IVA Chile: guia completo sobre a isenção

IVA no Chile, você sabe como funciona?

Aliás, você já ouviu falar sobre o assunto?

Se ainda não, e tem viagem marcada para o Chile, precisa entender melhor sobre como ter a isenção do IVA no Chile.

 

Clica em cada item para te levar direto ao assunto:

 

 

1. O que é IVA Chile?

IVA é a sigla para Impuesto al Valor Agregado, que incide sobre a comercialização de bens e serviços. Isso quer dizer que, assim como ocorre no Brasil, você paga um percentual para o governo de tudo que compra aqui: comida, bebida, passeios, hospedagem.

O valor é de 19% e, você, turista, pode ficar isento desse imposto na hora de pagar a sua hospedagem.

Quer saber como? 

Então siga lendo este post para entender melhor!

 

2. Como ter a isenção do IVA no Chile?

Como estrangeiro e não residente no país, você pode isentar os 19% do IVA sobre o valor de sua estadia em hotéis (a isenção é válida somente para hospedagem).

No entanto, para conseguir isso, é preciso ficar atento às seguintes condições:

2.1. Na hora de fazer o check-in no hotel, apresentar o passaporte ou RG com o comprovante de entrada no país – a tarjeta de turista (o papel que te entregam na migração).

2.2. O pagamento deverá ser feito em moeda estrangeira, ou seja, não em pesos chilenos. Vale dinheiro e cartão de crédito. No entanto, muitos hotéis aceitam somente dólares ou euros.

2.3. A isenção será feita diretamente no pagamento, assim, o valor do imposto é descontado na hora – sem a necessidade de pedir reembolso posteriormente.

2.4. Apesar de garantir isenção na hospedagem, todos os produtos de consumo no hotel, como comida e bebida, terão sim a taxação do IVA. Logo, a “boleta” ou nota fiscal, será feita de forma separada.

Atenção!

Não existe, na prática, uma lei que obrigue os centros de hotelaria no Chile a oferecer este benefício aos turistas estrangeiros. 

O que existe é uma regra determinando que somente os estabelecimentos registrados como hotéis no Servicios de Impuestos Internos (SII) podem oferecer este desconto do IVA.

Desse modo, desde que cumpra estes requisitos, a empresa hoteleira será considerada exportadora, ficando isenta do pagamento de IVA. Veja aqui o que diz a página do SII.

3. Dicas importantes para ter a isenção do IVA Chile

Baseada na minha experiência e na conversa que tive com contadores e gerentes de hotéis, aqui vão algumas dicas importantes.

Dica 1.

Antes de reservar o seu hotel, pergunte ou pesquise no site qual é a política para a isenção do IVA, já que cada hotel determina suas próprias regras.

Dica 2.

Quem se hospeda em apartamentos alugados, como o aplicativo AirBnb, pode não ter direito à isenção, pois para isso os donos dos imóveis precisam ter um cadastro como estabelecimento hoteleiro do tipo exportador, que certifica ao governo chileno que a transação está sendo feita com um estrangeiro.

Assim, não é possível emitir uma nota fiscal específica para este tipo de transação.

Dica 3.

Pagar em dinheiro espécie pode ser mais vantajoso para você, uma vez que o cartão de crédito internacional estará sujeito a outro imposto, desta vez, no Brasil: o Imposto sobre Operações Financeira (IOF). O valor é de 5,38%.

Dica 4.

Cartões pré pagos ou multicontas, como Wise e Nomad, não liberam o pagamento do IVA Chile.

Isto ocorre porque, antes de fazer os pagamentos, os cartões são obrigados a fazer o câmbio para pesos chilenos. Assim, uma vez feito o câmbio para moeda local, perde-se a isenção do IVA.

Por isso, recomendo para sua viagem ao Chile, ter um cartão internacional e/ou trazer um pouco do valor em dinheiro, de preferência, em dólar para o pagamento do hotel.

Dica 5.

Se você reservou o hotel através do Booking e fez o pagamento no Brasil, provavelmente não terá que pagar mais nada no Chile.

No entanto, é muito importante ler os detalhes na hora de fazer a reserva e, em caso de dúvida, enviar um e-mail para o seu hotel para confirmar a informação da necessidade ou não do pagamento do IVA no Chile.

4. como funciona o cartão Wise no Chile?

Muitas pessoas já estão acostumadas a levar o cartão de crédito para viajar e gastar em hotéis, restaurantes, lojas e passeios.

No entanto, quem não tem um cartão de crédito que possa ser habilitado para compras no exterior ou prefere não usá-lo devido aos valores cobrados de impostos brasileiros, muitas vezes se arrisca e traz tudo o que pretende gastar em dinheiro.

Mas será que essa ainda é a melhor maneira de pagar pelos seus gastos em uma viagem?

Podemos dizer que o cartão de viagem internacional é a evolução do que era conhecido como “travel money”. Portanto, não é um cartão pré-pago como antes, em que você pagava pelo câmbio do dia do carregamento.

Isso ficou para trás com o lançamento do cartão Wise no Brasil, já que quem tem residência no país pode solicitar o cartão físico gratuitamente. Agora, você pode depositar o dinheiro em real e ir “convertendo” os valores assim que precisar usar, movimentando os valores de acordo com as suas compras no exterior e a Wise converte usando o câmbio mais favorável no momento.

A conta da Wise permite, assim, que você guarde dinheiro em mais de 50 moedas diferentes. Por isso, é chamada de conta virtual global ou cartão multimoeda.

Mais que somente um cartão de viagem internacional, com a Wise você realmente pode fazer movimentações internacionais e realizar compras no exterior online ou fisicamente por meio do cartão físico ou virtual.

Entenda como funciona o cartão Wise no Chile. Continue lendo, clicando aqui, pois já tem um texto sobre o Wise no Chile

Leia também:

Perdi meus documentos no Chile. O que fazer?

Como levar dinheiro para o Chile?

Requisitos para entrar no Chile

 

5. Como fazer a conversão de real para peso chileno?

Já que estamos falando de câmbio, já anota a dica para fazer a conversão de real para pesos chilenos.

Como exemplo, vamos considerar que R$1 esteja valendo aproximadamente CLP $170.

Isso significa que, com R$1, você consegue comprar CLP $170 e com R$1.000 você compra CLP$170.000. Para fazer as contas, pegue o valor em pesos chilenos e divida por 170. Sei que são muitos zeros, mas não se esqueça de colocar todos!

6. Importante:

  • Não é necessário apresentar passaporte nem nenhum outro documento para fazer a troca;
  • Sempre confira as notas e conte o dinheiro na hora, na frente do vendedor;
  • Peça e guarde o comprovante da troca com você;
  • As casas de câmbio em Santiago não aceitam notas antigas, amassadas ou riscadas.

Sobre o câmbio em Santiago, leia este post.

Aproveite para conhecer os hotéis que eu recomendo para hospedagem nos três melhores bairros do Chile

E também os melhores hotéis em Providencia.

Requisitos ara entrar no Chile em 2023

Assista aqui o vídeo que eu fiz do bairro Providencia

 

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ao comentar você concorda com nossa Política de Privacidade