Como funciona o transporte em Santiago do Chile?

Quem já está com viagem marcada para o Chile não pode deixar de pesquisar sobre o funcionamento do transporte em Santiago.

Por aqui, como toda capital, temos opções para todos os bolsos. A rede pública de transportes, composta por linhas de metrô e ônibus, é uma boa escolha para economizar nos passeios.

Por outro lado, quem prefere um pouco mais de conforto e privacidade, pode escolher entre o transporte por aplicativo e os transfers para passeios privados.

Quer saber quais são os pontos positivos e negativos dos transportes e a melhor forma de se locomover em Santiago? Vem comigo que eu explico!

Rede de transporte público em Santiago

 A rede de metrô e ônibus tem uma capilaridade muito grande na cidade de Santiago. É possível visitar vários locais turísticos usando apenas transporte público.

A Red Metropolitana de Movilidad engloba as linhas de ônibus, metrô e trens. Por meio de um único bilhete, a tarjeta BIP, os usuários podem se mover entre todas as linhas com o valor de apenas uma passagem durante duas horas.

O sistema de ônibus de Santiago atende toda a Região Metropolitana e cobre em torno de 680 km de extensão das zonas urbanas. O serviço de trens, conhecido como MetroTren, liga a Estação Central de Santiago a bairros mais distantes.

Já o metrô de Santiago, mais comumente usado para quem vem conhecer a cidade, é um dos mais modernos da América Latina. Atualmente, conta com 136 estações, e 7 linhas. Um dos pontos positivos é que a maioria das estações de metrô se conectam com as paradas de ônibus e trens, o que é uma facilidade e tanto para quem deseja circular de transporte público.

 

 

Metrô de Santiago

Os trens do metrô de Santiago circulam das 6h às 23h, durante a semana, aos sábados das 7h às 23h e aos domingos e feriados, das 8h às 22h30. Mas cuidado com os horários mais cheios: de manhã, entre 8h e 9h30, e à tarde, entre 17h e 20h. Nesses intervalos, as estações ficam lotadas e, em várias delas, como Tobalaba, Pedro de Valdivia, Universidad de Chile, na linha 1 (vermelha), é quase impossível entrar nos trens.

 

Linha vermelha (L1)

 

Aliás, a L1 é a mais utilizada por turistas, porque muitos pontos importantes da cidade podem ser visitados em cada uma das estações. É rápido, fácil e barato. Com o mapa da rede em mãos (baixando o mapa no app ou site da Red) não tem erro.

Fique atento à direção a seguir, observe o mapa e veja que a direção é o nome da última estação de cada linha. Então, você olha onde precisa desembarcar para saber para qual lado ir.

As linhas 2, 4 e 5 tem Ruta Expresa, que são paradas alternadas dos trens nas estações entre 6h e 9h30 e 17h e 21h. Alguns trens param somente nas estações verdes e outros nas vermelhas (rojas). Você precisa observar a cor da sua estação. Por exemplo, se quer desembarcar na Estação Las Mercedes, da linha 4, que é vermelha, você precisa tomar o metrô ruta roja. Para identificar, os trens têm uma luz (verde ou vermelha) na frente do vagão e nas portas.

Quase todos os trens têm ar condicionado e são bem novos. As estações possuem elevador para quem vem com criança ou pessoas com maior dificuldade de locomoção. Você também pode encontrar lojinhas que vendem água, petiscos e doces em cada parada.

Ao andar de metrô em Santiago, posso dizer que me sinto segura. Claro, como toda cidade grande, há riscos de furtos, principalmente nos horários mais cheios. Eu mesma já fui furtada algumas vezes. Por isso, fique atento a bolsas e carteiras.

Aqui, como em outros lugares do mundo, é comum encontrar muitos vendedores ambulantes e artistas de rua, mas o metrô não permite a compra de produtos e pede para que os usuários não deem gorjetas para músicos.

Muitos pontos turísticos podem ser visitados utilizando o metrô como o Palácio de La Moneda, Plaza de Armas, Cerro San Cristóbal, Costanera Center e outros. Inclusive é possível conhecer as vinícolas Concha Y Toro e Santa Carolina de transporte público.

