Expedição Sul do Chile: Como fazer a travessia de Puerto Varas para Bariloche – Parte 2

por Rosi Guimarães

Foram 9 dias de expedição
209 horas
Mais de 3.000 quilômetros rodados
2 países
9 cidades
4 hotéis
Paisagens surpreendentes
Muito aprendizado
Alguns perrengues
Enfrentamos calor, frio, chuva, sol …

Valeu a pena? Muito!
E você vai saber a segunda parte desta viagem a partir de agora.

 

Esse é o segundo post da nossa Expedição Sul do Chile – Lagos Andinos em janeiro de 2019. Se ainda não leu o primeiro, comece por ele clicando aqui.

O primeiro post é o roteiro completo partindo das cidades do sul do Chile até a Bariloche, na Argentina. Como fizemos a travessia de um país para o outro no nosso carro, vou contar como foi e dar outras opções, pois esta é uma viagem que vale muito a pena. Nós recomendamos.

Então, como já tinha contado, arrumamos as malas no nosso sexto dia de viagem e partimos em direção à Argentina. Mostrei tudo nos stories do Instagram do @blognosnochile e muitas pessoas me perguntaram sobre a travessia. Por isso, resolvi escrever este post para ajudar outros viajantes de estilo road trip.

Como fazer a travessia Chile – Argentina

Nossa primeira providência foi trocar pesos chilenos por pesos argentinos em Puerto Varas, pois, como nosso tempo era bastante curto, já queríamos chegar em Bariloche com o câmbio feito e não ter essa preocupação por lá

Para quem ainda não sabe, moramos no Chile há cinco anos e foi bem mais tranquilo fazer essa travessia no nosso carro do que seria com carro alugado, situação em que as exigências são maiores, já que nem toda locadora de veículos permite a troca de país com carro alugado.

Ainda em Puerto Varas, no Chile, compramos o Seguro Mercosur ou RCI – Responsabilidad Civil Internacional, válido para quem viaja de carro para os seguintes países: Argentina, Brasil, Bolívia, Paraguai, Peru e Uruguai. Compramos pela internet e imprimimos no hotel.

Primeiro, chegamos na fronteira chilena para fazer o procedimento de saída do país, onde apresentamos a documentação do carro e nossos documentos chilenos. Minha sobrinha,(que não mora no Chile) que é menor de idade e viajou com a gente, apresentou o passaporte com a autorização dos pais inserida no próprio passaporte.

O procedimento na aduana chilena demorou mais ou menos quarenta minutos. Depois de sermos liberados, voltamos para o carro e dirigimos mais uns vinte quilômetros até chegar na aduana argentina para fazer o trâmite de entrada no país. O processo é o mesmo, olham toda a documentação do carro e documentos pessoais. Nesse dia, eles não vistoriaram o carro, mas esse é o procedimento padrão. Só para vocês terem uma ideia, o procedimento de imigração é o mesmo feito no aeroporto. A diferença é a fiscalização da documentação do carro. Depois de tudo liberado, voltamos para o carro e seguimos estrada.

Outras opções para fazer a travessia Chile – Argentina

Travessia com carro alugado

Para viajar para a Argentina, a primeira coisa que você vai precisar é encontrar uma locadora que aceite alugar carro para trocar de país. O custo das licenças necessárias e o seguro para viajar para a Argentina custam em média $ 160.000 (R$ 800), além do valor do aluguel e as taxas para gerar o documento de autorização de saída de veículo do país. Para isso, é necessário contatar a locadora com sete dias de antecedência e iniciar os trâmites junto aos órgãos governamentais.

O documento é gerado em nome do condutor autorizado do veículo e só ele pode sair e retornar com o veículo ao país. Mesmo em caso de falha mecânica ou acidente em que o veículo tenha que ser levado por um guincho, o condutor autorizado é quem deve fazer o ingresso do veículo no posto da aduana. A locadora entrega todos os documentos necessários para o veículo.

O condutor oficial deve portar carteira de motorista e documentos necessários à sua saída do país que são a Tarjeta de Turismo (documento entregue pela polícia quando entra no Chile) e o passaporte ou carteira de identidade. A carteira de motorista não é válida como identidade.

Nem todas as locadoras prestam este serviço. Algumas exigem comprovante de residência no Chile por um mínimo de cinco anos. Então, é bom pesquisar e confirmar as informações com bastante antecedência. Algumas delas recomendam fazer a travessia de ônibus e alugar o carro no destino. É mais barato e você tem todas as coberturas e facilidades de suporte por uma empresa local.

Travessia de ônibus

A empresa Cruz del Sur faz a travessia saindo da cidade de Puerto Montt.

Valor da passagem: $ 18.000 por trajeto

Mais informações: https://www.webcds.cl/es/Puerto-Montt-a-Bariloche

A empresa Andesmar faz o trajeto saindo de Puerto Varas e Puerto Montt

Valor da passagem: $ 20.000

Mais informações: https://www.andesmarchile.cl/

É a opção mais barata e menos burocrática. A viagem dura em média 6 horas. Vale a pena avaliar a possibilidade. Quem está de carro alugado, pode entregar o carro em Puerto Varas e alugar outro em Bariloche.

Travessia de Barco

A empresa Cruce Andino oferece a opção de fazer a travessia navegando pelos lagos. São doze horas de um trajeto de 180 quilômetros passando por três lagos e quatro trechos terrestres, unindo Puerto Varas a Bariloche e vice e versa. Existe também a opção de ida e volta com pernoite em Puerto Varas ou Bariloche.

Valor: em média US$ 442 por pessoa por trajeto

É a opção de viagem mais linda e a mais cara também. Deve ser realmente incrível o trajeto pelos lagos.

Uma leitora do Nós no Chile fez a travessia de Bariloche para Puerto Varas pela empresa Turisur e gostou bastante.

Lembrando que esse post foi específico para falar das opções de viagem de Puerto Varas, no sul do Chile, para Bariloche. Ainda terá um terceiro texto contando o que fizemos em cada cidade na nossa Expedição Sul do Chile.

Não esqueçam de ler o post 1 da nossa Expedição Sul do Chile. Clique aqui.

Aguarde!

Texto revisado por Bárbara Mussili, criadora do blog Refúgio Ameno

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas aqui pelos links do blog você não paga nada a mais por isso, e ainda ajuda na manutenção da nossa página. Nossos parceiros foram escolhidos a dedo. Então não custa nada ajudar a gente.

Posts Relacionados

Gostou? Deixe aqui seu comentário