Quem gosta de um bom vinho e vem visitar o país quer levar para casa alguns vinhos chilenos para desfrutar depois da viagem, não é mesmo? Não é segredo para ninguém que sou uma apaixonada por vinícolas, um dos meus passeios preferidos aqui no Chile. 

A uva emblemática do Chile é a Carménère. Você tem que provar um vinho dessa cepa. A história dela é até interessante: de origem francesa, a uva Carménère foi extinta na Europa em 1690 devido a um parasita da videira e, após mais de 130 anos, foi redescoberta aqui.

Isso foi em 1994, quando o francês Jean Michel Boursiquot visitou o Chile e decidiu percorrer os vinhedos da Viña Carmen, localizados em Buin. Enquanto caminhava, percebeu que o que se pensava ser Merlot era na verdade Carménère. Que sorte a nossa!

A redescoberta marcou um antes e um depois na indústria vinícola nacional. Atualmente o Chile tem a liderança mundial em áreas plantadas de Carménère, com mais 10 mil hectares plantados, segundo o Serviço Agrícola e Pecuário (SAG).

Se estima que aqui existam mais de 400 vinícolas, sendo que metade está aberta a visitação. Já visitei mais de 60 e provei diversos rótulos. Por isso, resolvi escrever sobre os 10 vinhos chilenos que vale a pena levar para o Brasil.

Eu experimentei e gostei, por isso, conto para vocês a seguir.

10 vinhos chilenos com bom custo-benefício para levar para o Brasil 

A minha lista leva em conta uma experiência muito pessoal, de vinhos que provei e que têm bom custo-benefício. Espero que gostem!

 

# 1 – Leyda Pinot Noir Single

Uma opção da vinícola Leyda, que está localizada próxima a costa do Pacífico, o Leyda Pinot Noir Single tem uma cor rubi brilhante, acidez viva, com notas de cereja, framboesa e ervas selvagens. Na boca é delicado e refinado. Por $7.990 (R$47).

 

# 2 – Tabali Pedregoso Carmèneré Gran Reserva 2020 

Um vinho vermelho intenso e profundo, com leves tons violetas. De aroma elegante, complexo e muito picante, com frutos pretos e chocolate. Na boca, seus taninos macios persistem com uma combinação perfeita de carvalho e frutas. Um rótulo da vinícola vegana Tabali, do Valle ​​de Limarí. Por $9.490 (R$55,82).

 

# 3 – Villard Expression Syrah 2017 

Um rótulo com aromas de frutas pretas maduras, amora, mirtilo, pimenta preta. A coloração está entre vermelho e cereja brilhante. Na boca, tem acidez média, taninos jovens e intensos e final salgado. Produzido numa vinícola familiar, a Villard, localizada no Valle de Casablanca, que é considerada a primeira vinícola boutique do Chile. Por $9.490 (R$55,82).

 

# 4 – Casas Del Bosque Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2019

De cor vermelho-púrpura intensa, este um típico Cabernet Sauvignon chileno. É caracterizado por aromas de cassis e menta, com algumas notas de figos secos e framboesas. Da barrica de carvalho onde fica armazenado, expressa notas de baunilha e especiarias. Produzido na Casas del Bosque, localizada no Valle de Casablanca, uma vinícola deliciosa para conhecer. Por $10.990 (R$64,64).

 

# 5 – Errazuriz Max VIII Ensamblaje Tinto 2018 

Max VIII é um vinho equilibrado, longo e persistente no paladar. De cor avermelhada intensa. Tem aromas de ameixa preta, groselha preta, cardamomo, violetas, couro, tabaco, cedro e licor de amora. Na boca, apresenta acidez de média a alta, taninos abundantes e firmes. Produzido na Viña Errázuriz, que existe há mais de 150 anos, no Valle de Aconcagua. O nome “Max” é uma homenagem ao fundador. Por $10.990 (R$64,64).

 

# 6 – TH Undurraga Carmenere Peumo 

Este vinho mostra um equilíbrio entre aromas de framboesa fresca e uma especiaria conhecida como ginja. Possui toques de pimenta verde, notas de chocolate amargo e frutas vermelhas. As uvas TH Carménère são provenientes de um vinhedo localizado em Peumo, na zona oeste do Vale do Cachapoal. Esta área tem um clima muito adequado para a uva, pois as temperaturas são altas no período de maturação com brisas suaves que permitem preservar melhor a acidez e, portanto, melhor frescura dos sabores e aromas do vinho.Por $10.990 (R$64,64).

 

# 7 – De Martino Legado Pinot Noir 

Legado é um vinho de grande intensidade e complexidade, proveniente de vinhas da região do Valle de Limarí. Este Pinot Noir é um exemplo desta variedade que está do lado dos frutos vermelhos e da elegância. A vinícola De Martino existe desde 1934 e, há quatro gerações, a família que a fundou se especializou na produção de vinhos por meio da agricultura sustentável e a vinificação tradicional. Por $11.690 (R$68,76).

 

# 8 – Bodegas Re Syragnan 2018 

Este é um vinho de coloração vermelho arroxeado. Possui aromas de frutas pretas frescas, amora, mirtilo, cereja, especiarias doces, cardamomo, alcaçuz, tabaco, couro. Na boca apresenta acidez média-alta e taninos intensos. A Bodegas RE é uma vinícola pequena no tamanho e na produção: só produz 45 mil garrafas ao ano e tudo de forma manual e, podemos até dizer, à moda antiga. Está na lista das minhas vinícolas preferidas no Chile. Por $11.990 (R$70,52).

