8 dicas para uma viagem sem perrengues ao Deserto do Atacama

Pensando em viajar para o Atacama mas tem dúvidas ainda sobre como é uma viagem para essa região do Chile? Hoje eu te conto 8 dicas para uma viagem ao deserto do Atacama sem perrengues.

Só para avisar, esse post foi escrito em 2018 e acabou de ser atualizado.

Acabamos de chegar do Atacama. Foram 6 dias de uma viagem incrível, experiência única para nossa família. Eu, Flávio e Artur curtimos muito, voltamos apaixonados. Yasmim nem tanto, não é a “praia” dela. Ela é totalmente urbana, aliás nem queria ir, mas foi e acabou curtindo pelo menos um pouco. Vou passar dicas quentinhas de quem acabou de chegar de viagem e está com todas as informações frescas na cabeça e com a emoção e o alto astral desse lugar incrível. Vem pro Atacama que o alto astral vai te dominar! Agora já sei porque todos dizem que o Atacama é mágico e hoje eu já posso dizer o mesmo.

Aliás o Deserto do Atacama está sendo um destino muito procurado pelos brasileiros. Andando pelas ruazinhas de San Pedro de Atacama se escuta todas as línguas e o português é fácil de ser percebido. Então vamos lá com dicas fresquinhas para você não passar perrengues no Deserto do Atacama.

1. Como é o deserto do Atacama: A cidade

Antes de mais nada, San Pedro de Atacama está localizado no Norte do Chile, no Deserto mais árido do mundo, a 1.600 quilômetros de Santiago e a 2.438 metros de altitude com relação ao mar. São duas horas de voo até o aeroporto mais próximo que é Calama. De Calama até San Pedro de Atacama é mais uma hora em carro. Fomos agora no verão (fevereiro 2017) e na cidade a temperatura varia entre 8 e 35 graus. Nos passeios pode variar entre -6 e 35º.  Lembrando que fevereiro é alta temporada aqui no Chile e a cidade estava bem cheia.

As construções são de adobe (argila, areia e capim), as ruas de terra, não tem calçamento, tudo muito simples, o que torna o lugar mais especial. Nossa dica: É melhor conhecer Santiago primeiro e depois ir para o Atacama. Por quê? O Deserto tem tanta beleza que pode ser que quando você chegar aqui em Santiago não consiga admirar a cidade. Sei que são belezas diferentes, mas vai por mim!

2. Vale a pena fazer o câmbio no Atacama?

Desde já te adianto que não vale, é sim melhor fazer a troca de dinheiro em Santiago. Enquanto o câmbio em San Pedro do Atacama estava $175, em Santiago estava $205. Então compensa mais trocar o dinheiro na capital chilena e já chegar na cidade com Pesos. Para saber os melhores lugares para fazer câmbio em Santiago, confira nosso post. 

3. Lojinhas no Deserto do Atacama

No centrinho de San Pedro de Atacama, principalmente na rua Caracoles, tem várias lojinhas de artesanatos, farmácia, caixa eletrônico, restaurantes, bares, mercadinhos para comprar lanches e água, e várias agências de viagem. Tem até loja da The North Face.

Atenção: Uma garrafão de 5 litros de água custa $1.900. entretanto, mesmo tendo lido que a água lá é muito cara, não achei o preço tão diferente de Santiago.

4. O que colocar na mala para o deserto do Atacama?

De biquíni/sunga até agasalho de neve. Verdade gente, é uma mala bem complicadinha para fazer, tem que colocar de tudo. Os passeios incluem termas que você vai precisar de biquíni/sunga e Geysers que a temperatura mínima pode chegar a -20 graus (vou dar detalhes desses passeios nos posts seguintes). Luvas, gorros, cachecóis, blusas térmicas também são bem-vindos para os passeios frios.

Aliás para os passeios que não fazem tanto frio é bom colocar na mala acessórios para proteger do sol – bonés, chapéus e óculos escuros. Camisetas e shorts para passear na cidade de San Pedro durante o dia, a noite a temperatura cai. É isso mesmo tem que levar roupas de calor e de frio. Evite levar roupas brancas, a cidade é toda de terra e as roupas voltam imundas.

Para os pés, tênis é o ideal, pelo menos uma meia mais grossa ou térmica para os passeios no frio. Chinelo para tomar banho no hotel e levar para os passeios que entra na água, como as termas Puritama. Se quer conforto e segurança os tênis de trekking são os melhores, mas se não tem, os comuns resolvem. Prefira cores escuras.

Protetor solar e labial são imprescindíveis, além de hidratantes, lencinhos umedecidos e papel higiênicos para emergências (tem passeios que não tem banheiro). Soro fisiológico e se usa lente de contato (como meu filho Arthur), é bom levar colírio para umidificar os olhos.

Dica extra do Nós no Chile

Nossa dica: Em todos os nossos passeios levei uma nécessaire com hidratante, protetor solar, protetor labial, bepantol, papel higiênico, lencinho umedecido, álcool gel e sorine. Para quem viaja com filhos isso é muito importante. E água, sempre.

Em outras palavras prefira mala tipo mochila, a cidade é toda de terra, a situação fica complicada com malas de rodinhas, mas se não der, tudo bem também. 

No vídeo abaixo eu montei minha mala para viajar ao deserto do Atacama agora em 2022.

