Veja o que você precisa saber sobre Seguro de Viagem para o Chile!

por Rosi Guimarães

Será que vale a pena contratar um seguro de viagem para o Chile? Afinal de contas, o país é tão pertinho e tem várias características familiares aos brasileiros. Bem, esse é o pensamento de muita gente na hora de conhecer o país andino.

Alguns viajantes acham que o seguro de viagem é uma despesa que só vale a pena se o país for distante, no mínimo, Estados Unidos ou o continente europeu. Na verdade, só na hora de um aperto é que percebemos como esse tipo de segurança pessoal pode fazer muita falta.

Como lidamos todos os dias com muitos viajantes e conhecemos várias histórias que acontecem por aí, sentimos ser importante esclarecer tudo sobre a contratação de um seguro de viagem para o Chile. Leia este post até o final e reflita se vale a pena esse pequeno investimento.

Para que serve um seguro de viagem?

Toda viagem, seja nacional ou internacional, de negócios ou lazer, envolve muito planejamento e riscos.

Especialmente se você incluir algumas atividades mais radicais, como trekking em uma montanha, sair pelo deserto, explorar um vulcão ou aproveitar a neve, de fato há com o que se preocupar. Aliás, não ache estranho, pois essas programações são perfeitamente possíveis em uma viagem ao Chile.

Mas fazer um seguro de viagem não significa apenas estar coberto em caso de uma catástrofe. Na verdade, esses riscos podem até ser bem pequenos, mas dão uma bela dor de cabeça, como perdas financeiras por mudanças nos voos, cancelamento ou interrupção de hospedagens, despesas médicas, extravio ou roubo de bagagem etc.

Com isso, um seguro de viagem pode fornecer a cobertura que você precisa para perdas financeiras causadas por uma variedade de eventos que venham a ocorrer antes, durante ou, até mesmo, depois de sua viagem.

As seguradoras de viagens oferecem uma variedade de opções que incluem cobertura para indivíduos, famílias e casais, e algumas também oferecem planos anuais e de viagens múltiplas para viajantes frequentes.

Pensando nisso, o seguro de viagem deve ser prioridade no planejamento da sua viagem. Alguns países, inclusive, exigem que todo estrangeiro contrate um seguro de viagem como condição para entrar no território.

Como sua segurança está em primeiro lugar, contrate seu seguro de viagem assim que você começar a fazer as primeiras reservas ou comprar os pacotes. Dessa forma, você pode ter cobertura por despesas de viagem e diárias não utilizadas em razão de uma adversidade, como doença ou desastre da natureza — aliás, no Chile, há possibilidades de terremotos.

O que levar em conta na escolha de um seguro de viagem?

Antes de contratar seu seguro de viagem para o Chile, é importante ter atenção a alguns pontos. Veja, a seguir, quais são eles:

Veja o que está incluso na apólice

A SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), órgão ligado ao Ministério da Fazenda, determina na resolução 315/2014 que todo seguro de viagem ofereça a cobertura básica dos seguintes itens em viagens internacionais:

  • despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas;
  • traslado médico (ressarcimento para despesas com remoção ou transferência a clínica, ou hospital por motivo de acidente);.
  • regresso sanitário (em caso de atendimento especial no regresso ao local de origem, se a viagem exigir cuidados especiais, o seguro de viagem deve cobrir).
  • invalidez permanente total ou parcial por acidente;
  • morte em viagem (causas naturais ou acidentais);
  • traslado de corpo (despesas com liberação e transporte do corpo até o local do sepultamento).

Outros itens não obrigatórios podem ser acrescidos ao valor da apólice, de acordo com as necessidades ou perfil do viajante.

Observe o período de cobertura

O valor do seguro varia de acordo com o período da viagem e, conforme o caso, dos destinos para onde você vai. O mais importante é saber quanto tempo antes da viagem a cobertura inicia e quanto tempo ela dura após. Isso é importante no caso de cancelamento de voos na ida, atrasos no retorno ou até mesmo extravio de pertences.

Saiba quais são os valores destinados à reposição de pertences

Normalmente os seguros de viagem cobrem despesas com pertences extraviados ou roubados. Isso vale para itens como sua bagagem, documentos importantes ou dinheiro (até uma certa quantia). Nesse caso, o seguro pode repor o item perdido ou devolver o valor equivalente.

Porém, veja que itens caros, como roupas de grife, equipamentos esportivos ou eletrônicos, podem não ser contemplados em apólices padrão. Se estiver levando seu laptop, óculos escuros ou aquele casaco importado, verifique se você precisará de cobertura adicional, pois algumas seguradoras têm um limite máximo de valor para itens individuais que você pode reivindicar.

Veja o que diz sobre a prática de atividades esportivas

A programação de esportes de aventura no Chile é vasta. Dois exemplos disso são as atividades de exploração da Cordilheira dos Andes ou os ski days no Valle Nevado. Quando falamos sobre explorar vulcões, não era brincadeira. Há expedições que levam você literalmente à boca do gigante.

Por serem atividades com maior risco para os praticantes, nem sempre podem estar automaticamente asseguradas. Então, talvez você precise contratar uma cobertura extra.

Atente-se às políticas para acidentes graves e falecimentos

Infelizmente, tudo pode acontecer. Como você viu, esses itens fazem parte da cobertura básica exigida pela SUSEP. No entanto, existem coberturas adicionais que podem ser contratadas à parte. Por exemplo:

  • indenização no caso de falecimento do segurado durante o período de viagem;
  • reembolso para despesas farmacêuticas, no caso de enfermidades ou acidentes;
  • assistência fisioterapia para reabilitação após alta médica;
  • reembolso ou pagamento das despesas de estadia no caso de prolongamento da viagem por conta de ordem médica;
  • passagens aéreas de ida e volta para acompanhante do segurado no caso de internação.

Quais os riscos de não ter um seguro de viagem?

Sem um seguro de viagem, o preço de sua viagem pode sair bem salgado, caso você tenha algum problema. Em um exemplo simples, digamos que você tenha de fazer uma cirurgia de apêndice de emergência. É provável que você gaste no mínimo uns US$ 5.000, caso não tenha seguro ― isso sem contar todos os outros problemas sobre os quais falamos até agora.

Então, não cometa o erro de viajar sem um seguro viagem. O investimento é muito baixo em comparação ao tamanho da dor de cabeça (pessoal e financeira) que você pode ter caso alguma adversidade aconteça.

Por um preço quase irrisório ― em alguns casos, pouco mais de R$10 ao dia ―, você evita contratempos que vão estragar suas férias. Você não vai querer passar por isso, não é mesmo?

Então, sugerimos que você compare os preços das apólices e contrate seu seguro de viagem para o Chile pagando um preço justo. Acesse o site do nosso parceiro Seguros Promo ou veja os planos abaixo e compare os valores de seguro de viagem em diversas empresas. Você ainda ganha um desconto de 5% usando o cupom NOSNOCHILE5.

[seguros_promo_shortcode ideal_para=”3″ ideal_para_lbl=”América do Sul” tags=”post-o-que-precisa-saber-seguro” theme=”card-large” coupon=”NOSNOCHILE5″ show_logo=”false”/]

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

Gostou? Deixe aqui seu comentário