Vinícola Santa Rita – Onde o Carmenere foi redescoberto

por Rosi Guimarães

Recebi convites para dois importantes eventos na vinícola Santa Rita. Um foi o lançamento do livro: Santa Rita – Un Monumento Histórico en el Valle del Maipo e o outro foi o Ciclo de Conciertos. Os dois no mesmo dia, e é claro que eu aproveitei para fazer um tour e vou contar tudo pra vocês. Eu já conhecia a vinícola Santa Rita, eu e Flávio fomos quando eu ainda estava apenas planejando vir morar aqui no Chile (o Flávio, meu marido já morava aqui), então estava na hora de voltar.

Veja o post completo da nossa primeira visita.

O tour

A apenas 40 quilômetros de Santiago, no Valle del Maipo, a Santa Rita oferece uma fascinante viagem pelo Patrimônio Histórico do Chile. Para viver uma experiência única e conhecer cada pedacinho da vinícola, a Santa Rita oferece oito tipos diferentes tour. Eu fiz o Clássico. O tour foi conduzido pela Maíra, uma simpática carioca. E começa no jardim de variedades, onde a guia explica os tipos de uvas e conta uma curiosidade que eu ainda não sabia.

Santa Rita Chile

Curiosidade

Foi ali nos vinhedos da Santa Rita que o Carmenere foi redescoberto. Redescoberto porque no ano de 1860 a peste da filoxera atacou os vinhedos da França o que ocasionou em sua extinção. E no ano de 1994 o  Francês, Jean Michel Boursiquot, estava caminhando pelas plantações de uva da  Viña Carmen (do mesmo grupo da Santa Rita) e descobriu que as uvas que os chilenos pensavam ser Merlot, na verdade eram Carmenere.

Foto: Vinícola Santa Rita

Foto: Vinícola Santa Rita

Se estima que o Carmenere chegou no Chile com as importações que o país fez de Bordeaux no século  XIX (1840 a 1890), quando as famílias tinham muito dinheiro por causa do salitre e queriam investir em atividades com mais status social, como era o caso do vinho.

Assim, no ano de 1996 a Vinícola Carmen, engarrafou pela primeira vez um Carmenere produzido no Chile. E daí não parou mais. Chile hoje conta com a maior quantidade de hectares dessa variedade no mundo, concentrando 84% da produção internacional. Diz a lenda (não sei se é verdade) que o Francês levou de volta o Carmenere para Bordeaux, mas devido ao solo chileno, aqui ele tem melhor qualidade, por isso, o Chile produz o melhor carmenere do mundo, é sua especialidade. Então se vier ao Chile tem que tomar um carmenere. Mais informações aqui.

Um post com dicas de bons vinhos para levar para o Brasil.

Continuando o tour

Partindo do jardim de variedades de uvas, seguimos pelo vinhedos, que nessa época de inverno estão descansando, a colheita das uvas acontecem no período de janeiro a maio. Então se quer ver os pés repletos de uvas tem que voltar no verão. Depois entramos na primeira bodega, onde a guia explica o processo desde a chegada da uva até o processo de fermentação.

Santa Rita Chile

Depois fomos para a segunda bodega, onde estão os tanques de aço inoxidável, onde os vinhos ficam fermentando e é dada uma explicação sobre as temperaturas da fermentação dos vinhos e algumas dicas sobre a temperatura ideal para servir cada tipo de vinho.

Passamos então para a aérea de embotelhamento com uma explicação rápida sobre como é feito o processo e os números de exportação dos vinhos Santa Rita, que curiosamente 60% da produção fica aqui no Chile.

Santa Rita chile

Por último, visitamos a histórica Bodega Cal y Canto de 1880, que no ano de 1972 foi tombada pelo Patrimônio Histórico e hoje já não é mais utilizada para guarda de vinhos. Por fim, fomos para a Bodega dos 120 Patriotas. Aqui nesse post tem a história da valente dona Paula. E é ai que acontece a degustação de três vinhos: O primeiro um reserva Sauvignon Blanc, o segundo foi um Cabernet Sauvignon, com um teor alcoólico de 13,5% e o último, um gran reserva Carmenere 2013.

Santa Rita

As outras opções de tours

Se quer sair do clássico e viver uma experiência diferente, a Santa Rita oferece outros tipos de tours. Nessas outras opções de tours você terá a oportunidade de conhecer o Hotel Casa Real (antiga casa da família), seu jardim que é maravilhoso, tive a oportunidade de conhecer e fiquei encantada. Nesse mesmo jardim tem uma capela no estilo neogótico. E quem sabe ter uma experiência de um passeio de bicicleta pelos vinhedos ou ainda poder fazer um delicioso piquenique. E se quer ser sommelier por um dia e produzir seu próprio vinho também é possível. Basta você escolher o tour que mais combina com você.

