Roteiro de viagem: saiba o que fazer no Chile em 3 dias

Você tem viagem marcada e quer saber o que fazer no Chile em 3 dias? Já encontrou!

Apesar do tempo curto, é possível conhecer muita coisa em Santiago, mas você vai precisar de dicas assertivas para aproveitar melhor o tempo.

Por isso, preparamos um roteiro de viagem para o Chile bem completo. Leia as dicas a seguir.

1° dia: Centro Histórico de Santiago

Visitar o Centro Histórico de Santiago é fazer uma verdadeira imersão na história do país, onde você poderá ver na arquitetura a influência da colonização espanhola e, ao mesmo tempo, a transformação da região em uma agitada zona comercial.

Edificações que pertencem ao governo, museus, galerias com lojas e cafés, praças com locais agradáveis para sentar e apreciar o dia e os artistas de rua. É isso o que você vai encontrar nessa visita. 

Infelizmente, desde outubro de 2019, com as manifestações ocorridas, a região central está mais deteriorada, com várias pichações e falta de manutenção em alguns pontos. Por isso, realmente não está tão bonito como antes. Infelizmente é a situação atual (junho/2022). Por aqui, torcemos por uma revitalização breve do local.  

A primeira parada do roteiro é no Palácio La Moneda (estação de metrô La Moneda), sede do governo chileno, para assistir a troca de guarda, uma tradição aqui. Confira o calendário de 2022.

Uma dica é aproveitar o passeio para conhecer o interior do palácio, que tem visita guiada de graça, exposições e atividades culturais. Do outro lado do La Moneda está localizada a Plaza de Constitución, que foi projetada para a criação de um bairro cívico e hoje abriga também uma estátua de Salvador Allende, ex-presidente que foi deposto pelo golpe militar de 1973. 

Além disso, você pode aproveitar para conhecer o Centro Cultural La Moneda, com acesso por elevadores pela passarela das calles (ruas) Morandé e Teatinos, onde encontrará lojinhas de artesanato e simpáticas cafeterias com wi-fi liberado.

Paseo Bandera e Plaza de Armas

Em seguida, aproveite para conhecer o Paseo Bandera, a rua mais colorida de Santiago, que fica bem pertinho do La Moneda. Basta seguir caminhando até a Plaza das Armas (estação de metrô Plaza de Armas), onde estão localizados a Catedral Metropolitana de Santiago, o Museu  Histórico Nacional, o Museu de Arte Precolombino e o edifício dos Correios.

Para quem gosta de fazer umas comprinhas, vale uma parada no Paseo Ahumada e Huérfanos. Com acesso fechado para veículos, os pedestres têm a tranquilidade de caminhar e conhecer um dos principais pontos de comércio de Santiago, que conta com lojas de departamentos, de sapatos (Paseo Estado), eletrônicos e restaurantes.

 

Nessa região também estão os famosos cafés com pernas, cafeterias populares aqui, onde quem atende os clientes são mulheres vestidas de forma que deixam as pernas mais a vista.  

Já na rua  Agustinas há várias casas de câmbio com boas cotações. Se você quiser saber os melhores lugares para fazer câmbio em Santiago, não deixe de ler esse post

Atualização (junho/22): não recomendo a ida ao Mercado Central, apesar de ser bem tradicional por aqui. A região está perigosa e o assédio dos garçons aos turistas está causando muito desconforto em quem visita.

Seguindo o roteiro, você pode seguir até o Cerro Santa Lucía (metrô Santa Lucía). 

 

Cerro Santa Lucía e Lastarria

No Cerro Santa Lucía, o conquistador Pedro de Valdivia fundou a cidade de Santiago, em 1541. Você vai precisar de disposição para chegar ao topo, mas a vista é linda. Compensa muito subir para ver a Cordilheira dos Andes e garantir boas fotos. Fique ligado, o Santa Lucía não funciona às segundas.

Para terminar o dia, vale a pena seguir pela calle Padre Luis de Valdivia, onde há uma ligação entre o Cerro Santa Lucía e o Barrio Lastarria. Eu adoro esse bairro, por tudo o que ele representa: arte na rua, música, cultura, gastronomia. 

Esse cantinho especial fica bem no coração da cidade. A principal rua é a José Victorino Lastarria, onde estão várias opções de restaurantes, bares, cafés, galerias, museus e até um cinema de rua.

Um dos seus segredos é a arquitetura. Foi a partir da Igreja de Vera Cruz e de seus casarões construídos no século XIX  que o bairro se formou. Assim, as construções foram preservadas como patrimônio cultural e dão uma sensação de conhecer uma Santiago do passado.

Se quiser saber mais sobre gastronomia e entretenimento em Lastarria, não deixe de ler o post que eu fiz sobre o bairro.

 

 

2º dia: Vinícolas chilenas

Claro que não tem como conhecer o Chile sem passar ao menos em uma vinícola e provar os deliciosos vinhos. Pela manhã, recomendo a visita a uma delas.

Se estima que aqui existam mais de 400 vinícolas, sendo que menos da metade está aberta a visitação. Mas, mesmo assim, restam muitas opções para conhecer e degustar, não é?