 

# 9 – Viu Manent Vibo Ensamblaje Tinto Punta Del Viento 2020 

Punta del Viento é o nome da colina onde estão plantados os vinhedos que dão origem a este vinho. É uma mistura de variedades mediterrâneas, que se adaptaram muito bem ao clima e ao solo do Valle de Colchagua. É um blend 100% proveniente da vinícola: El Olivar, Mourvedre e Syrah. A Viu Manent aparece entre as vinícolas mais visitadas desse Valle e eu já fui mais de quatro vezes. Por $11.990 (R$70,52).

 

# 10 – Ventisquero Grey Single Block Cabernet Sauvignon 2019 

Rótulo da vinícola Ventisquero, também no Valle de Colchagua. Quem sabe um pouco de vinho, com certeza já ouviu falar do rótulo Grey. Esse vinho tem coloração vermelha profunda, quase um rubi. Com um frutado característico da costa, frutas vermelhas como morangos, framboesas e cassis misturam-se com aromas de pimenta preta e tabaco. É um vinho elegante e suave, de estrutura equilibrada e boa acidez.

É uma vinícola familiar e jovem, do ano de 1998, e já coleciona prêmios que reconhecem sua qualidade. Entrou na minha lista pela vista do lugar e pela qualidade dos vinhos. Por $11.990 (R$70,52).

Onde comprar os melhores vinhos chilenos?

É claro que por aqui você vai encontrar uma infinidade de lugares para comprar vinhos chilenos bons e baratos. Uma das opções é comprar diretamente nas vinícolas que irá visitar. Diretamente no produtor é uma ótima forma de conhecer mais sobre os vinhos, provar e escolher o que quer levar para casa. Além, é claro, de fazer um passeio delicioso.

Veja aqui as vinícolas que eu mais gostei de visitar até hoje e as preferidas dos brasileiros

No entanto, você também pode levar ótimos vinhos chilenos de vinícolas que não poderá visitar. Recomendo que você não leve rótulos que encontra facilmente no Brasil. Apesar de um preço melhor, é uma oportunidade para provar vinhos diferentes e que realmente não encontrará com facilidade por lá. 

Veja as dicas a seguir de locais fáceis de encontrar os rótulos que recomendei:

El Mundo del Vino

Com quatro lojas (shoppings Parque Arauco e Costanera Center, Portal La Dehesa e Plaza Maule), El Mundo del Vino possui alguns diferenciais: o atendimento personalizado, uma loja enorme e rótulos separados pelo tipo de uva.

A empresa conta com mais de 21 anos de mercado e oferece também cursos, degustações e catas. E o mais legal: com o cupom BLOGNOSCHILE você tem 15% off na loja inteira.

 

Supermercados Diez 

Com quatro lojas (duas em Los Conquistadores, uma na Luis Carrera e outra na Av. La Dehesa), o Supermercado Diez oferece uma ampla variedade de rótulos, com opções de kits de 2, 3, 6 ou 12 garrafas de vinhos. Você também pode comprar pela internet e receber no hotel sem taxa de entrega.

 

Jumbo 

Uma das maiores redes de supermercados do Chile, o Jumbo possui uma vasta seção de vinhos chilenos, com diversos rótulos. A vantagem é que você pode encontrar um Jumbo perto de você, afinal, são 21 lojas na Região Metropolitana de Santiago. 

 

Unimarc

A rede de supermercados Unimarc também possui várias lojas em Santiago e o diferencial é que a seção de vinhos sempre tem descontos interessantes em alguns dias do mês. 

 

Quantos vinhos pode levar para o Brasil?

Essa é a pergunta de milhões. Brincadeiras à parte, sempre me perguntam isso por aqui e nas minhas redes sociais. A boa notícia é que recentemente a Receita Federal brasileira aumentou o valor de importação de bebidas alcoólicas para turistas que viajam ao exterior.

Anota aí. Agora, você pode levar até U$1000 dólares e 12 litros de bebidas alcoólicas sem pagar taxas alfandegárias. Isso para quem chega ao Brasil por via aérea ou marítima. Como cada garrafa de vinho tem normalmente 750ml, o limite de isenção é de até 16 garrafas.

Por outro lado, é importante lembrar dos limites do peso da bagagem e das regras para o embarque dos vinhos pela companhia aérea que você vai viajar para evitar surpresas.

Na Latam, por exemplo, “pode-se levar até 5 litros (170 oz) de bebida alcoólica de 1 litro (170 oz) na cabine ou bagageiro, desde que não ultrapasse 70º de teor alcoólico, e que as autoridades do local de origem não o proíbam”.

Assim, se você tem mais de cinco garrafas, terá que despachar as outras em sua mala. Existem algumas opções de malas próprias para despachar garrafas. Essa é a melhor maneira de levar os vinhos em segurança, no entanto, se você não conta com a proteção adequada, pode enrolar as garrafas individualmente em plástico bolha ou em peças de roupa.

A dica é enrolar a garrafa primeiro em um saco plástico porque, caso quebre durante o trajeto, não danifica sua a roupa. Procure colocar as garrafas mais para o meio da mala para que fiquem mais protegidas das batidas. Se você tiver uma mala dura, ainda melhor.

Agora que você já sabe como comprar e levar os seus vinhos chilenos, que tal dar uma olhada nas dúvidas frequentes para viajar ao Chile?

Também não deixe de conferir o meu vídeo sobre tours nas vinícolas chilenas:

 

 

A seguir deixo alguns links para facilitar a sua vida. Até mais!

 

Links de interesse para você

Receita Federal do Brasil

El Mundo del Vino 

Supermercados Diez 

Jumbo 

Unimarc 

Latam