Santa RitaHotel Casa Real Dec2014_11-78B3

Conheça as outras opções de tours, além do clássico, que foi o que eu fiz:  Clássico Privado, Premium, Ultra Premium, Bike and Wine, Pic Nic,  Winemaker Experience e Pedal Bar. Clique sobre cada um para saber os detalhes todos os detalhes.

Restaurante  Doña Paula

Foto: Site da vinícola

Foto: Site da vinícola

A vinícola possui restaurante, que é uma boa opção para quem tem tour agendado para o horário próximo ao almoço. O restaurante também foi declarado Monumento Nacional e levou esse nome em homenagem a Paula Jaraquemada, dona da casa principal da Fazenda Santa Rita.  Vale experimentar. Tem que fazer reservar.

 Museu Andino

Santa Rita Museo Andino

Foto: Vinícola Santa Rita

A vinícola também possui um museu que é aberto ao público. São mais de 1800 peças da arte Precolombina que o empresario Ricardo Claro colecionou durante 40 anos. Ricardo Claro comprou a vinícola Santa Rita em 1980, recuperou o patrimônio e abriu a vinícola para visitação.

Horário: de terça a Domingo, das 10h30 às 17 horas. O Museu e a vinícola não funcionam as segundas-feiras;

Viu que visitar a Santa Rita não é simplesmente fazer um tour? Aqui você vai poder conhecer um pouco da história e do Patrimônio Histórico do Chile, se quer visitar uma vinícola pertinho de Santiago, essa é uma boa opção. Vai por mim!

Os eventos

Lembram que comecei escrevendo o post falando sobre os eventos na vinícola? Pois é, dois eventos lindos, um deles foi o  Lançamento do livro aconteceu no Museu Andino. É um livro com mais de 200 páginas recheados de história e de lindas fotografias do fotógrafo Max Donoso. “Santa Rita: Un monumento histórico en el Valle del Maipo” conta os 400 anos de história da vinícola com grandes detalhes do jardim da casa, além de relatar a história dos 120 patriotas que lutaram pela Independência do Chile.

Santa RitaDSC093856

O Concerto – O Cliclo de Conciertos é realizado quatro vezes ao ano: Na primavera, outono, verão e esse que participei foi o de inverno. Comandado por Alfredo Pearl, um chileno, que nos encantou por uma hora. Onde foi? Lembram que comentei que no jardim da casa tem uma capela? Então, foi nessa capela. Imagina ouvir música clássica nesse lugar maravilhoso. foi Lindo!

Foto: vinícola Santa Rita

Foto: vinícola Santa Rita

Santa RitaHotel Casa Real Chile

Foto: Vinícola Santa Rita

Como chegar:

mapa santa rita

Para imprimir a forma de chegar, clique aqui.

Olha que interessante: Se você for de transporte público, ao chegar na portaria da vinícola tem uma charrete a sua disposição para te levar até a parte de dentro da vinícola e assim você não precisa caminhar. Adorei!!!

Santa Rita Chile

Mais informações sobre o tour clássico:

  • Duração: 1 hora e 10 minutos.
  • Horário do tour em português: 12:30 e 15:30
  • Valor: $12.000 por pessoa.
  • Para reservar, clique aqui.

Agradeço à vinícola pelos convites recebidos.

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

18 comentários

Luciana cerqueira 5 de janeiro de 2019 - 19:29

Estive em janeiro 2018 na vinícola SANTA RITA! O lugar é muito agradável! Fizemos um tour e almoçamos!! Após um passeio pelos lindos jardins fomos ao museu! Meu filho de um ano e meio caiu e chorou alto e por um período. Um homem na recepção fez XIIIIIII ( para que meu filho ficasse quieto) e perguntei como calar um menino de um ano…então ele me apontou a porta de saída! Fui até ele e pedi para que pendurassem um aviso de proibido crianças! Apesar da vinícola ser muito linda eu não voltaria!

Reply
Rosi Guimarães 6 de janeiro de 2019 - 10:57

Oi Luciana,
Vi que voce deixou um comentário no outro post da Santa Rita que tenho aqui no blog. Te respondi por lá e realmente sinto muito pelo o ocorrido e te sugiro deixar seu comentário também nas redes sociais da vinícola.
Um abraco!

Reply
KARINA BELTRAME RIBEIRO ANDRADE 14 de junho de 2018 - 13:12

Olá Rose venho acompanhando o Blog de vocês a alguns meses, e amo de paixão. Vocês são maravilhosos, suas informações estão sendo perfeitas para montar o roteiro para minha viagem em setembro. Mas agora estava procurando uma publicação sua em que você fez um passeio com o pessoal do Indo Pro Chile, para vinícola In Situ (San Esteban) e Portillo no mesmo dia mas não encontro mais, queria poder ler novamente e anotar as dicas.
Muito Obrigada!

