Chile com crianças: quais vinícolas visitar no Valle de Colchagua?

* O post que você vai ler a seguir é a experiência da jornalista Bárbara Freire, na cidade de Santa Cruz, no Vale de Colchagua.

Muita gente acredita que passeios em vinícolas e crianças, não combinam. Eu discordo, em partes. Já visitei mais de 10 vinícolas acompanhada do meu filho, João Pedro, de três anos. Em algumas, a experiência realmente não foi tão bacana. Por outro lado, quando a vinícola está preparada para receber toda a família, a experiência tem tudo para ser incrível. 

Visitamos o Valle de Colchagua, que fica a cerca de 2h20 de Santiago, em um final de semana prolongado e foi muito divertido para todos. Conto a seguir as minhas percepções e dicas de quem pretende conhecer as vinícolas e a cidade de Santa Cruz com os pequenos. 

Vinícola Viu Manent

O melhor tour que tivemos com o João Pedro. Chegamos bem cedinho, umas 9h30, e fizemos o tour de carruagem. Logo ao chegar, fomos bem recebidos pela equipe, e esperamos o passeio começar no jardim da vinícola. Enquanto esperávamos, meu filho pôde brincar um pouco ao ar livre e ver os cavalos que estavam nas baias. O tratador foi muito atencioso e deixou ele montar em um dos animais que ia sair para um passeio. 

Em seguida, com a guia Mabel, fizemos o tour em português. Super atenciosa, a guia nos explicou sobre a história da Viu Manent, que foi a primeira a produzir um Malbec chileno e essa uva é a especialidade da casa. Depois, participamos para o passeio de charrete, que percorre os lindos vinhedos. Como fomos no outono, as folhas das parreiras estavam caindo, formando uma paisagem com cores deslumbrantes.

Nem preciso dizer que o meu filho amou o momento, conversou bastante com a guia e com o condutor da charrete, além de fazer muito carinho no cavalo. Depois, retornamos para a sede da vinícola e fizemos a degustação de quatro vinhos. 

Enquanto ouvíamos a guia, João Pedro aproveitava para desenhar com papel e lápis que ele ganhou. Foi interessante ver o cuidado da Mabel para que toda a família pudesse desfrutar o momento. Se puder, peça para fazer o tour com ela.

Depois, almoçamos no restaurante Rayuela, com uma linda vista para os vinhedos. Estava um belo dia de sol e João Pedro aproveitou para jogar bola com outras crianças que estavam por ali.

Com certeza, é uma vinícola que recomendo ir com crianças. Para saber mais sobre a Viu Manent, leia este post.

Vinícola Ventisquero

A visita à vinícola Ventisquero superou nossas expectativas. Fomos para fazer a degustação com pôr do sol, mas pegamos um dia muito chuvoso. Por isso, a nossa visita foi realizada somente na parte fechada da sede. Degustamos 5 taças de vinhos, todas no nosso ritmo, ou seja, sem tempo para acabar o passeio. 

O ambiente é muito aconchegante, com sofás confortáveis, lareira para aquecer o espaço, e um guia muito atencioso. Além disso, aos sábados à tarde, eles têm uma música ao vivo. 

A vinícola não tem nenhuma atração para crianças, mas eles foram bem receptivos com nossa família, em especial com meu filho. Como João Pedro gosta muito de música, a apresentação e o próprio músico foram uma diversão para ele. E, apesar de não vermos o pôr do sol,  a experiência foi bem agradável.

Para saber mais sobre a Ventisquero, leia aqui.

Vinícola Montes

A Montes era a vinícola que mais queríamos conhecer. Além dos vinhos excelentes, a possibilidade de combinar o tour com um almoço no restaurante de Francis Mallmann, o Fuegos de Apalta, foi o programa perfeito. Fizemos um tour mais exclusivo, o Alta Gama, para degustar vinhos premium e ultra premium. 

Conhecemos os vinhedos e a famosa bodega em que os vinhos descansam ao som de cantos gregorianos. Uma maravilha, realmente. No entanto, a minha percepção é que esse passeio não é adequado para crianças. Além de não ter nenhuma atração para elas, o tour é muito longo, cerca de 2 horas de duração, e realizado em uma sala fechada próxima a bodega. 