5. Onde ficar no Deserto do Atacama?

Ficamos num hotel muito simples – Don Raul, mas com ótima localização que era o que eu buscava. Yasmim detesta caminhar, então priorizamos a localização. Fica na rua Caracoles, mas longe do burburinho. Apesar de ganhamos na localização, acabamos perdendo em outros quesitos. O banheiro era bem ruim e a água na hora do banho sempre dava problema, ora esquentava muito, ora gelava. Reclamamos, tentaram consertar, mas não deu muito certo.

Por exemplo o restaurante do hotel é muito bom e o café da manhã também, mas a estrutura em si deixou a desejar. A princípio achei que eram donos diferentes, cheguei a perguntar o gerente do restaurante se era tudo do mesmo dono porque o atendimento era totalmente diferente. Como fomos em alta temporada os hotéis estavam bastante caros. Os hotéis melhores ficam mais distantes do centro.

Atenção! Se você fizer a reserva do seu hotel por esse link do booking, você não paga nada a mais e a gente ainda ganha uma pequena comissão para a manutenção do blog. Obrigada!

6. Como ir para o Deserto do Atacama?

Partimos de Santiago e fomos pela Latam, compramos nossas passagens por $60.000 por pessoa, ida e volta. A Sky Airline também faz esse trecho e costuma ter boas promoções. São duas horas de voo até o aeroporto de Calama. Chegando no aeroporto você vai precisar contratar um transfer. Nós já contratamos alguns para o Deserto e atualmente temos uma parceria com a agência Araya. A Araya é uma agência especializada nos destinos Deserto do Atacama e Salar de Uyuni, com sede em San Pedro de Atacama. É a agência mais completa do Atacama. Confira os valores aqui

Para ir de ônibus: As empresas TurBus e a Pullman Bus fazem o trajeto até San Pedro do Atacama, os valores variam de acordo com o tipo de passagem. Entre $45.000 e $70.000. Se achar boas promoções nas passagens aéreas não compensa ir de ônibus.

7. Como prevenir o soroche ou o mal da altitude?

Como estávamos viajando com nossos filhos, essa era uma das nossas maiores preocupações. Também conhecido como o mal da montanha – é a adaptação do seu corpo a baixa pressão atmosférica, falta de oxigênio nas alturas. Acontece normalmente acima dos 2.400 metros de altitude. Quanto maior a altitude, menor a quantidade de oxigênio. E seu corpo vai sentir. Os efeitos são: tonteira, náuseas, dor de cabeça, prostração e algumas pessoas podem vomitar e até desmaiar.

E como evitar o mal da altitude?

Em primeiro lugar, tomar muita água (tomávamos cerca de 1 litro e meio por pessoa em cada passeio), pode parecer brincadeira, mas é verdade. Alguns passeios no deserto atingem a altitude de até 4.800 metros e quando está subindo é muito importante ir tomando goles de água a cada 5 minutos, isso faz toda a diferença. Pude comprovar. No passeio para os Geysers que atinge 4.500 metros, como saímos do hotel às 5 horas da manhã, era de madrugada e não tomei água, senti muita tonteira e dor de cabeça. Na subida para o Salar de Tara que atinge 4.800 metros, fui tomando água a cada 5 minutos e não senti nada. Artur e Yasmim ficaram bem, todos falam que as crianças sentem menos (tudo bem que os meus já não são tão crianças). Quando estiver na altitude faça tudo com calma, evite correr ou fazer qualquer esforço físico.

Por todos os lados lá no Atacama tem chá de coca que também ajuda muito. Como crianças não são fãs de chá, nas lojinhas você vai encontrar balas de coca. Evitar tomar bebidas alcoólicas também é muito importante. Não é indicado tomar nenhum medicamento. Caso você tenha falta de ar na altitude a indicação é descansar. Prefira comida leves.

8. Agências de viagem no Atacama

Como já falei, no centrinho de San Pedro tem agências para todos os gostos e bolsos. Algumas ficam na rua abordando os turistas (eu não gosto dessa prática). Nós fizemos os nossos passeios com a agência Araya, que é uma parceira aqui do blog. A Araya é uma agência especializada nos destinos Deserto do Atacama e Salar de Uyuni, com sede em San Pedro de Atacama. Ela é de uma brasileira e um chileno, conta com uma equipe com atendimento em português, altamente especializada e pronta para te auxiliar a planejar e executar sua viagem. É a agência mais completa do Atacama, a única que tem todos os serviços necessários para que sua experiência seja a melhor possível, como passeios, hospedagem e serviço de transfer do aeroporto. Confira aqui os valores e descontos.

Outra dica importante:

Cuidado com carro alugado, se for alugar, prefira carro grande, preparado para estrada de pedras e terra. Minha amiga Bárbara fez os passeios com carro alugado e deu tudo certo. Eu não faria, sou medrosa, acho que ficaria com medo de ficar perdida. No nosso passeio para as Lagunas Escondidas vimos três carros estragados na estrada, nosso guia parou para ajudar as pessoas, todos os carros com dois pneus estourados.

Melhor época para viajar?

O Deserto dá para ir em qualquer época do ano. Fomos em fevereiro, acho que é a pior data. Alta temporada chilena, tudo mais caro e a cidade bem cheia. Além desse período ser o inverno altiplanico, ou ainda chamado de inverno Boliviano, vai de janeiro a março. Nesses meses são esperados frio, chuva e até neve no Deserto. E nós vimos neve no nosso passeio para o Salar de Tara.

Me siga no Instagram para não perder nenhuma dica do Chile 

 

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ao comentar você concorda com nossa Política de Privacidade