Reply
Pérez Cruz: uma vinícola para descobrir o segredo do vinho chileno 23 de abril de 2018 - 07:00

[…] Vinícola Santa Rita […]

Reply
Thais 24 de janeiro de 2018 - 09:23

Estou com duvidas sobre o restaurante dona paula, não achei informações sobre o preço, é muito mais caro que almoçar no Patio Bellavista por exemplo?

Reply
Vai viajar para o Chile? Tudo que você precisa saber! 4 de dezembro de 2017 - 15:26

[…] sobre vinícolas: tem as que são próximas de Santiago e bem tradicionais, como a Concha y Toro, a Santa Rita e a Undurraga. Aí deixo esse post pra vocês: 5 vinícolas pertinho de Santiago para ir por […]

Reply
Dayane 29 de outubro de 2017 - 11:03

Estou indo em dezembro pela segunda vez este ano para Santiago, desta ver quero ir à Santa Rita. Baixei a imagem onde a vinícola explica como chegar ao vinhedo, entretanto pesquisando via Google maps, vi que tem outras estações de metrô super perto da vinícola, em que pegando um uber levaria 8 minutos. Seriam a estação Lá Ramon e lá cisterna. Alguém poderia me ajudar? Desde já agradeço.

Reply
Rosi Guimarães 7 de novembro de 2017 - 09:39

Oi Dayane,
Não sei confirmar essa informação, quando nós fomos utilizando o transporte público, fomos de ônibus, assim que não saberia te dizer se dá certo. Quem sabe você manda uma email para a vinícola e eles podem te ajudar com essa dúvida. Se der certo, volte aqui para contar pra gente.
Um abraço!

Reply
18 e 19 de setembro, Fiestas Patrias no Chile - O que abre e o que fecha 9 de setembro de 2017 - 14:04

[…] Santa Rita:   Segunda, 18 estará fechada, dia que a vinícola não abre. Dia 19 aberta em horário normal, com primeiro tour as 11:00 e o último às 16:00 horas.  Para fazer reservas no tours e restaurante:  [email protected] […]

Reply
Vai viajar para o Chile? Dúvidas frequentes! 12 de março de 2017 - 16:29

[…] sobre vinícolas: tem as que são próximas de Santiago e bem tradicionais, como a Concha y Toro, a Santa Rita e a Undurraga. Aí deixo esse post pra vocês: 5 vinícolas pertinho de Santiago para ir por […]

Reply
7 curiosidades que você não sabia sobre o Chile. E nem eu! 13 de fevereiro de 2017 - 10:38

[…] da área vitivinícola).  É o país que mais produz Carmenere. Foi ali nos vinhedos da Santa Rita que o Carmenere foi redescoberto. Redescoberto porque no ano de 1860 a peste da filoxera atacou os […]

Reply
Patricia 17 de novembro de 2016 - 23:28

Para ir até a Santa Rita, tem 2 opções de ônibus. Qual a diferença? Para os 2 ônibus é necessário ter o cartão bip? Se não tiver ?

Reply
É Primavera. O que fazer em Santiago do Chile? - Nós no Chile 20 de outubro de 2016 - 17:59

[…] como a Concha y Toro, que é a que todos os brasileiros querem conhecer. Mas tem outras, como a Santa Rita, a Undurraga, a Cousiño Macul, a Santa Carolina, todas pertinho de […]

Reply
18 e 19 de setembro de 2016: O que funciona no Chile? - Nós no Chile 11 de setembro de 2016 - 18:34

[…] Santa Rita:  Aguardando o retorno da vinícola; […]

Reply
Adriana Klimkowski 3 de setembro de 2016 - 20:32

Rosi como eu faço para ir da conchaytoro para a vinicola da Santa Rita? Da pra fazer as 2 vinícolas no mesmo dia?

Reply
Chile: Dia Nacional do Vinho com atividades grátis em todo país 28 de agosto de 2016 - 20:37

[…] Post da vinícola aqui. […]

Reply
Tour pela Vinícola Casas Del Bosque – Valle de Casablanca - Nós no Chile 21 de agosto de 2016 - 11:34

[…] de vinhos brancos. O tour é bem rápido, cerca de 40 minutos, não é tão aprofundado como o da vinícola Santa Rita, que é outra vinícola que também adoro, mas confesso que gostei mais dos vinhos da Casas Del […]

Reply
Vinícola Santa Rita - Santiago do Chile 2 de agosto de 2016 - 11:44

[…] Aqui no blog tem um post novinho (agosto de 2016) da vinícola Santa Rita. Clique aqui para ler a novidades. […]

Reply

Gostou? Deixe aqui seu comentário