passeio junto com Valparaiso, que com certeza deve ser o mais comum para os turistas, e achei Viña bem mais cuidada e aqueles vasos de plantas nos postes são detalhes que dão um “plus” em charme pra cidade.
Acabei não tirando as tradicionais fotos nas escadarias porque no nosso grupo tinham idosos e tivemos que suprimir alguns locais nos acessíveis.
Acho que o ideal é fazer o passeio menos corrido, ficando pelo menos um dia em cada cidade para conhecer melhor.
Abraços e parabéns pelo blog!

Reply
Rosi Guimarães 18 de março de 2019 - 16:52

Oi Junior,
Na sua próxima vinda ao Chile dedique mais tempo a Valáparaíso que tenho certeza que não irá se arrepender.
Um abraço!

Reply

Gostou? Deixe aqui seu comentário