Aqui no blog, temos roteiros para várias vinícolas e você pode conferir tudo na página inicial do site (aba “vinícolas). 

Mas, claro, vou facilitar a vida de vocês: as vinícolas mais próximas de Santiago e que valem visitação:  Cousiño MaculConcha y Toro, Undurraga, Santa Carolina e Santa Rita. São opções fáceis de chegar de transporte público.

Algumas vinícolas ficam um pouco mais distantes, como por exemplo, as do Valle de Casablanca (cerca de 2 horas de carro) como a Casas del Bosque, a Emiliana, a Matetic, a Indômita e várias outras. No Valle do Colchagua (cerca de 2 horas de carro) tem a Santa Cruz, a Lapostolle e outras.

Uma dica imperdível é que você pode fazer esses passeios com agências de turismo parceiras  do blog Nós no Chile. Entre as vantagens está o fato de você poder visitar mais de uma vinícola no mesmo dia, com transporte privado e, ainda, evitar passar perrengue para chegar e marcar as degustações. Assim dá para aproveitar bem o dia.

 

Conheça as 5 vinícolas chilenas mais visitadas por brasileiros

 

Parque Metropolitano de Santiago + Cerro San Cristóbal

Na parte da tarde, vale a pena conhecer o Parque Metropolitano de Santiago. Para chegar até lá, pegue o metrô (linha 1) até a estação Baquedano, atravesse a Plaza Itália, aí é só caminhar até o final da Calle (rua) Pio Nono, nº 450.

O maior parque do Chile abriga o Cerro San Cristóbal e o Zoológico Nacional. O passeio é bem interessante para quem está viajando com crianças, pois você pode chegar ao Cerro pelo funicular (uma espécie de bondinho, mas atualmente está em manutenção), se vem pela Calle Pio Nono. Agora, se prefere subir de teleférico, deve entrar pela Avenida Pedro de Valdívia, Providência.

Chegando lá em cima, você encontra o Santuário Imaculada Conceição, com uma imagem da Virgem que está localizada na parte mais alta do Cerro. Além disso, você tem uma vista maravilhosa de Santiago. 

As entradas podem ser adquiridas pelo site do Teleférico de Santiago. Confira os dias e horários de funcionamento antes de marcar o passeio.

Não deixe de provar o mote con huesillos, uma espécie de suco, bem doce, com grãos de trigo cozidos, parecidos com milho e pêssego natural inteiro. Ah… prove também as empanadas: são gigantes, quase um almoço.

Em Bellavista visite uma das famosas Casas-Museu do poeta Pablo Neruda, ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1971. A mais próxima é a La Chascona, que fica na Calle Fernando Márquez de La Plata, 192, Bellavista, bem aos pés do Cerro.

Termine o passeio caminhando até o Pátio Bellavista, um shopping aberto com diversos restaurantes e lojinhas com artesanatos típicos, muitos feitos com cobre.

 

 

3° dia: com neve

Se tem neve, não dá para perder o passeio para as estações de esqui próximas de Santiago. Seja para praticar ski ou snowboard, brincar na neve e almoçar por lá, a experiência vale a pena. 

Você poderá escolher entre quatro estações: Valle Nevado, El Colorado, Farellones e La Parva. Para quem vai com crianças e quer se divertir brincando na neve, o ideal é parar em Farellones – esta estação tem tobogã e tirolesa, que fazem a diversão da galera.

Já se quer passar o dia esquiando, você pode escolher entre as outras três. Visitei recentemente o Valle Nevado e te conto a experiência no post quanto custa passar um dia na neve

E para saber qual a estação de esqui tem o seu perfil, leia nosso post sobre o tema.

 

3° dia: sem neve

Para quem não vem no período de neve, a sugestão é conhecer mais de uma vinícola ou ir conhecer as cidades litorâneas de Valparaíso (onde está o principal porto do Chile) e Viña del Mar (conhecida como cidade das flores).

 

O que é preciso para viajar para o Chile?

O seguro viagem com a cobertura para a Covid-19 não é mais obrigatório para entrar no Chile desde de 16 de junho de 2022. 

Os estrangeiros não residentes poderão entrar no país, mas eu recomendo fortemente a contratação de um seguro médico de viagem que cubra gastos que podem surgir por:

  • Assistência médica de urgência ou por atendimento hospitalar durante sua estadia no país;
  • Repatriação por motivos médicos ou por morte;
  • Cobertura de qualquer gasto originado por Covid-19.

Sobre o seguro viagem, eu explico melhor aqui.

Para a próxima viagem, não deixe de incluir mais uns dias em sua visita ao Chile para poder aproveitar outros roteiros bem interessantes por aqui. 

Recomendo 4 dias no Deserto do Atacama  ou 4 dias em Pucón (sul do Chile)

Se você gostou do roteiro de 3 dias em Santiago, não deixe de recomendá-lo para os amigos. Até a próxima!

E aqui temos um roteiro para quem quer curtir 7 dias em Santiago e arredores.

 

Veja nosso vídeo da Concha y Toro

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ao comentar você concorda com nossa Política de Privacidade

Comentários