 

 

Eu explico todo o caminho que você precisa seguir para esse passeio no meu post sobre tudo o que você precisa saber sobre o metrô de Santiago.

Tarjeta BIP

Antes de planejar um dia de passeios, é preciso saber que para andar de metrô ou ônibus em Santiago você terá que comprar um cartão (tarjeta BIP) e colocar créditos para as passagens. O cartão custa CLP $1550 (cerca de R$9) e pode ser compartilhado por mais de uma pessoa. Um só cartão serve para a família inteira!

A vantagem é que, com a tarjeta BIP você tem a segurança de chegar ao seu destino com uma passagem em até 2 horas. Além disso, os ônibus não aceitam dinheiro e nem tem “trocador” como no Brasil. O cartão é vendido nas estações, local onde também se coloca a carga.

As tarifas têm valores variados ao longo do dia:

Tarifa Baja: entre às 6h e 6h59 ou 20h45 e 23h. Nesse período, a passagem custa CLP $640 (R$3,76). Se você agregar ônibus ou trem a essa viagem, sairá tudo por CLP $700 (R$4,11)

Tarifas Valle: entre às 9h e 17h59 ou 20h e 20h44. O valor é de CLP $720 (R$4,23). No entanto, se combinado com ônibus o trem, não haverá acréscimo ao valor da passagem.

Tarifas Punta: entre às 7h e 8h59 ou 18h e 19h59. O valor é de CLP $800 (R$4,70).

Se viajar somente de ônibus o valor é fixo a qualquer momento do dia: CLP $700 (R$4,11).

Para facilitar a sua vida, você pode baixar o app da Red e planejar as suas paradas, fazer recargas no cartão BIP, conferir horários e mais.

 

Aplicativos de transporte e táxis

 Muitas pessoas me perguntam sobre os aplicativos de transporte e táxis no Chile. Primeiro é preciso dizer que o Uber e o Cabify não são regulamentados no país. Isso mesmo: existe o serviço, mas teoricamente não cumprem as normas do Ministério de Transportes porque os motoristas não possuem a licença para o serviço que é exigida e não contam com seguros para quem transporta passageiros. É um tema polêmico por aqui, mas muita gente usa sim.

Em relação aos táxis, eu realmente não recomendo. Um dos golpes mais comuns em Santiago do Chile acontece logo que você desembarca no aeroporto. Você tem um transfer agendado e, ao sair com as malas, não consegue localizar de imediato a pessoa que foi te buscar.

De repente chega outra pessoa, se apresenta como “taxista oficial do aeroporto”, diz que seu transfer vai atrasar e que pode te levar ao hotel. Além disso, o golpista simula uma ligação telefônica, falando em espanhol pra você não entender, e confirma que seu transfer pediu para ele te deixar no hotel.

Então, você confia, entra no carro e, quando chega ao hotel, ele estaciona um pouco antes ou depois da entrada e te cobra o dobro do preço combinado com o seu transfer. Além disso, ele só tira as malas do carro depois que você paga. Por isso, fique esperto!

Mas Rosi, como faço então para ir do aeroporto para o hotel?

Leia as minhas dicas a seguir sobre o uso de transfers ou ônibus.

 

Transfer do aeroporto para o hotel

 O aeroporto está localizado a 17 minutos do centro de Santiago e cerca de 25 a minutos dos bairros de Providencia, Las Condes e Vitacura, regiões que eu mais  recomendo para hospedagem.

Agora em 2022 foi inaugurado o novo terminal internacional (T2), chamado Nueva Pudahuel, aonde chegam os voos provenientes de outros países. Com a mudança, ficou muito mais fácil se encontrar na hora do desembarque e embarque. Além de um terminal mais moderno e cômodo, de acordo com a recepção que Santiago oferece, está tudo mais informativo e rápido para quem chega ou vai de viagem.

Há diversos serviços disponíveis, como restaurantes e lanchonetes, lojas, farmácias e estacionamentos próximos. Já os voos nacionais permaneceram no T1.