Ainda mais por ser uma degustação mais premium, a duração foi bem longa. Difícil manter o pequeno muito quieto por tanto tempo, mesmo com as distrações que eu sempre levo na mochila. 

Depois, almoçamos no restaurante Fuegos de Apalta, com uma linda vista para o vinhedo já com as folhas de outono. Comida muito boa e um excelente atendimento. Recomendo conhecer o restaurante, sem dúvidas. No entanto, vale a pena avaliar se o tour é indispensável ou se existe alguma opção mais curta para levar os pequenos.

Saiba mais sobre a Montes, aqui.

Vinícola Santa Cruz

Com diversas atrações para todas as idades, a vinícola Santa Cruz é a mais recomendada para levar crianças. Nossa experiência foi em um dia nublado, mas pudemos aproveitar muito. 

Começamos com uma degustação e o passeio no teleférico – que o João Pedro amou! Do alto do morro, conhecido como Cerro de las Esculturas, pudemos desfrutar de uma vista incrível do vinhedo e do Valle de Lolol. Lá em cima estão algumas exposições, com peças das culturas Aymara, Mapuche e Rapa Nui. Além de um observatório. Não ficamos para o passeio noturno, mas as exposições são bem bacanas.  

Chamaram nossa atenção a réplica de um Moai, da Ilha de Páscoa, e as duas lhamas, que sempre fazem sucesso com as crianças. Depois, descemos e fomos conhecer o Museu do Vinho e o Museu do Automóvel, que são parte da Santa Cruz.

Foi muito interessante conhecer sobre a história de vinícolas chilenas mais antigas no Museu do Vinho. E, como não podia deixar de ser, ganhamos mais uma taça de degustação. Mas, a atração para o João Pedro foram os carros antigos. São 80 modelos de diversos anos – carros de bombeiros, Kombi, Rolls Royce, Porsche, Bentley, Ferrari e até uma réplica do carro do filme “De Volta para o Futuro”. 

Com certeza, diversão para a família toda. A minha recomendação é tirar um dia para conhecer a vinícola. Além dessas atrações, ainda tem passeio de charrete, tour de bicicleta e o restaurante, que não pudemos desfrutar desta vez. 

Para saber mais sobre a Santa Cruz, clique aqui.

Museu Colchagua: um bom passeio para crianças

Passeio obrigatório para quem vai com crianças à Santa Cruz. Apesar de ser um museu de uma cidade pequena, o acervo é rico e muito interessante. Primeiro, porque é do tipo que você segue em uma direção só para a visita. Segundo, porque eles separam as peças de forma cronológica. Simplesmente muito bem organizado e com exposições que surpreendem a todas as idades.

O Museu de Colchagua pertence à Fundação Cardoen e foi inaugurado em 1995. São 8 Salas da exposição principal, uma verdadeira “jornada evolutiva” que se inicia há 600 milhões de anos (salas de paleontologia e arqueologia), passando pelo desenvolvimento das culturas pré-hispânicas, a chegada dos europeus,  a formação do Chile e termina com a modernidade do século XX. 

Além disso, conta com 9 pavilhões temáticos, com destaque para o “Ferrocarril en Colchagua”, que conta com uma locomotiva a vapor e uma réplica de como eram os vagões luxuosos de antigamente. E também para o “El Gran Rescate” sobre os 33 mineradores chilenos que ficaram presos em uma mina de San José, em 2010, e que virou até tema de filme. 

João Pedro se divertiu muito. Sem dúvidas, é uma atração para crianças. Os valores dos ingressos variam de acordo com a idade, mas menores de 6 anos não pagam. 

Se quiser conhecer o Museu Colchagua, acesse este link.

Conhecer o Valle de Colchagua com crianças vale a pena sim. O importante é planejar bem as visitas, os lugares de parada para almoço e deixar que os pequenos participem também dos passeios, da forma deles. Além disso, é um destino próximo a Santiago e que vale passar um final de semana.

Aproveita para ler outros posts sobre passeios com crianças no Chile, clicando aqui

Informações úteis

Vinícola Viu Manent – https://viumanent.cl/pt/visitenos/tour-degustacion/ 

Vinícola Ventisquero – https://www.ventisquero.com/ 

Vinícola Montes – https://www.monteswines.com/ 

Vinícola Santa Cruz – https://vinasantacruz.cl/ 

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ao comentar você concorda com nossa Política de Privacidade