Para ter comodidade e segurança para chegar ao hotel, você pode optar pelo transfer. Vale a pena agendar o serviço antes para não cair em furadas. Eu explico melhor como fazer isso a seguir.

 Para não cair no golpe do táxi do aeroporto, é preciso planejar como vai do Aeroporto Arturo Merino Benítez para o hotel. A chegada no aeroporto de Santiago é um pouco tumultuada e os golpes são comuns. Então, o melhor é ter alguém de confiança te esperando, de preferência com uma plaquinha com seu nome.

A minha indicação é a Vem Me Buscar, empresa do grupo Sousas Tour, uma das agências parceiras do Nós no Chile. Nada melhor que chegar em outro país e ser recepcionado por uma empresa de confiança e ser levado até o seu hotel com segurança e tranquilidade. E ainda com assistência 24 horas.

Por isso, eu recomendo a opção do transfer para vocês. Já usei o serviço algumas vezes e vale a pena.

Nas minhas experiências, o carro estava sempre limpo, bem cuidado e identificado. A equipe é sempre muito cordial, cumprem o horário e te esperam com uma plaquinha de identificação com o seu nome.

Se você fechar o transfer IN e OUT (ida e volta), a Vem Me Buscar te presenteia com um kit: ecobag personalizada, chip com internet para celular e mapa de Santiago (um kit por adulto).

Ônibus do aeroporto para o hotel

Quem prefere economizar e ir de ônibus até o centro de Santiago, saiba que é possível sim. No site do aeroporto de Santiago, há um mapa com os transportes oficiais, que conectam com metrô. Mas atenção. Antes de planejar a viagem fique atento ao horário de chegada ao metrô de Santiago, que fecha cedo.

A Ruta Maipú (realizada pela Centropuerto) parte de ônibus do aeroporto até o metrô Los Heroes (L1 e L2), todos os dias, e tem várias paradas. Os ônibus saem a cada 20 minutos das 6h às 23h30 no trajeto aeroporto – metrô Los Heroes. Depois desse horário, a cada 1 hora, da meia noite às 5h da manhã.

Já do metrô para o aeroporto, o horário é de 6h às 22h30. Ida e volta tem o valor de CLP $3.400 (R$20) e só um trecho de CLP $1.800 (R$10,58). As tarifas são pagas em dinheiro, diretamente ao condutor do ônibus.

Já o TurBus Aeropuerto parte do aeroporto até o Terminal Alameda (Estação Central), todos os dias, das 5h30 às 23h35 (ida e volta). E tem intervalos a cada 20 minutos (de segunda a sexta) ou 40 minutos (sábados, domingos e feriados). O trajeto do Terminal Pajaritos até o aeroporto (e vice-versa) funciona das 6h às 22h45, com o mesmo intervalo entre as saídas de 15 a 30 minutos.

Agora também há opção de sair do Terminal Los Héroes até o aeroporto, de segunda a sexta, das 6h às 21h, com saídas a cada 20 minutos. Ida e volta tem o valor de CLP $3.000 (R$17,64) e só um trecho de CLP $1.600 (R$9,41). As tarifas são pagas na bilheteria da empresa ou pelo site.

Agora que você já sabe tudo sobre o transporte em Santiago, que tal ver as minhas sugestões para quem quer viajar de carro para o Chile?

 

Links de interesse para você

Aeroporto – https://www.nuevopudahuel.cl/

Metrô e ônibus – https://www.red.cl/

Mapa da rede de transportes – https://www.red.cl/mapas-y-horarios/bus/mapas-en-version-imprimible/

Transfer – https://nosnochile.com.br/transfer/

Centropuerto – https://new.turbus.cl/turbuscl/venta-aeropuerto

Turbus – https://www.centropuerto.cl/

 

Assista ao vídeo que fiz sobre o metrô de Santiago:

 

E também os passeios que você pode fazer a pé e de metrô:

 

 

 

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ao comentar você concorda com nossa Política de Privacidade